Águas Lindas de Goiás

município brasileiro do estado de Goiás
Disambig grey.svg Nota: Para outras cidades contendo este nome, veja Águas Lindas.

Águas Lindas de Goiás é um município brasileiro do interior do estado de Goiás. Sua população estimada em 2019 é de 212.440 habitantes, sendo o quinto município mais populoso do estado, além de ser o mais populoso do leste goiano e da região do entorno do Distrito Federal. A área total é de 191,198 quilômetros quadrados, e sua população é quase inteiramente urbana. Faz parte da Região Integrada de Desenvolvimento do Distrito Federal e Entorno.

Águas Lindas de Goiás
  Município do Brasil  
Símbolos
Bandeira de Águas Lindas de Goiás
Bandeira
Brasão de armas de Águas Lindas de Goiás
Brasão de armas
Hino
Gentílico águas-lindense[1]
Localização
Localização de Águas Lindas de Goiás em Goiás
Localização de Águas Lindas de Goiás em Goiás
Mapa de Águas Lindas de Goiás
Coordenadas 15° 45' 43" S 48° 16' 55" O
País Brasil
Unidade federativa Goiás
Municípios limítrofes Cocalzinho de Goiás, Padre Bernardo, Brazlândia (DF), Ceilândia (DF) e Santo Antônio do Descoberto
Distância até a capital 54 km
História
Fundação 27 de dezembro de 1995 (25 anos)
Aniversário 27 de dezembro
Administração
Prefeito(a) Lucas de Carvalho Antonietti[2] (PODE, 2021 – 2024)
Vereadores 21
Características geográficas
Área total [3] 191,198 km²
População total (est. IBGE/2019[4]) 212 440 hab.
 • Posição GO: 5º
Densidade 1 111,1 hab./km²
Clima tropical de altitude
Altitude 1100 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
Indicadores
IDH (PNUD/2010[5]) 0,686 médio
PIB (IBGE/2008[6]) R$ 695.643 milhões
PIB per capita (IBGE/2008[6]) R$ 5 242,15
Outras informações
Padroeiro(a) Nossa Senhora Aparecida
Sítio aguaslindasdegoias.go.gov.br (Prefeitura)

CadastroEditar

No Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o município se encontra cadastrado pelo código 5200258. Sua emancipação enquanto município se deu através da lei estadual nº 12797, de 27-12-1995. A população nascida no local se denomina águaslindense, ou seja, este é o seu gentílico.[7]

HistóriaEditar

Águas Lindas de Goiás, antes conhecida como Parque da Barragem, pertencia ao distrito de Santo Antônio do Descoberto, o qual pertencia, até a década de 1980, ao município de Luziânia - localizado no Estado de Goiás. O desvinculo com Luziânia não fez Santo Antônio do Descoberto perder o domínio sobre a região em que hoje encontra-se Águas Lindas - e que no período era conhecida como "Parque da Barragem", devido à barragem existente no rio Descoberto e que faz divisa entre Goiás e Distrito Federal. A origem de seu nome deve-se a uma homenagem à nascente Águas Lindas e sua região, quando havia apenas cerrado, com algumas fazendas e chácaras.[8][9]

Na década de 1970 construiu-se a BR-70, que margeia a cidade.[9] Esta rodovia possui seu ponto inicial na cidade de Brasília (DF), e o final, no distrito de Corixá, no município de Cáceres (MT), na fronteira com a Bolívia.[10] Vinte e dois quilômetros da rodovia separam Águas Lindas de Goiás de sua vizinha Girassol[11][9]. Este distrito, pertencente ao município de Cocalzinho, em Goiás, é conhecido por sua cachoeira e pelo ecoturismo.[12]

Apesar da existência da BR-070, até a década de 1980 só haviam fazendas e chácaras em Águas Lindas, das quais a maioria eram improdutivas, pertencentes a moradores de outras cidades. Pode-se citar, por exemplo, as fazendas "Camargo", "Braz", "Jardim Brasília" e "Cachoeirinha", que não possuíam uso cotidiano, e eram utilizadas como áreas de lazer em períodos de férias e/ou feriados.[9] A rodovia era um corredor de saída do Distrito Federal, propiciando o fluxo de muitas famílias vindas de cidades próximas, que foram se aglutinando às suas margens. As fazendas originais foram vendidas e passaram a dar lugar a diversos loteamentos habitacionais.[8][9]

Os altos preços cobrados pelos loteamentos favoreceram as invasões das terras. As primeiras habitações tinham condições precárias, e o local não dispunha de serviços essenciais, como água tratada, energia elétrica, rede de esgoto, correios, dentre outros. Apesar disso, a região continuou crescendo, devido à sua proximidade com o Distrito Federal,[8] dando início a uma ocupação desordenada. Fora as habitações de baixo padrão construtivo, inicialmente, haviam poucas estradas, e as existentes não eram asfaltadas, o que gerava dificuldades de tráfego tanto no período de chuvas como no período da seca em virtude da intensa poeira.[9]

O contingente da cidade se dá especialmente por população imigrante, com destaque para os nordestinos. A cidade, logo, está marcada pela história da repulsão - primeiro da região Nordeste para Brasília e, posteriormente, de Brasília para o Entorno do Distrito Federal. A identidade da cidade, logo, foi se formando aos poucos, tendo como um marco importante a emancipação ocorrida no ano de 1995.[9]

Como uma cidade dormitório, Águas Lindas recebeu pessoas de todas as regiões do país, gerando uma explosão demográfica.[8] O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em sua estimativa populacional de 1996, informou que Águas Lindas contava com 61,4 mil habitantes. Em 2010, cresceu para 105,7 mil habitantes e, em 2010, para 159,5 mil. Como resultado, recebeu o título de "a cidade que mais cresce na América Latina."[8][9]

Em virtude do contingente populacional, que era superior ao da cidade-sede, as lideranças locais conduziram um abaixo assinado, de modo a garantir a emancipação municipal. Em 12 de outubro de 1995, 92% dos eleitores votantes foram favoráveis à ideia.[8][13] Em 27 de dezembro do mesmo ano, o governador Maguito Vilela sancionou a Lei nº 12.797, que elevou à categoria de município o na época distrito de Santo Antônio do Descoberto. O novo município recebeu o nome de Águas Lindas de Goiás.[14] No ano seguinte, realizou suas primeiras eleições municipais.[9]

No século XXI, a cidade foi beneficiada com o programa Minha Casa, Minha Vida, do Governo Federal, que construiu moradias em praticamente todos os setores da cidade.[9] A cidade se converteu na mais populosa da região do entorno do Distrito Federal, tendo melhorado a prestação de serviços essenciais e com o preço acessível das moradias sendo um atrativo para novos moradores.[15][9] Por outro lado, registrou altos índices de criminalidade[16][17] e de desemprego, principalmente entre os jovens.[15]

GeografiaEditar

 
Mapa interativo de Águas Lindas de Goiás e região

Águas Lindas de Goiás está localizada no estado de Goiás, precisamente na Região Integrada de Desenvolvimento do Distrito Federal e Entorno,[18] estando distante a 195 quilômetros da capital estadual, Goiânia,[19] e a 51 quilômetros da capital federal, Brasília.[20] Situa-se a 15º77'14" de latitude sul e 48º24'88" de longitude oeste.[21] Com uma área de 192,392 km², limita-se com os municípios de Padre Bernardo a norte, Cocalzinho de Goiás a oeste, Santo Antônio do Descoberto a sul o e DF a leste.[22]

Águas Lindas é uma das dezenove cidades que pertencem ao estado de Goiás, mas também fazem parte do Entorno do Distrito Federal. Assim como as outras que pertencem a este grupo, a cidade mostra traços de crescimento desordenado, apropriação inadequada dos espaços públicos e violência.[9]

De acordo com a divisão do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística vigente desde 2017, o município pertence às Regiões Geográficas Intermediária de Luziânia-Águas Lindas de Goiás e Imediata de homônima.[23] Até então, com a vigência das divisões em microrregiões e mesorregiões, o município fazia parte da Microrregião do Entorno do Distrito Federal, que por sua vez estava incluída na Mesorregião do Leste Goiano.[24]

A área do município é composta de terras altas e planas, com leves ondulações.[carece de fontes?] A vegetação é o cerrado,[25] cujas principais características são os pequenos arbustos e árvores com troncos retorcidos, raízes profundas, cascas grossas e folhas recobertas de pelugem. Existem, ainda, regiões de gramíneas e de árvores de grande porte.[carece de fontes?]

Segundo a Classificação climática de Köppen-Geiger, o clima é caracterizado como tropical de altitude,[carece de fontes?] com duas estações bem definidas: uma seca (de maio a setembro) e outra chuvosa (de outubro a abril).[26] Durante o período de estiagem, a umidade relativa do ar pode atingir menos de 20%.[carece de fontes?] Há muito menos pluviosidade no inverno que no verão.[26] Segundo a Köppen e Geiger o clima é classificado como Aw. 21.0 °C é a temperatura média. 1488 mm é o valor da pluviosidade média anual.[carece de fontes?]

No que toca os índices da cidade relativos ao território, em 2010 mediu-se que havia apenas 19% do esgotamento sanitário adequado e 53,9% das vias públicas arborizadas, sendo 0,3% destas mesmas urbanizadas.[7]

DemografiaEditar

Crescimento populacional
Censo Pop.
199161 478
2000105 74672,0%
2010159 50550,8%
Est. 2019212 44033,2%
Fonte: Instituto Brasileiro de Geografia[8][22]

Em 2010, a população do município foi contada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 159 505 habitantes.[22] Segundo o censo daquele ano, 79 813 (50,04%) habitantes eram homens e 79 692 (49,96%) mulheres.[27] Ainda segundo o mesmo censo, 159 265 (99,85%) habitantes viviam na zona urbana.[27] Já segundo estimativa de 2019, a população era de 212 440 habitantes, correspondendo a 3,03% da população total do estado e fazendo com que fosse o 5º município mais populoso.[22][28]

Conforme a pesquisa de autodeclaração do censo do IBGE de 2010, a população águaslindense era composta por 93 058 pardos (58,34%), 47 216 brancos (29,60%), 14 007 negros (8,78%), 4 837 amarelos (3,03%) e 260 indígenas (0,16%).[29] Em relação à pirâmide etária referente ao ano 2010, 104 915 (65,83%) pessoas tinham entre 15 a 64 anos da idade, 50 789 (31,87%) menos de 15 anos e 3 674 (2,35%) mais de 65 anos.[30] Sessenta e uma pessoas tinham mais de noventa anos; seis homens e uma mulher eram centenários.[22]

O Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDH-M) de Águas Lindas de Goiás, de 0,686, é considerado médio pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Considerando-se apenas o índice de educação o valor é de 0,588, o valor do índice de longevidade é de 0,848 e o de renda é de 0,647. O coeficiente de Gini, que mede a desigualdade social, era de 0,43, sendo que 1,00 é o pior número e 0,00 é o melhor. A expectativa de vida era de 75,9 anos. A taxa de mortalidade infantil era de 11,62 (13,8 até os cinco anos de idade) e a taxa de fecundidade era de 2,4.[30]

Acerca da média salarial na cidade, tem-se que em 2018 era de 1.8 salários mínimos. Isso com um Produto Interno Bruto (PIB) per capita, ou seja, por pessoa, de R$ 9.108,33, no mesmo ano. A proporção de pessoas ocupadas em relação à população total era bastante baixa - de apenas 5.7%. Isso reunia 11.718 pessoas. No mesmo levantou-se que 35.4% da população habitava em domicílios com rendimentos mensais de até meio salário mínimo por pessoa.[7]

A taxa de escolarização na cidade é alta. 96,6 % da população com idade entre 6 a 14 anos de idade frequenta a escola. No ano de 2018 houveram 32.061 matrículas no ensino fundamental e 5.973 matrículas no ensino médio. Para atender a todos estes estudantes, haviam 1.279 docentes vinculados ao ensino fundamental, em 91 escolas, e 480 docentes vinculados ao ensino médio, em 31 escolas.[7]

Para a contagem do Censo do ano de 2020, o IBGE espera que habitem a cidade 217.698 pessoas.[7]

Política e administraçãoEditar

O Poder Executivo do município é representado pelo prefeito, auxiliado pelos secretários municipais.[31] Nas eleições municipais de 2020, Lucas de Carvalho Antonietti (Dr. Lucas da Santa Monica) (PODE) foi eleito com 32 214 votos (47,61% dos votos válidos), derrotando o candidato Wilson Carvalho Barroso Filho (Wilson do Tullio) (DEM), que recebeu 32 179 votos (47,56% dos votos válidos).[32]

O Poder Legislativo é representado pela Câmara Municipal de Vereadores, formada por vinte e um vereadores eleitos para mandatos de quatro anos. Cabe à casa elaborar e votar leis fundamentais à administração e ao Executivo, além de fiscalizá-lo.[33] Como resultado das eleições de 2020, a Câmara é composta por quatro mulheres e dezessete homens, sendo quatro vereadores do PTB, três vereadores do DEM, três vereadores do PODE, três vereadores do PTC, dois vereadores do MDB, dois vereadores do Republicanos, um vereador do PDT, um vereador do PSC, um vereador do PSDB e um vereador do Solidariedade.[34]

O município conta com uma comarca própria do Poder Judiciário estadual, classificada como de entrância intermediária. A Comarca está organizada em seis varas: a 1ª Vara Cível, que trata da infância e da juventude; a 1ª Vara Criminal, de crimes dolosos contra a vida; a 2ª Vara Cível, especializada na fazenda pública e matéria ambiental; a 2ª Vara Criminal, para crimes em geral e precatórias criminais; a 3ª Vara Cível, de famílias e sucessões; e a 3ª Vara Criminal, para crimes em geral e precatórias criminais.[35] O Ministério Público contava com sete cargos de promotores criados para atuar na cidade.[36]

De acordo com o Tribunal Regional Eleitoral de Goiás (TRE-GO), Águas Lindas de Goiás possuía, em 2016, 88 002 eleitores.[37] Ou seja, há uma baixa participação da população no processo eleitoral municipal, tendo em vista que menos da metade de seus habitantes votavam na cidade. Especulou-se que tal número é reflexo dos trabalhadores do Distrito Federal que, embora morem em Águas Lindas de Goiás, optaram por votar na capital federal, bem como pelos moradores oriundos de outros estados que não transferiram seus títulos eleitorais.[15] Nas últimas eleições gerais de 2018, Jair Bolsonaro ganhou a disputa presidencial na cidade, derrotando Fernando Haddad por 38 057 votos (57,77%) a 27 817 (42,23%).[38] Nas eleições estaduais, Ronaldo Caiado foi o candidato mais votado a governador, com 53,93% dos votos válidos, enquanto Jorge Kajuru e Wilder Morais foram os candidatos mais votados ao Senado Federal.[39]

EconomiaEditar

Indicadores socioeconômicosEditar

PIB municipal (2010)
[6] R$ 676.643 milhões
PIB per capita (2010)
[6] R$ 4.242,15; Renda per capita é de R$849,38

Composição do PIB (2010)[40]

  • Valor adicionado bruto da agropecuária: R$ 402.711 milhão
  • Valor adicionado bruto da indústria: R$ 1.105.393 milhões
  • Valor adicionado bruto dos serviços: R$ 9.525.064 milhões
  • Impostos sobre produtos líquidos de subsídios: R$ 433.475 milhões

SaúdeEditar

  • 20 Estabelecimentos de Saúde SUS, em 2009[7]
  • 0,4 internações por diarreia, a cada mil habitantes, em 2016[7]

ViolênciaEditar

Em 2011, Águas Lindas de Goiás foi classificada como um dos 100 municípios mais violentos do país, bem como o mais violento de Goiás.[41] Em 2019, caiu para o sétimo município mais violento do estado, com 43,8 homicídios por 100 mil habitantes.[42]

Referências

  1. «Águas Lindas de Goiás». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  2. Prefeito e vereadores de Águas Lindas de Goiás tomam posse Portal G1 - acessado em 2 de janeiro de 2021
  3. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  4. «Estimativa populacional de 2019» (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Consultado em 28 de agosto de 2019 
  5. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil» (PDF). Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 31 de julho de 2013 
  6. a b c d «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  7. a b c d e f g cidades.ibge.gov.br https://cidades.ibge.gov.br/brasil/go/aguas-lindas-de-goias/panorama. Consultado em 14 de setembro de 2020  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  8. a b c d e f g «Águas Lindas de Goiás» (PDF). Brasília: Companhia de Planejamento do Distrito Federal. Maio de 2016. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  9. a b c d e f g h i j k l Monteiro, Francisca das Chagas Sobrinho (2011). «ÁGUAS LINDAS DE GOIÁS: REINTERPRETANDO SUA HISTÓRIA POR MEIO DE IMAGENS» (PDF). II Congresso Internacional de História. Jataí: Universidade Federal de Jataí. ISSN 2178-1281. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  10. «CÁCERES/MT». Operação Federal (em bretão). 17 de setembro de 2019. Consultado em 14 de setembro de 2020 
  11. «Águas Lindas de Goiás - GO para Girassol Rota». www.adistanciaentre.com. Consultado em 14 de setembro de 2020 
  12. «Resort rural familiar a 65 km de Brasília| Cachoeira do Girassol». Consultado em 14 de setembro de 2020 
  13. «Águas Lindas de Goiás: Goiás - GO» (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2020. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  14. «LEI Nº 12.797, DE 27 DE DEZEMBRO DE 1995». Casa Civil de Goiás. 27 de dezembro de 1995. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  15. a b c Souza, Fabrício Oliveira de; Coelho, Telmir Ferreira (Junho de 2010). «EDUCAÇÃO, FORMAÇÃO E CIDADANIA» (PDF). Brasília: Universidade de Brasília. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  16. Ricardo Faria, Walder Galvão, Luiz Calcagno e Isa Stacciarini (3 de setembro de 2017). «Moradores do Entorno são obrigados a conviver com a insegurança». Correio Braziliense. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  17. «Goiás tem 4 cidades em relatório das maiores taxas de mortes por armas». G1. 15 de maio de 2015. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  18. «Ampliada, Ride tem 32 municípios». Agência Brasília. 15 de junho de 2018. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  19. «Distância entre Águas Lindas de Goiás e Goiânia - GO». Rota Mapas. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  20. «Distância entre Águas Lindas de Goiás e Brasília - DF». Rota Mapas. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  21. «Águas Lindas de Goiás». DB city. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  22. a b c d e «Águas Lindas de Goiás». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  23. «Divisão Regional do Brasil». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 2017. Consultado em 11 de dezembro de 2017. Cópia arquivada em 12 de dezembro de 2017 
  24. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1990). «Divisão regional do Brasil em mesorregiões e microrregiões geográficas» (PDF). Biblioteca IBGE. 1: 117. Consultado em 11 de dezembro de 2017. Cópia arquivada (PDF) em 12 de dezembro de 2017 
  25. «Devastação do cerrado no Entorno». Povos Indígenas do Brasil. 4 de abril de 2006. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  26. a b «Águas Lindas de Goiás - GO». Clima Tempo. 2020. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  27. a b «Censo de 2010 - Goiás». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2010. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  28. «Goiás». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2020. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  29. «Tabela 3145 - População residente por sexo, situação do domicílio e cor ou raça - Resultados Preliminares do Universo». Sistema IBGE de Recuperação de Dados Automática (Sidra). 2010. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  30. a b «Águas Lindas de Goiás, GO». Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil. 2010. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  31. «Governo Municipal». Guia de Direitos. Consultado em 25 de janeiro de 2014 
  32. «Eleições 2020 Águas Lindas de Goiás». G1. 15 de novembro de 2020. Consultado em 11 de janeiro de 2021 
  33. «O papel dos vereadores». Veja. Consultado em 23 de janeiro de 2014 
  34. «Prefeito e vereadores de Águas Lindas de Goiás tomam posse; veja lista de eleitos». G1. 1 de janeiro de 2021. Consultado em 11 de janeiro de 2021 
  35. «COMARCAS DE ENTRÂNCIA INTERMEDIÁRIA \ÁGUAS LINDAS DE GOIÁS \FÓRUM DE ÁGUAS LINDAS DE GOIÁS». Tribunal de Justiça do Estado de Goiás. 2020. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  36. «PROMOTORIAS NO ENTORNO/DF». Ministério Público do Estado de Goiás. 2020. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  37. «ÁGUAS LINDAS DE GOIÁS». Tribunal Regional Eleitoral de Goiás. 2016. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  38. «Resultados para Presidente em Goiás em Águas Lindas de Goiás (GO)». Gazeta do Povo. 2018. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  39. «APURAÇÃO: ÁGUAS LINDAS DE GOIÁS (GO)». Uol. 2018. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  40. «Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Banco de Dados: Cidades». Consultado em 12 de junho de 2011. Arquivado do original em 16 de agosto de 2009 
  41. Larissa Lessa (15 de dezembro de 2011). «Cidades do Entorno do DF estão entre as mais violentas do país». A Redação. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  42. Welliton Carlos da Silva (7 de agosto de 2019). «Atlas da Violência: saiba quais são as 13 cidades mais violentas de Goiás». DM. Consultado em 12 de agosto de 2020 

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar