Suécia Östergötland

Gotalândia Oriental

 
  Província  
Sverigekarta-Landskap Östergötland.svg
Símbolos
Bandeira de Östergötland
Bandeira
Brasão de armas de Östergötland
Brasão de armas
Localização
Região Gotalândia
Condado Östergötland
Características geográficas
Área total 10 559 km²
População total (2018) 461 583 hab.
Densidade 43,7 hab./km²

Östergötland, Gotalândia Oriental ou Ostrogócia (em latim: Ostrogothia) é uma província (landskap) do sul da Suécia, na região histórica (landsdel) da Gotalândia. Ocupa 2,4% do território da Suécia (10559 quilômetros quadrados), e tem 461 583 habitantes (2018).[1][2][3][4][5] Como província, não tem hoje funções administrativas, nem significado político, mas está presente em âmbitos históricos, culturais, escolares, turísticos e desportivos.[6]

EtimologiaEditar

O topônimo Gotalândia Oriental deriva provavelmente do nome dos Gotas (Götar), o povo que habitava a região nas cercanias do rio Gota, ao qual deu provavelmente o nome. A Gotalândia Oriental seria assim a "Terra dos Gotas Orientais". A província está registrada em sueco antigo como Østrægøtland no século XII, e como Østragøtland no século XIV.[7][8][9]

HistóriaEditar

A província é habitada desde a Idade da Pedra, como o atestam mais de 50 000 vestígios arqueológicos, assim como restos de construções de madeira e rastros de atividade agrícola de 2 000 a.C.. Na Era das Migrações Nórdicas, por volta de 500 d.C., foi um reino independente que resistiu a ataques dos suíones. No dealbar da Idade Média, foi uma das unidades mais expressivas na formação da Suécia. Nos séculos XII e XIII, foi base de duas casas reais - Suérquero e Bialbo. Com a vinda do cristianismo, a Igreja Católica consolidou seu poder, manifestado na criação do Bispado de Lincopinga. Em Norcopinga nasceu a primeira cidade industrial do país, no século XVII, com fábricas de têxteis, utilizando a energia do rio Motala. Hoje em dia, é a cidade de Lincopinga que está na dianteira, com as suas indústrias de ponta, incluindo a fábrica de aviões da SAAB.[11][12][13][14]

GeografiaEditar

A Gotalândia Oriental está situada no sul da Suécia, entre o lago Veter, a oeste, e o mar Báltico, a leste. É limitada a norte pelas províncias de Nerícia e Sudermânia, a leste pelo Báltico, a sul pela Esmolândia e a oeste pelo Veter. Tem dimensão média - ca. 3% do país, com uma população de 459 589 habitantes - cerca de 4% do país.[9][15]

É constituída por quatro regiões naturais: A parte central é a grande planície da Gotalândia Oriental, com enormes culturas de ervilha amarela. A norte e a sul, as terras altas são cobertas por imensas florestas de pinheiros e abetos, ocupando 60% de sua área, com numerosos lagos e animais selvagens, como p. ex. alces e corças. No Báltico está o arquipélago costeiro com mais de 6 000 ilhas.[16][11][17] Ao todo possui 2 100 lagos[18] e 636 cursos d'água.[19]

Maiores cidadesEditar

As três maiores cidades da província são Lincopinga, Norcopinga e Motala.[20][21]

Nr Nome População
2018[21]
1 Lincopinga 111 267
2 Norcopinga 96 766
3 Motala 31 385
4 Mjölby 13 507
5 Finspång 13 279
5 Söderköping 7 611
5 Vadstena 5 764

ComunicaçõesEditar

 
Estrada europeia E4, perto de Lincopinga

A província é atravessada diagonalmente na direção nordeste pela estrada europeia E4, da Esmolândia até a Sudermânia, e passando por Mjölby, Lincopinga e Norcopinga. Várias estradas nacionais cruzam-na, entre as quais: 34 (Motala, Lincopinga) e 51 (Finspång, Norcopinga).[22]

Património histórico, cultural e turísticoEditar

Referências

BibliografiaEditar

  • Ernby, Birgitta; Martin Gellerstam, Sven-Göran Malmgren, Per Axelsson, Thomas Fehrm (2001). «Östergötland». Norstedts första svenska ordbok (em sueco). Estocolmo: Norstedts ordbok. 793 páginas. ISBN 91-7227-186-8 
  • Harrison, Dick (2015). «Alvastra - Klosterruinen vid Omberg». Sveriges historia: 600-1350 (em sueco). Estocolmo: Norstedt. ISBN 978-91-1-302377-9 
  • Eriksson, Leif (2008). «Östergötland». Libers junioratlas (em sueco). Estocolmo: Liber. p. 18. ISBN 9789147808311 
  • Norlin, Arne (1999). «Östergötlands största städer». Östergötland (em sueco). Estocolmo: Natur och Kultur. 24 páginas. ISBN 9127507653 
  • Ottosson, Mats; Ottosson, Åsa (2008). «Vreta kloster och kyrka». Upplev Sverige. En guide till upplevelser i hela landet (em sueco). Estocolmo: Wahlström Widstrand. 527 páginas. ISBN 9789146215998 
  • Pamp, Bengt (1988). «Namn på länder och landskap – Västergötland». Ortnamnen i Sverige (Nomes de localidades da Suécia) (em sueco). Lunda: Studentlitteratur. 199 páginas. ISBN 91-44-01535-6 
  • Rydstedt, Bjarne; Andersson, Georg; Bladh, Torsten; Köhler, Per Olof; Thorén, Karl-Gustaf; Larsson, Mona (1987). «Östergötland». Land och liv 1 (em sueco). Estocolmo: Natur och kultur. 216 páginas. ISBN 91-27-62563-X 
  • Sommar, Carl Olov; et. all. (2018). «Östergötland - Ortnamn». Enciclopédia Nacional Sueca (em sueco). Gotemburgo: Universidade de Gotemburgo 
  • Sporrong, Ulf (2018). «Landskap». Enciclopédia Nacional Sueca (em sueco). Gotemburgo: Universidade de Gotemburgo 
  • Söderström, Svante; Berg, Stig (1995). «Allmäna fakta». Upptäck Östergötland (em sueco). Lincopinga: Turistbol. S. Söderström. 318 páginas. ISBN 91-630-3289-9 
  • Thaning, Olof (1983). «Norrköping». Sverigeboken (em sueco). Estocolmo: Det Bästa. 408 páginas. ISBN 91-7030-101-8 
  • Wahlberg, Mats (2003). «Östergötland». Svenskt ortnamnslexikon (Dicionário das localidades suecas) (em sueco). Upsália: Språk- och folkminnesinstitutet e Institutionen för nordiska språk vid Uppsala universitet. ISBN 91-7229-020-X