Abrir menu principal
Brasil Open
ATP de São Paulo
Ginasio Ibirapuera.jpg
Ginásio do Ibirapuera no canto inferior direito
Detalhes
Local Ginásio do Ibirapuera
Brasil São Paulo, Brasil
Organização Associação de Tenistas Profissionais (ATP)
Direção Luis Felipe Tavares
Categoria ATP 250
Piso saibro (coberto)
Premiação US$ 618.810
Participantes 28 simplistas (principal)
16 simplistas (qualificatório)
16 duplas
Quadras Centre Court
Court 1
Página oficial brasilopen.com.br
Tennisball current event.svg Edição atual
Atualizado em: 3 de março de 2019

O Brasil Open é uma competição de tênis disputada anualmente no Brasil. É um torneio de categoria ATP 250 sob incumbência da ATP. A partir da temporada de 2012, sua sede passa para a cidade de São Paulo.

Entre os anos 1970 e 1990, o torneio teve sua primeira fase, para voltar nos anos 2000.

HistóriaEditar

Entre 2001 e 2011, o torneio foi disputado na Costa do Sauipe, no estado da Bahia. Primeiramente, era disputado em quadra rápida, logo após a realização do US Open. Em 2004, o piso foi alterado para o saibro e o evento passou a ser disputado no mês de fevereiro. O campeão é laureado com uma pontuação de 250 pontos no "Ranking de Entradas", além de embolsar uma quantia de US$ 75.700 (premiação de 2010, o valor costuma mudar a cada ano).

O ATP da Costa do Sauipe foi o responsável por trazer de volta ao Brasil um torneio ATP pontuando no circuito internacional de tênis. O Brasil teve torneios ATP entre 1986 e 1993, sendo que entre 1989 e 1992 havia dois no país. Entre 1986 e 1990 o Aberto de Itaparica teve cinco edições, tendo entre seus vencedores renomados nomes, como o - então "jovem promessa" - norte-americano Andre Agassi e o - então veterano - sueco Mats Wilander, que ganhou na Bahia seu último torneio profissional.

Entre 1991 e 1993, o torneio foi substituído pelo Banespa Open, que já era disputado desde 1987, mas só a partir de 1991 como um torneio ATP. Houve uma primeira edição do São Paulo Open em 1976 que também valeu pontos para o circuito da ATP, e com uma histórica final entre o sueco Bjorn Borg e o argentino Guillermo Vilas, a qual é considerada a maior e melhor partida de tênis já disputada no Brasil.

Ao mesmo tempo, foram disputados, também como Torneios ATP, o Aberto do Rio de Janeiro em 1989 e 1990, e o Aberto de Búzios entre 1991 e 1992. Assim como o Brasil Open, estes torneios deram a oportunidade para que alguns dos tenistas Nº 1 do Brasil viessem a ampliar as conquistas do país em títulos de ATP.

A partir de 2012, a competição passou a ser disputada na cidade de São Paulo, com jogos no Ginásio do Ibirapuera. Em 2016, mudou-se para o Esporte Clube Pinheiros, mas permaneceu no local até o ano seguinte. Em 2018, retornou ao Ibirapuera.[1]

FinaisEditar

SimplesEditar

Ano Campeão Vice-campeão Resultado
2019   Guido Pella   Christian Garín 7–5, 6–3
2018   Fabio Fognini   Nicolás Jarry 1–6, 6–1, 6–4
2017   Pablo Cuevas   Albert Ramos Viñolas 36–7, 6–4, 6–4
2016   Pablo Cuevas   Pablo Carreño Busta 7–6, 6–3
2015   Pablo Cuevas   Luca Vanni 6–4, 3–6, 7–6
2014   Federico Delbonis   Paolo Lorenzi 4–6, 6–3, 6–4
2013   Rafael Nadal   David Nalbandian 6–2, 6–3
2012   Nicolás Almagro   Filippo Volandri 6–3, 4–6, 6–4
Torneio não realizado nesta cidade entre 2011 e 1994
1993   Alberto Berasategui   Slava Dosedel 6–4, 6–3
1992   Luiz Mattar   Jaime Oncins 6–1, 6–4
1991   Christian Miniussi   Jaime Oncins 2–6, 6–3, 6–4
1990   Robbie Weiss   Jaime Yzaga 3–6, 7–6, 6–3
1989   Martin Jaite   Javier Sánchez 7–6, 6–3
1988   Jay Berger   Horacio de la Peña 6–4, 6–4
1987   Jaime Yzaga   Luiz Mattar 6–2, 4–6, 6–2
1982   José Luis Clerc   Marcos Hocevar 6–2, 6–7, 6–3
1980   Wojtek Fibak   Vincent Van Patten 6–0, 7–6
1976   Bjorn Borg   Guillermo Vilas 7–6, 6–2

DuplasEditar

Ano Campeões Vice-campeões Resultado
2019   Federico Delbonis
  Máximo González
  Luke Bambridge
  Jonny O'Mara
6–4, 6–3
2018   Federico Delbonis
  Horacio Zeballos
  Juan Sebastián Cabal
  Robert Farah
6–3, 5–7, [10–3]
2017   Rogério Dutra Silva
  André Sá
  Marcus Daniell
  Marcelo Demoliner
7–65, 5–7, [10–7]
2016   Julio Peralta
  Horacio Zeballos
  Pablo Carreño Busta
  David Marrero
4–6, 6–1, [10–5]
2015   Juan Sebastián Cabal
  Robert Farah
  Paolo Lorenzi
  Diego Schwartzman
6–4, 6–2
2014   Guillermo García-López
  Philipp Oswald
  Juan Sebastián Cabal
  Robert Farah
5–7, 6–4, [15–13]
2013   Alexander Peya
  Bruno Soares
  František Čermák
  Michal Mertiňák
56–7, 6–2, [10–7]
2012   Eric Butorac
  Bruno Soares
  Michal Mertiňák
  André Sá
3–6, 6–4, [10–8]

Ligações externasEditar