Âmnio Anício Juliano

Âmnio Anício Juliano (em latim: Amnius Anicius Iulianus) foi um oficial romano do século IV, ativo durante o reinado dos imperadores Diocleciano (r. 284–305), Maximiano (r. 285–308; 310), Constâncio Cloro (r. 293–306), Galério (r. 293–311), Constantino (r. 306–337) e Licínio (r. 308–324).

Âmnio Anício Juliano
Nacionalidade
Vexilloid of the Roman Empire.svg
Império Romano
Ocupação Oficial

VidaEditar

 
Soldo de Constantino (r. 306–337)

Quinto Aurélio Símaco compôs epigrama sobre ele, louvando sua riqueza, nascimento nobre e altos ofícios. Era talvez filho de Anício Fausto, irmão de Sexto Anício Paulino e pai de Âmnio Anício Paulino e Marco Anício Paulino.[1] Ele é identificado com o procônsul da África que, em 302, recebeu um rescrito (uma resposta a um pedido para clarificação que Juliano havia enviado) de Diocleciano, que ordenou a supressão dos maniqueístas na África, acusados de estarem em contado com o Império Sassânida.[2] Em 322, foi cônsul posterior com Petrônio Probiano, porém o consulado deles não foi reconhecido por Licínio no Oriente. Entre 13 de novembro de 326 e 7 de setembro de 329, foi prefeito urbano de Roma.[3]

Ver tambémEditar

Cônsul do Império Romano
 
Precedido por:
Crispo II (Ocidente)

com Constantino II II (Ocidente)
Licínio VI (Oriente)
Licínio II (Oriente)

Âmnio Anício Juliano
322

com Petrônio Probiano
Pós-consulado de Licínio VI e Licínio II (Oriente)

Sucedido por:
Acílio Severo (Ocidente)

com Vécio Rufino (Ocidente)
Pós-consulado de Licínio VI e Licínio II (Oriente)


Referências

  1. Martindale 1971, p. 474.
  2. Corcoran 2000, p. 135.
  3. Martindale 1971, p. 473-474.

BibliografiaEditar

  • Corcoran, Simon (2000). The empire of the tetrarchs: imperial pronouncements and government, AD 284–324. Oxônia: Oxford University Press. ISBN 0-19-815304-X 
  • Martindale, J. R.; A. H. M. Jones (1971). «Petronius Probianus 3». The Prosopography of the Later Roman Empire, Vol. I AD 260-395. Cambridge e Nova Iorque: Cambridge University Press