Abrir menu principal

Óxido de bário

composto químico
Óxido de bário
Alerta sobre risco à saúde
Outros nomes Monóxido de bário; Protóxido de bário; Barita calcinada
Identificadores
Número CAS 1304-28-5
Propriedades
Fórmula molecular BaO
Massa molar 153.3 g/mol
Aparência sólido branco
Densidade 5.7 g/cm³, sólido
Ponto de fusão

1923 °C

Ponto de ebulição

~2000 °C

Solubilidade em água 3.8 g/100 ml (20 °C)
Estrutura
Estrutura cristalina cúbico
Geometria de
coordenação
Octaédrico
Riscos associados
Classificação UE Nocivo (Xn)
Frases R R20/22
Frases S S2, S28
Ponto de fulgor não inflamável
Compostos relacionados
Outros aniões/ânions Hidróxido de bário
Peróxido de bário
Outros catiões/cátions Óxido de cálcio
Óxido de estrôncio
Exceto onde denotado, os dados referem-se a
materiais sob condições normais de temperatura e pressão

Referências e avisos gerais sobre esta caixa.
Alerta sobre risco à saúde.

Óxido de bário, BaO, é um composto higroscópico branco formado pela queima de bário em oxigênio, embora seja frequentemente formado através da decomposição de outros sais de bário.[1]

2Ba + O2 → 2BaO
BaCO3 → BaO + CO2

Transforma-se em hidróxido de bário em contato com água.

BaO + H2O → Ba(OH)2

UsosEditar

O óxido de bário é usado como um revestimento para catodos frios, e em tubos de raios catódicos. Ele é usado na produção de certos tipos de vidros tal como vidro crown óptico. Ele substitui óxido de chumbo, o qual foi usado para elevar o índice de refração, mas também aumenta o poder de dispersão. O óxido de bário somente eleva o índice de refração.[2] Óxido de bário também tem uso como um catalisador de etoxilação na reação de óxido de etileno e álcoois, as quais ocorrem a 150 e 200°C.[3]

SegurançaEditar

O óxido de bário é um irritante. Se entra em contato com pele ou os olhos ou é inalado causa dor e vermelhidão. Entretanto, é mais perigoso quando ingerido. E pode causar náusea e diarreia, paralisia muscular, arritmia cardíaca, e pode levar à morte. Se ingerido, atenção médica deve ser procurada imediatamente.

Assim como o carbonato de bário é tóxico por ingestão pelo fato de reagir com o ácido clorídrico do estômago, produzindo cloreto de bário, que sendo solúvel, entra na corrente sanguínea e nos mais diversos processos do metabolismo.

BaO + 2 HCl → BaCl2 + H2O

O óxido de bário é perigoso para o meio-ambiente. Ele é nocivo especialmente a organismos aquáticos[4][5]

Referências

  1. www.webelements.com%5d «Compounds of barium: barium (II) oxide» Verifique valor |url= (ajuda). Web Elements. The University of Sheffield. 26 de janeiro de 2007. Consultado em 22 de fevereiro de 2007 
  2. «Barium Oxide (chemical compound)». Encyclopædia Britanica. Encyclopædia Britanica. 2007. Consultado em 19 de fevereiro de 2007 
  3. Nield, Gerald; Washecheck, Paul; Yang, Kang (5 de abril de 1979). «United States Patent 4210764». Consultado em 20 de fevereiro de 2007 
  4. «Barium Oxide (ICSC)». IPCS. Outubro de 1999. Consultado em 19 de fevereiro de 2007 
  5. Óxido de bário-Guidechem.com

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre um composto inorgânico é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.