Abrir menu principal

Década de 1990

(Redirecionado de 1990s)
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde fevereiro de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

A década de 1990, também referida como década de 90 ou ainda anos 90, compreende o período de tempo entre 1º de janeiro de 1990 e 31 de dezembro de 1999.

SÉCULOS: Século XIXSéculo XXSéculo XXI
DÉCADAS: 19401950196019701980199020002010202020302040
ANOS: 19871988198919901991199219931994199519961997

Índice

Visão geralEditar

Os anos 90 iniciaram com o colapso da União Soviética e o fim da Guerra Fria, sendo esses seguidos pela consolidação da democracia, globalização e capitalismo global. Fatos marcantes para a década foram a Guerra do Golfo e a popularização do computador pessoal e da Internet. A prosperidade econômica experimentada por muitos países durante a década de 1990 foi de natureza semelhante a que foi experimentada nas décadas de 1920 e 1950. Cada período de prosperidade foi o resultado de uma mudança de paradigma nos assuntos globais. As mudanças nas décadas de 1990 ocorreram em parte como resultado da conclusão da Guerra Fria.

Otimismo e esperança seguiram o colapso do Comunismo, mas os efeitos colaterais do fim da Guerra Fria estavam só começando, como o advento terrorista em regiões do Terceiro Mundo, especialmente na Ásia. O Primeiro Mundo experimentou crescimento econômico estável durante toda a década. O Reino Unido, depois de uma recessão em 1991-92 e a desvalorização da libra, conseguiu 51 bimestres seguidos de crescimento que se seguiram no novo século. Até nações com menor representatividade econômica como a Malásia tiveram aperfeiçoamentos gigantescos. Mas deve-se notar que a economia dos Estados Unidos permaneceu sem crescimento durante a primeira metade da década.

Muitos países, instituições, companhias e organizações consideraram os anos 90 como "tempos prósperos".

Politicamente, os anos 90 foram de democracia expansiva. Os antigos países do Pacto de Varsóvia logo saíram de regimes totalitários para governos eleitos. O mesmo ocorreu com países em desenvolvimento (Taiwan, Chile, África do Sul e Indonésia).

Apesar da prosperidade e democracia, houve um "lado maléfico" significativo. Na África, o aumento nos casos de AIDS e inúmeras guerras levaram á diminuição da expectativa de vida e nada de crescimento econômico. Em ex-nações soviéticas, havia fuga de capital e o PIB decrescente. Crises financeiras nos países em desenvolvimento foram comuns depois de 1994, apoiados pela globalização. E eventos trágicos como as guerras dos Bálcãs, genocídio de Ruanda, a Batalha de Mogadíscio e a primeira Guerra do Golfo, assim como o crescimento do terrorismo, levou à idealização do choque de civilizações. Mas esses fatos foram apenas relembrados com relevância na década de 2000.

A cultura jovem aceitou o Grunge como mídia e foi muito diversificada se ramificando em tribos num universo social muito diverso que foi desde o superficialismo e consumismo até a militância ambientalista e antiglobalizante. A expressão nas roupas e através de tatuagens e piercings também foi marcante, bem como o consumo de drogas com o surgimento do ecstasy ligado a cultura de música eletrônica o aumento no consumo de maconha na classe média. No Brasil o jovem se viu envolvido cada vez mais com sexo em idade precoce e também foi vitima do aumento da violência nos grandes centros urbanos.

No BrasilEditar

Os anos 90 começaram com instabilidade, com o confisco de poupanças do presidente Fernando Collor. Os negócios escusos de Collor mais tarde levariam milhares de jovens (mobilizados por uma forte campanha de mídia) a criarem o movimento dos "caras-pintadas" e pedirem seu impeachment.

 
O Plano Real é lançado em 1994.

No governo seguinte (Itamar Franco), o país experimentou estabilidade econômica e crescimento com o Plano Real (1994), que igualava a paridade da moeda e do dólar por meio de uma banda cambial. O Ministro da Fazenda que implementou o Real, Fernando Henrique Cardoso, se elegeria presidente por duas vezes seguidas naquela década, ganhando sua reeleição após mudar a Constituição. O sistema de bandas cambiais mostrou fragilidades ao fim da década, tendo impactos no aumento da pobreza. Com as reservas cambiais comprometidas, a moeda tornou-se flutuante em janeiro de 1999, após não suportar as pressões especulativas junto à crise russa de 1998.

A cultura brasileira tornou-se mais valorizada, com a ressurreição do cinema e a boa recepção de músicos brasileiros no exterior. O esporte também passou por bons momentos, com 25 medalhas olímpicas e títulos mundiais no futebol masculino e basquete feminino.

TecnologiaEditar

Os anos 90 trouxeram um grande desenvolvimento tecnológico, tornando populares e aperfeiçoando tecnologias inventadas na década de 80.

 
O videogame Super Nintendo é um ícone dos anos 90, lançado em 1990, vendeu 50 milhões de unidades pelo mundo durante essa década.

CiênciaEditar

Guerras e políticaEditar

 
George Bush no Iraque
 
Em Moscou, Boris Iéltsin deixa a presidência após uma década de pesadelos. Vladimir Putin assume como promessa de reconstruir a Rússia.

EconomiaEditar

 
Com a assinatura do Tratado de Assunção, o Mercosul é ratificado em 1991.
 
Em 1997 a Princesa Diana morre em um acidente de carro em Paris, na França.

OutrosEditar

  • O impacto do ser humano no meio ambiente se torna mais reconhecido.
  • Divórcio e escândalo na Família Real Britânica.
  • Mortes (controversa) de Kurt Cobain, vocalista da banda de Grunge, Nirvana, Stevie Ray Vaughan músico de blues e um dos maiores guitarristas da história.
  • Os atentados de Oklahoma City, no qual um terrorista americano explode prédios federais e mata 168.
  • O cantor e compositor Cazuza, símbolo da rebeldia da juventude dos anos 80, morre no começo da década aos 32 anos em 7 de julho de 1990.
  • Crime nos EUA sobe em 1991, e começa a cair no ano seguinte. No Brasil, aumenta.
  • Freddie Mercury, vocalista do grupo Queen, morre em decorrência da AIDS, no ano de 1991.
  • Os dois maiores astros da música pop vem ao Brasil pela primeira vez: Michael Jackson em 1993 (em carreira solo, pois com o grupo Jackson Five veio ao país em 1974) e Madonna, no mesmo ano.
  • O surgimento do protesto em massa com o governo de Clinton e bandas anti-políticas como Rage Against The Machine mexem com o gosto da população e se torna mundialmente famosa pelas suas entrevistas pesadas na televisão mundial contra o governo.
  • A atriz Daniella Perez que atuava na novela de sua mãe Glória Perez, De Corpo e Alma é assassinada com golpes de punhal pelo colega de elenco Guilherme de Pádua e sua até então mulher Paula Thomaz (hoje Paula Nogueira Peixoto) em 28 de dezembro de 1992 causando comoção popular.
  • Morre, aos 27 anos, o vocalista da banda Nirvana, Kurt Cobain, em abril de 1994. A banda estava no auge do sucesso e, até hoje, é uma das melhores bandas de grunge que já existiu.
  • O grupo Mamonas Assassinas se consolida como o maior fenômeno da música brasileira com o maior número de vendagem de discos em menos tempo no ano de 1995. No ano de 1996, o grupo sofre um acidente de avião que tirou a vida de todos os integrantes da banda.
  • O polêmico rapper Tupac Shakur é assassinado na cidade de Las Vegas em 1996.
  • Princesa Diana morre em um acidente de carro (controverso) em 1997.
  • Madre Teresa de Calcutá morre aos 87 anos.
  • O golfista Tiger Woods vence o Torneio de Masters, sendo o mais jovem (21) e o primeiro negro a fazê-lo.
  • Massacre de Columbine: dois estudantes americanos matam 12 colegas e se suicidam na sua escola em Littleton, Colorado.
  • John F. Kennedy, Jr., a esposa e a cunhada morrem num acidente de avião.
  • Lance Armstrong ganha a Volta da França em 1999, dois anos após um câncer de testículo.
  • Renato Russo vocalista da banda Legião Urbana morre em decorrência da AIDS no dia 11 de outubro de 1996, causando o fim da banda no mesmo ano.

LíderesEditar

MúsicaEditar

O Grunge, subgênero do Rock, foi sem dúvidas o gênero que mais fez sucesso nesse período: Nirvana, Alice in Chains, Pearl Jam, Foo Fighters, Soundgarden, Stone Temple Pilots, The Smashing Pumpkins impactaram durante toda decada, dando influência a outras bandas que dominam até hoje o mundo musical como Linkin Park e Coldplay. O fim da década de 90 foi marcado pelo ressurgimento do Punk Rock e surgimento do Pop Punk, marcados pelas bandas Green Day, blink-182, The Offspring, que continuaram a fazer sucesso na década posterior. A MTV tem seu auge ao abrir canais em vários países, com a popularização da TV a cabo. É importante destacar a banda britânica Oasis, que possuía uma forte influência dos Beatles. Outras bandas de grande destaque foram o Rage Against the Machine, que teve uma grande influência sobre o gênero nu metal na década posterior, e os Red Hot Chili Peppers, cujo som era uma mistura de funk, hard rock, rock alternativo, punk e soul.

Um grande fenômeno, sobretudo na segunda metade da década, foi o Teen Pop, ou simplesmente "Pop adolescente", tendo como as principais representantes femininas Britney Spears e Christina Aguilera. Também por grupos de rapazes, as famosas Boy bands, como Backsteet Boys, 'N Sync, Westlife, Five e outras. Grupos de garotas também, como o fenômeno Spice Girls.

Outro gênero de grande destaque foi o Rap americano, que passou a ganhar notoriedade mundial nessa década. Nomes como: 2Pac, Notorious B.I.G., Snoop Dogg, Puff Daddy, Wu-Tang Clan, Dr. Dre, Ice Cube e Cypress Hill explodiram de popularidade. Foi também ao final dessa época que DMX e Eminem ganharam popularidade.

Vale destacar também a ascensão da musica Eletrônica ao mainstream. Marginalizada até a década de '80 ela ganhou notoriedade após Madonna trabalhar com produtores de House no inicio dos anos '90. Durante este período músicas como "Pump Up the Jam" do Technotronic e "I've Got the Power" do Snap! explodiram em todas as rádios, dando início a novas tendências mundiais. Não demorou muito para outros estilos de Eletrônica aparecerem no mercado, como o nascimento do Drum 'N Bass e do surgimento do Techno, que foi o precedente de outras influências como o Trance e o Psy. Nomes como: The Prodigy, Moby, Fatboy Slim, Culture Beat, Daft Punk, 2 Unlimited, Rozalla, Gigi D'Agostino, entre outros... também fizeram enorme sucesso.

No Brasil, a Lambada explode no início da década com o sucesso da novela Rainha da Sucata, o Sertanejo também aparece com muita força puxadas por diversas duplas sertanejas que fizeram grande sucesso como Leandro & Leonardo (até a morte de Leandro em 1998), Chitãozinho & Xororó, Zezé di Camargo & Luciano e outras duplas e artistas notórios do gênero na época, como Roberta Miranda e Sula Miranda. O Pagode também foi representado com bastante louvor vários grupos se destacando: Raça Negra, Exaltasamba, Só Pra Contrariar, Molejo, Soweto e Katinguelê. Já o Samba teve Zeca Pagodinho como grande destaque; a música baiana (axé music, samba-reggae e pagode baiano) também foi mania nacional com Daniela Mercury que ficou conhecida como a "rainha da Axé music" emplacou 10 músicas em primeiro lugar na parada oficial brasileira e vendeu mas de dez milhões de discos, o conjunto É o Tchan, Banda Eva de onde saiu para carreira solo a baiana Ivete Sangalo; o grande destaque foi o Funk Carioca ou Funk Melody que despontou principalmente com a dupla Claudinho & Buchecha mas também se destacaram Mc Marcinho e Cidinho & Doca; no Rock Brasileiro destaca-se as bandas Skank, Jota Quest, Raimundos, Planet Hemp, O Rappa, Charlie Brown Jr., Los Hermanos, Sepultura e Angra. O Conjunto Musical Mamonas Assassinas foi destaque nacional vendendo em seu único disco mais de 1 milhão e 800 mil cópias, porém um ano após estourarem o conjunto inteiro faleceu num acidente aéreo em São Paulo. No Rap nacional o grupo Racionais MC's fizeram enorme sucesso com seu discurso politizado e contundente. Outro nome relevante foi o de DJ Marky. Vindo da periferia de São Paulo ele foi o principal nome que introduziu o Drum 'N Bass no cenário musical brasileiro, criando tendências que marcaria a musica Eletrônica no mundo inteiro.

TelevisãoEditar

 
Na Copa dos Estados Unidos (1994), a seleção do Brasil conquistou o tetracampeonato.

Diversões eletrônicas e outras curiosidadesEditar

  • Os videogames se aperfeiçoam, com Sega e Nintendo brigando pelo mercado no começo da década com seus videogames Super Nintendo e Sega Mega Drive. Na metade da década ocorre a entrada da Sony com o PlayStation em 1995, o primeiro console a apostar maciçamente em gráficos 3D, forçando suas concorrentes a se adaptarem a nova tendência lançando consoles como o Nintendo 64 e o Sega Saturn. Com o fracasso do Sega Saturn, planejado inicialmente para rodar jogos 2D mas que de última hora foi adaptado para jogos 3D no final de seu processo de criação, em 1998 a Sega lança o primeiro video-game 128 bits do mundo, o Dreamcast, trazendo gráficos e mecânicas nunca vistos até então, devido ao maior grau de realismo em seus jogos (em comparação com os jogos lançados pelas suas concorrente na época), antecipando a tendência da década seguinte de criar jogos mais realistas.
  • Jogos para computadores acompanham a popularização dos PCs, como Doom e Civilization.
  • Inicia-se a febre Pokémon, que contagia crianças do mundo todo.
  • Os arcades/fliperamas começam a decair.
  • O Tamagochi vira moda no fim da década.
  • Parques de diversões como Hopi Hari, Terra Encantada, Parque do Gugu, Wet'n Wild, Beto Carrero World e outros começaram a operar no final da década, trazendo a tecnologia avançada de parques internacionais para o Brasil.
  • Reality shows, seguindo o estilo de The Real World da MTV.
  • Esportes radicais experimentam aumento de popularidade, e ganham torneio atual na ESPN, os X-Games.
  • Dogma 95 é a principal inovação no cinema artístico.
  • Esportes recreacionais incluem escalada, mountain bike, skydiving, snowboarding, alpinismo, bungee jumping, patins in-line e remo.
  • Douglas Coupand cunha o termo Geração X, que passa a designar a geração nascida nos 60 e 70.
  • "Girl power", termo usado pelo girl group Spice Girls, defendia a igualdade entre os sexos e o poderio feminino, além da força da amizade feminina, fazendo repressão ao machismo.
  • Quadrinhos/BD começam a decair entre jovens, especialmente por causa do mangá. A Marvel e a DC Comics começam a ter sua primazia diminuída por editoras como: Image Comics. Assim como também histórias on-line começam a ser criadas.

ModaEditar

  • Durante a primeira metade da década, a moda continua similar a dos anos 80, porém com alguns estilos em surgimento. O mais popular: grunge, dominaria o cenário mais à frente.
  • Com o grunge ganhando força: Cabelos grandes e desarrumados; Jeans rasgados; Bandanas, pochetes e jardineiras tornam-se uma marca. Sendo usadas por homens e mulheres, virando uma espécie de "uniforme".
  • Preto se torna a cor predominante na moda.
  • Das ruas às passarelas, o estilo gótico, conhecido por abusar de cores escuras, e roupas de matérias pesados, fazem a cabeça dos jovens e torna-se um sucesso.
  • No público feminino, a moda passa por uma grande transformação na metade da década, ganhando referências de épocas anteriores. Dos anos 60: As roupas com cores claras, tiaras, cabelos curtos, com franjas, e até o famoso corte "Joãozinho". Já dos anos 70, foram os calçados desproporcionais: Plataformas e tamancos fechados de couro sintético e madeira, vestidos longos e também as famosas gargantilhas e tatuagens temporárias.
  • No público Masculino, passa-se a usar mais as peças em jeans, mantendo a tendência que ganhou bastante força na década de 80 e que prevaleceu também durante aquela fase. Com influências do grunge, os sucessos nos guarda-roupas dos homens eram: Camisas xadrez ou de flanela amarrada na cintura e camisetas estampadas com fotos de bandas famosas. Durante a metade da década, o armário masculino também recebe o acrescento do estilo Hip-hop, famoso pelas: Calças mais largas (baggys), camisas de manga longa e jaquetas de times esportivos.
  • No Brasil e grande maioria do mundo, a moda da cintura para cima (acima do umbigo), usada principalmente entre o sexo feminino, começa a sair de moda a partir de 1997, dando lugar as calças ou shorts de cintura baixa (que mostram barriga e umbigo). Só a partir de 1998, as mulheres adultas começam a adotar o novo estilo. Em 1999, a cintura alta já era considerada "algo do passado" e havia sido praticamente extinta do guarda-roupa dos jovens e adultos modernos.
  • O estilo hippie também voltou durante o fim da década. Para as mulheres, foram as calças boca-de-sino que tiveram releitura; Para os homens adolescentes foram: Os cabelos longos e com dreads; Moletons coloridos com calças largas, junto de roupas que chamavam a atenção para causas políticas ou à natureza.
  • No fim da década, bem como na de 2000, houve um resgate do estilo punk rock dos anos 80, sendo trazido e modernizado por bandas como blink-182 e Green Day. Caracterizado por camisetas e moletons largos, bermudas e calças dickies, meias na altura da canela, toucas e capuzes, piercings, tatuagens e cabelos coloridos. O estilo punk 90's foi uma febre entre os jovens até os primeiros anos da década seguinte.

DesportoEditar

Ligações externasEditar