2.º governo de José I de Portugal

O 2.º governo de José I de Portugal, constituído a 6 de Maio de 1756 e substituído a 14 de Março de 1777, foi presidido por Sebastião José de Carvalho e Melo (subsequentemente elevado aos títulos de Conde de Oeiras e, mais tarde, Marquês de Pombal, durante a incumbência do cargo), na qualidade de secretário de Estado dos Negócios Interiores do Reino (se bem que o cargo de chefe de governo não estava ainda definido), sendo o executivo encabeçado pelo próprio D. José I.

Governos da
Monarquia Absoluta
(a partir da reforma administrativa de 1736)

Coat of Arms of the Kingdom of Portugal (1640-1910).png

Após a morte de D. José, em 1777, o Marquês de Pombal apresentou a sua demissão, que foi aceite por D. Maria por decreto de 4 de Março de 1777.[1] Os secretários de Estado da Marinha e dos Negócios Estrangeiros haviam de ser reconduzidos no cargo durante o próximo governo.

A sua constituição era a seguinte:[2]

Cargo Detentor Período
Secretário de Estado dos
Negócios Interiores do Reino
Sebastião José de Carvalho e Melo/Conde de Oeiras/Marquês de Pombal[Nota 1] 6 de Maio de 1756 a 4 de Março de 1777
Secretário de Estado Adjunto dos
Negócios Interiores do Reino
José de Seabra da Silva 3 de Junho de 1771 a 17 de Janeiro de 1774
Aires de Sá e Melo 15 de Fevereiro de 1775 a ?
Secretário de Estado dos
Negócios da Marinha
Diogo de Mendonça Corte-Real 6 de Maio de 1756 a 7 de Setembro de 1756
Luís da Cunha Manuel (interino) 7 de Setembro de 1756 a 5 de Outubro de 1756
Tomé Joaquim da Costa Corte-Real 5 de Outubro de 1756 a 20 de Março de 1760
Francisco Xavier de Mendonça Furtado 20 de Março de 1760 a 15 de Novembro de 1769
Martinho de Melo e Castro 12 de Julho de 1770 a 14 de Março de 1777
Secretário de Estado dos
Negócios Estrangeiros e da Guerra
Luís da Cunha Manuel 6 de Maio de 1756 a Junho de 1776
Aires de Sá e Melo Junho de 1776 a 14 de Março de 1777

GaleriaEditar

NotasEditar

  1. A partir de 15 de Julho de 1759, foi-lhe atribuído o título condal, e a partir de 16 de Setembro de 1769, foi-lhe atribuido o título marquesal.

Referências

  Este artigo sobre História de Portugal é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.