Abrir menu principal

A9 (autoestrada)

A9-PT.svg


A9 - Autoestradas de Portugal
Nome: Circular Regional Exterior de Lisboa (CREL)
Traçado actual: EN6-3 - Alverca
Traçado previsto: EN6-3 - Alverca
Tráfego médio diário: 20 398[1] Ano: 2017 (Dez.)
A9
35
Cruza com: Concessionário: Regime:
 A 1 ,  A 5 ,  A 8 ,
 A 10 ,  A 16 ,  A 37 ,
 A 40 , N 6-3, N 115,
N 116, N 250
Brisa Portagens
Mapa da autoestrada A9

A  A 9  - Circular Regional Exterior de Lisboa (CREL) é uma autoestrada portuguesa que, tal como o nome indica, constitui o anel exterior à cidade de Lisboa. Facilita as ligações entre a Costa do Estoril, a oeste da capital, e o eixo urbano AlvercaVila Franca de Xira, que estabelece as principais ligações ao norte do país.

Tem início junto ao Estádio Nacional do Jamor, no Vale do Jamor, mais concretamente, a Estrada Nacional 6-3 e, com uma orientação circular predominantemente sudoeste - nordeste, articula-se ao longo do seu percurso com alguns dos principais acessos a Lisboa, quer a nível regional (  IC 19 ,  A 16 ,  IC 22  ) quer inter-regional (  A 8 ,  A 10  ). Passa junto a Queluz (onde se fez honra em preservar o Monumento Natural de Carenque, com as suas jazidas de pegadas de dinossauros), a Odivelas e a Loures e termina, após 35 km, em Alverca, na confluência com a principal auto-estrada de Portugal, a  A 1 .

Apesar de não passar, na totalidade do seu percurso, a mais de 20 km do centro de Lisboa, desenrola-se quase totalmente em ambientes semiurbanos e rurais – junto a vilas e aldeias dos arredores da capital. Desenvolve-se também em terrenos bastante montanhosos, obrigando a mais de 15 viadutos e a 2 túneis. Atravessa, em diferentes áreas, os concelhos de Oeiras, Sintra, Amadora, Odivelas, Loures e Vila Franca de Xira.

Está concessionada à Brisa e depois de nos primeiros meses de funcionamento ter tido portagens na totalidade do percurso, estas foram abolidas em dezembro de 1995. Em 1 de janeiro de 2003 as portagens foram reintroduzidas, decisão que, já na altura, motivou bastante polémica. Actualmente, um percurso entre os dois extremos da  A 9  custa 2,95 euros para um veículo Classe 1.

Índice

TúneisEditar

Dados os terrenos em que esta autoestrada se desenvolve, foi necessária a construção de dois túneis, um a cerca de 7 km do outro. O Túnel de Carenque, situado ao quilômetro 9 e, com cerca de 200 metros de extensão, destina-se a atravessar a Serra da Carregueira, próxima a Belas, Sintra. O outro túnel, o Túnel de Montemor, situado ao quilômetro 17, com cerca de 650 metros, atravessa a Serra da Amoreira, na freguesia de Caneças, Odivelas.

Histórico de TroçosEditar

Troço Situação (2010) [2] km
EN6-3 - Queluz Em serviço (1994)
4,2
Queluz - Alverca Em serviço (09/1995)
31,5

CapacidadeEditar

PerfilEditar

Troço Perfil Extensão
EN6-3 - Alverca
 
35 km

Tráfego[3]Editar

Troço Tráfego Médio Mensal,

setembro de 2016

EN6-3 - Queluz (A36) 26.535
Queluz - A16 22.716
A16 - Radial da Pontinha 32.417
Radial da Pontinha - Radial de Odivelas (A40) 20.997
Radial de Odivelas (A40) - A8 21.642
A8 - Bucelas (Zambujal) 20.721
Bucelas (Zambujal) - A10 12.892
A10 - Alverca (A1) 7.540

Incidente de 2010Editar

A 24 de Janeiro de 2010, pelo meio da tarde, junto a Belas, imediatamente após o nó com a recém-aberta autoestrada  A 16 , uma violenta derrocada num terreno montanhoso próximo lançou centenas de quilos de terra e pedras para o meio da via, ocupando e danificando os dois sentidos. Não houve registo de qualquer acidente rodoviário provocado por esta situação, contudo, o troço em questão teve que ser cortado, tendo sido criado um desvio alternativo através da N 250, paralela ao troço danificado, obrigando a alguns congestionamentos. A 25 de Fevereiro de 2010, o troço foi reaberto na sua totalidade.

SaídasEditar

Áreas de ServiçoEditar

  •   Área de Serviço CREL Sul (km 7) Encerrada  
  •   Área de Serviço CREL Norte (km 22)  

Referências

  1. Relatório de Tráfego na Rede Nacional de Autoestradas – 4.º trimestre de 2017 (PDF) (Relatório). Instituto de Mobilidade e dos Transportes. Fevereiro de 2018. p. 17. Consultado em 18 de Maio de 2018. 
  2. «Cópia arquivada». Consultado em 10 de março de 2013.. Arquivado do original em 13 de maio de 2015 
  3. «Tráfego Médio Mensal das autoestradas de Portugal» (PDF) 

Ligações externasEditar