Abrir menu principal

1.º governo da regência do Príncipe D. João

O 1.º governo da regência do Príncipe D. João, constituído a 6 de Janeiro de 1801 e exonerado a 15 de Abril de 1804, foi presidido pelo Duque de Lafões, na qualidade de ministro assistente ao despacho (se bem que o cargo de chefe de governo não estava ainda definido), sendo o executivo encabeçado pelo próprio D. João, Príncipe Regente, que exercia a regência por incapacidade da rainha D. Maria I.

Governos da
Monarquia Absoluta
(a partir da reforma administrativa de 1736)

Coat of Arms of the Kingdom of Portugal (1640-1910).png

A 6 de Janeiro de 1801, as secretarias de Estado dos Negócios da Guerra e a dos Negócios Estrangeiros foram separadas, mas logo se voltaram a unir em 23 de Julho de 1801.[1]

A sua constituição era a seguinte:[1]

Cargo Detentor Período
Ministro Assistente
ao Despacho
Duque de Lafões 6 de Janeiro de 1801 a 14 de Abril de 1804
Secretário de Estado dos
Negócios Interiores do Reino
Visconde de Balsemão 6 de Janeiro de 1801 a 14 de Abril de 1804
Secretário de Estado dos
Negócios da Marinha
João Rodrigues de Sá e Melo 6 de Janeiro de 1801 a 15 de Abril de 1804
Secretário de Estado dos
Negócios Estrangeiros
Luís Pinto de Sousa Coutinho (interino) 6 de Janeiro de 1801 a 21 de Maio de 1801
Rodrigo de Sousa Coutinho 21 de Maio de 1801 a ?
Secretário de Estado dos
Negócios da Guerra
António de Araújo e Azevedo 21 de Maio de 1801 a ?
Duque de Lafões ? a 1 de Julho de 1801
Secretário de Estado dos
Negócios Estrangeiros e da Guerra
João de Almeida Melo e Castro 23 de Julho de 1801 a 23 de Agosto de 1803
João Rodrigues de Sá e Melo 23 de Agosto de 1803 a
Visconde de Balsemão (interino) 25 de Agosto de 1803 a ?
João Rodrigues de Sá e Melo (interino) 5 de Dezembro de 1803 a ?
Conde de Vila Verde 5 de Abril de 1804 a 15 de Abril de 1804
Secretaria de Estado dos
Negócios da Fazenda
Rodrigo de Sousa Coutinho 6 de Janeiro de 1801 a 1804

GaleriaEditar

Referências

  Este artigo sobre História de Portugal é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.