Abrir menu principal
Âmnio Anício Juliano
Nacionalidade
Vexilloid of the Roman Empire.svg
Império Romano
Ocupação Oficial

Âmnio Anício Juliano (em latim: Amnius Anicius Iulianus) foi um oficial romano do século IV, ativo durante o reinado dos imperadores Diocleciano (r. 284–305), Maximiano (r. 285–308; 310), Constâncio Cloro (r. 293–306), Galério (r. 293–311), Constantino (r. 306–337) e Licínio (r. 308–324).

Índice

VidaEditar

 
Soldo de Constantino (r. 306–337)

Quinto Aurélio Símaco compôs epigrama sobre ele, louvando sua riqueza, nascimento nobre e altos ofícios. Era talvez filho de Anício Fausto, irmão de Sexto Anício Paulino e pai de Âmnio Anício Paulino e Marco Anício Paulino.[1] Ele é identificado com o procônsul da África que, em 302, recebeu um rescrito (uma resposta a um pedido para clarificação que Juliano havia enviado) de Diocleciano, que ordenou a supressão dos maniqueístas na África, acusados de estarem em contado com o Império Sassânida.[2] Em 322, foi cônsul posterior com Petrônio Probiano, porém o consulado deles não foi reconhecido por Licínio no Oriente. Entre 13 de novembro de 326 e 7 de setembro de 329, foi prefeito urbano de Roma.[3]

Ver tambémEditar

Cônsul do Império Romano
 
Precedido por:
'Crispo II (Ocidente)

com Constantino II II (Ocidente)
Licínio VI (Oriente)
Licínio II (Oriente)

Âmnio Anício Juliano
322

com Petrônio Probiano
Pós-consulado de Licínio VI e Licínio II (Oriente)

Sucedido por:
'Acílio Severo (Ocidente)

com Vécio Rufino (Ocidente)
Pós-consulado de Licínio VI e Licínio II (Oriente)


Referências

  1. Martindale 1971, p. 474.
  2. Corcoran 2000, p. 135.
  3. Martindale 1971, p. 473-474.

BibliografiaEditar

  • Corcoran, Simon (2000). The empire of the tetrarchs: imperial pronouncements and government, AD 284–324. Oxônia: Oxford University Press. ISBN 0-19-815304-X 
  • Martindale, J. R.; A. H. M. Jones (1971). «Petronius Probianus 3». The Prosopography of the Later Roman Empire, Vol. I AD 260-395. Cambridge e Nova Iorque: Cambridge University Press