Abrir menu principal
Disambig grey.svg Nota: Se procura o jogo eletrônico baseado no filme, veja The World Is Not Enough (jogo eletrônico).
Logo twine us uk a.svg
No Brasil 007 - O Mundo Não É o Bastante[1]
Em Portugal 007 - O Mundo Não Chega[2]
 Reino Unido
 Estados Unidos

1999 •  cor •  128 min 
Direção Michael Apted
Produção Michael G. Wilson
Barbara Broccoli
Roteiro Neal Purvis
Robert Wade
Bruce Feirstein
Elenco Pierce Brosnan
Sophie Marceau
Robert Carlyle
Denise Richards
Robbie Coltrane
Judi Dench
Género filme de ação
filme de aventura
filme de espionagem
Música David Arnold
Música tema:
Garbage
Direção de arte Andrew Ackland-Snow
Figurino Lindy Hemming
Edição Jim Clark
Companhia(s) produtora(s) EON Productions
Distribuição Metro-Goldwyn-Mayer
Lançamento Estados Unidos 19 de novembro de 1999
Reino Unido 26 de novembro de 1999
Portugal 3 de dezembro de 1999
Brasil 24 de dezembro de 1999
Idioma inglês
Orçamento US$ 135 milhões
Receita US$ 361.832.400
Cronologia
Tomorrow Never Dies (1997)
Die Another Day (2002)

The World Is Not Enough (bra: 007 - O Mundo Não É o Bastante; prt: 007 - O Mundo Não Chega) é um filme britano-estadunidense de 1999 dirigido por Michael Apted. É o 19.º filme da franquia 007 no cinema, com Pierce Brosnan pela 3.ª vez no papel do agente secreto britânico James Bond. O título é retirado do romance On Her Majesty's Secret Service, de 1963.

O enredo do filme gira em torno do assassinato do bilionário Sir Robert King pelo terrorista Renard. Bond é enviado para a Turquia com a missão de proteger a filha de King, Elektra. Em sua missão, Bond desvenda um esquema de supervalorização do petróleo, desencadeando uma fusão nuclear nas águas de Istambul.

O filme foi rodado em Espanha, França, Azerbaijão, Turquia e no Reino Unido, com cenas interiores produzidas no Pinewood Studios. Apesar da crítica mista, The World Is Not Enough arrecadou mais de 361 milhões de dólares em bilheterias de todo o mundo. Foi também o primeiro filme da franquia distribuído pela Metro-Goldwyn-Mayer, ao invés da United Artists.

Índice

SinopseEditar

Sir Robert King, um magnata inglês do petróleo, é assassinado dentro do MI6, e 007 é convocado para entrar em ação. Ao receber a missão de proteger a filha de Sir Robert, Elektra King, que planeja continuar a construção de um oleoduto para envio de petróleo da região do Mar Cáspio para o Ocidente, Bond descobre uma estranha relação entre ela e um terrorista internacional, Renard, que no passado havia sequestrado Elektra. Elektra e o terrorista planejam fazer uma bomba de plutônio e explodir todos os oleodutos russos, deixando o dela como o único da região.

ElencoEditar

ProduçãoEditar

 
Submarino russo classe Victor utilizado durante as filmagens.

A direção do filme foi oferecida a Joe Dante e Peter Jackson. Barbara Broccoli, que havia apreciado o trabalho de Jackson em Heavenly Creatures, recebeu uma seleção de cenas de The Frighteners. Contudo, esta última produção não a agradou e a hipótese de contratar Jackson foi suspensa. Fã antigo da série James Bond, Peter Jackson notou que a Eon costuma selecionar diretores menos conhecidos e que, portanto, não teria oportunidades semelhantes após dirigir The Lord of the Rings.[3]

A sequência de abertura dura aproximadamente 14 minutos, sendo a mais longa sequência de abertura da série James Bond até então. No making of contido na edição especial em DVD, o diretor Michael Apted afirmou que a abertura original seria muito mais longa. Originalmente, a sequência de abertura encerrava-se com Bond saltando de uma janela ao chão e fugindo da área com a chegada da polícia. Assim, após os créditos, entraria a sequência do MI6 e a notória cena de perseguição no rio Tâmisa. Contudo, o resultado final foi tido como medíocre em comparação com outras aberturas anteriores, de forma que os créditos foram colocados logo após a primeira cena de perseguição. O jornal britânico The Daily Telegraph publicou uma matéria afirmando que o Governo britânico havia proibido filmagens do MI6, alegando "riscos de segurança". No entanto, tais declarações foram negadas por um porta-voz do Governo.[4]

A pretensão inicial era de lançar o filme em 2000, havendo rumores de que se chamaria Bond 2000. Outros palpites frequentes para o título foram: Death Waits for No Man (A Morte Não Espera por Ninguém), Fire and Ice (Fogo e Gelo), Pressure Point (Ponto de Pressão) e Dangerously Yours (Perigosamente Seu).[5] O título The World Is Not Enough é uma tradução da expressão latina ORBIS NON SUFFICIT, citada em On Her Majesty's Secret Service como o lema da família Bond.[6] A frase é, na realidade, uma derivação do epitáfio de Alexandre, o Grande.[7]

Os roteiristas Neal Purvis e Robert Wade foram contratados após seu trabalho em Plunkett & Macleane.[8] Sem constar nos créditos, Dana Stevens reescreveu o roteiro antes de passá-lo a Bruce Feirstein, que havia trabalhado nos dois filmes anteriores.[9]

FilmagemEditar

 
BMW Z8 semelhante ao usado por James Bond no filme.

A sequência de abertura ocorre em Bilbao, Espanha, com cenas do Museu Guggenheim. Após a abertura, o enrendo desloca-se para Londres, mais especificamente no entorno do Domo do Milênio. Após os créditos inciais, o castelo Eilean Donan, na Escócia, aparece como a sede provisória do MI6. Outras locações são Baku e o povoado Neft Daslari, no Azerbaijão, e Istambul com sua notória Torre de Leandro, na Turquia.[10]

O trabalho de estúdio para o filme foi realizado no Pinewood Studios. A cidade espanhola de Bilbao foi usada brevemente para as cenas exteriores do banco suíço e da parte externa do Museu Guggenheim. Em Londres, as filmagens externas foram nas regiões de Vauxhall Cross e Isle of Dogs, onde produziram-se as cenas de perseguição de barcos durante semanas.[11] Stowe School, em Buckinghamshire, serviu de locação para a mansão da família King à margens do Lomond. A cena de esqui no Cáucaso foi filmada em Chamonix, França.[10]

As tomadas internas e externas do cassino L'Or em Baku foram realizadas na Halton House, também em Buckinghamshire. A base da Real Força Aérea em Norholt foi usada como locação para a pista de pouso no Azerbaijão.[10] Por outro lado, a fábrica de caviar de Zukovsky foi filmada inteiramente nos estúdios em Pinewood.

O exterior da usina nuclear cazaquistanesa é, na realidade, a região de Bardenas Reales, em Navarra. O exterior da refinaria de óleo, por sua vez, teve como locação o prédio da Motorola em Swindon.[12] As cenas dos dutos de petróleo foram filmadas em Gales[13] e no condado inglês de Surrey. A cidade de Istambul foi usada como local de residência de Elektra King, constando ainda a aparição da Torre de Leandro. As cenas submarinas foram obtidas nas Bahamas.[14]

No filme, Bond dirige um BMW Z8, sendo a última aparição contratual da fabricante nos filmes 007. Esta parceria teve início com o BMW Z3 em GoldenEye e prosseguiu com o BM2 750iL em Tomorrow Never Dies.[15]

MúsicaEditar

A trilha sonora de The World Is Not Enough foi a segunda produzida por David Arnold para a série.[16] Arnold quebrou uma tradição ao encerrar o filme com uma reprise do tema de abertura. Originalmente, Arnold almejava usar a canção "Only Myself to Blame" no encerramento, porém, Apted descartou a ideia e canção foi substituída por uma versão remixada do "tema de James Bond".[17] "Only Myself to Blame", composta em parceria com Don Black e interpretada por Scott Walker, é a décima-nona e última faixa do álbum oficial e sua melodia serviu como base ao tema da personagem Elektra King. O tema também é executado nas faixas "Casino" e "I Never Miss".[17] Arnold acrescentou dois novos temas à faixa final, ambos dos quais foram reutilizados no filme seguinte, Die Another Day.

A canção-tema, "The World Is Not Enough" foi composta por David Arnold e Don Black e interpretada por Garbage. É o quinto tema para a série James Bond que conta com a parceria de Black; os anteriores foram "Thunderball", "Diamonds Are Forever", "The Man with the Golden Gun" e "Tomorrow Never Dies". Garbage também contribuiu com a faixa "Ice Bandits", executado durante as cenas de perseguição. A IGN classificou "The World Is Not Enough" como a nona "melhor canção de James Bond de todos os tempos".[18] Em 2012, a Grantland posicionou a canção como a segunda melhor de todos os tempos, perdendo somente para "Goldfinger".[19] A canção também entrou para a lista "Best of 1999" ("Melhores de 1999").

Recepção e críticaEditar

The World Is Not Enough teve sua estreia em 19 e 26 de novembro de 1999 nos Estados Unidos e no Reino Unido, respectivamente. À época, a MGM assinou uma parceria de marketing com a MTV, primariamente visando o público mais jovem, já que Bond era considerado já um tipo de "agente secreto ultrapassado". Como resultado, a MTV transmitiu mais de 100 horas de programação relacionada ao personagem logo após o lançamento do filme.

O filme estreou no topo das bilheterias norte-americanas com 35.5 milhões de dólares. Sua arrecadação mundial fechou em 361 milhões de dólares, sendo 126 milhões somente em território americano. Tornou-se o mais rentável filme da série James Bond de todos os tempos, recorde que manteve até o llançamento de Die Another Day. O filme também foi selecionado para a primeira rodada de indicações ao Oscar de melhores efeitos visuais, mas não foi bem-sucedido. Foi indicado a um Saturn Award de "Melhor Filme de Ação/Aventura/Suspense"; o protagonista Pierce Brosnan faturou o Empire Award e o Blockbuster Entertainment Award, ambos na categoria de "Melhor Ator", já David Arnold recebeu o BMI Film Music Award. Por outro lado, The World Is Not Enough foi o primeiro filme de James Bond a receber uma Framboesa de Ouro; Denise Richards foi escolhida como "Pior Atriz Coadjuvante" de 1999. Richards e Brosnan também foram indicados na mesma premiação na categoria "Pior Casal em Cena".

O lançamento inicial em DVD inclui o bônus "Secrets of 007", um making of produzido durante o filme; o documentário "The Making of The World Is Not Enough"; duas faixas de comentários adicionais do elenco e do diretor Michael Apted e outros do designer de produção Peter Lamont; um trailer do jogo eletrônico e um videoclipe de Garbage. A edição exclusiva relançada em 2006 possui um mini-documentário chamado "Bond Cocktail", com cenas e um tributo a Desmond Llewelyn.

Prêmios e indicaçõesEditar

Referências

  1. «007 - O Mundo Não É o Bastante». Brasil: AdoroCinema. Consultado em 21 de novembro de 2018 
  2. «007 - O Mundo Não Chega». Portugal: SapoMag. Consultado em 21 de novembro de 2018 
  3. Sibley, Brian (2006). «Peter Jackson: A Film-maker's Journey» 
  4. «Bond is backed...by the government». The Guardian. 27 de abril de 1999 
  5. «TWINE & The Rumoured Titles». Commander Bond. 26 de junho de 2001 
  6. Gray, Ali (24 de outubro de 2012). «25 things you probably didn't know about James Bond». IGN 
  7. «Famous Epitaphs – Unusual Epitaphs and Tombstones – Famous Eulogies – Great Eulogies – Free Eulogy Samples». Eulogy Speech 
  8. Priggé, Steven. «Movie moguls speak: interviews with top film producers» 
  9. Dye, Kerry Douglas (15 de novembro de 1999). «His Word is Bond: An Interview With 007 Screenwriter Bruce Feirstein». LeisureSuit.net 
  10. a b c «Filming locations for The World Is Not Enough (1999)». IMDb 
  11. «'British Waterways' Film Map: Canals and rivers on screen». Water Escape 
  12. «Motorola building». SwindonWeb 
  13. «Wales hosts Hollywood blockbusters». Visit Wales 
  14. The Making of The World Is Not Enough (DVD). Danjaq. 1999.
  15. «Bond's four-wheeled dilemma». BBC News. 3 de abril de 2000 
  16. [""The World Is Not Enough" OST review «"The World Is Not Enough" OST review»] Verifique valor |url= (ajuda). Allmusic.com 
  17. a b «David Arnold Official Website» 
  18. Spence D. (17 de novembro de 2006). «Top 10 James Bond Theme Songs». IGN 
  19. «What's the Greatest Bond Song of All Time?». Grantland. Consultado em 24 de dezembro de 2015. Arquivado do original em 29 de julho de 2013 
  Este artigo sobre um filme britânico é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.