Abrir menu principal

Álvaro Augusto de Carvalho

Álvaro de Carvalho
O então 1º tenente Álvaro Augusto de Carvalho, comandante do vapor Ipiranga, morto na Guerra do Paraguai.
Nascimento 1 de março de 1829
Bandeira de Santa Catarina Desterro, Santa Catarina, Bandeira do Império do Brasil Império do Brasil
Morte 5 de setembro de 1865 (36 anos)
Bandeira da Argentina Buenos Aires
Nacionalidade Brasileiro
Progenitores Mãe: Florinda Luiza de Carvalho
Pai: Luís José de Carvalho
Ocupação Dramaturgo, primeiro-tenente

Álvaro Augusto de Carvalho (Desterro, 1 de março de 1829Buenos Aires, 5 de setembro de 1865) foi um dramaturgo brasileiro.

VidaEditar

Filho de Luís José de Carvalho e de Florinda Luiza de Carvalho.

CarreiraEditar

Escreveu várias peças teatrais, que o consagraram como o primeiro dramaturgo catarinense. Dentre suas peças encenadas no Desterro, estão O Pescador Pedro Martelli e Uma Moça de Juízo.

Foi primeiro-tenente da Armada Imperial Brasileira (hoje Marinha do Brasil) no comando da Canhoneira Ipiranga, fazendo parte da esquadra do Almirante Barroso[1]. Faleceu em decorrência de uma febre tifóide, contraída quando no comando da canhoneira Ipiranga, na Guerra do Paraguai.

 
Episódios do dia 13 de junho de 1865. Combate Naval de Riachuelo. Os vapores Ypiranga (com Álvaro Augusto de Carvalho), Vapor Mearim (com Barbosa), Vapor Araguari (com Hoonholtz) e Vapor Iguatemi (com Coimbra), trabalhando em desencalhar o Jequitinhonha. Por Fleiuss (1865).

Faleceu em Buenos Aires, mas o local de sepultamento é incerto [2][3].

 
Combate Naval do Riachuelo, 1882-83. Acervo do Museu Histórico Nacional. Cópia da obra de Victor Meirelles feita por Oscar Pereira da Silva.

Academia Catarinense de Letras (ACL)Editar

É patrono da cadeira 1 [3] da Academia Catarinense de Letras, (ou cd.17 da Academia Catarinense de Letras e Artes[2])

ObrasEditar

  • Pedro Martelli ou O Conde de Castellamar (1853)
  • Uma Moça de Juízo
  • Raimundo

Representações na culturaEditar

O Teatro Álvaro de Carvalho é denominado em comemoração a seu nome,[4] assim como a rua Álvaro de Carvalho, ambos em Florianópolis.

Referências

  1. «NGB - Canhoneira a Vapor Ipiranga». www.naval.com.br. Consultado em 14 de março de 2018 
  2. a b «ÁLVARO DE CARVALHO». acla.org.br. Consultado em 14 de março de 2018 
  3. a b «Há 150 anos, em Buenos Aires, morria Álvaro de Carvalho, o primeiro dramaturgo catarinense» 
  4. Histórico TAC, Acessado em 11 de março de 2018

BibliografiaEditar

  • Cabral, Oswaldo Rodrigues: Nossa Senhora do Desterro. Volume 2: Memória. Florianópolis : Lunardelli, 1979, páginas 515-7.

Ligações externasEditar


Precedido por
  ACL - patrono da cadeira 1
Sucedido por
Clementino Fausto Barcelos de Brito
(fundador)


  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.