Abrir menu principal

A Paz (canção de Gilberto Gil)

A Paz, também chamada Leila 4, é uma canção de Gilberto Gil e João Donato composta em 1986. Segundo Gil: "A imagem dele [João Donato] dormindo sossegado, em plena luz do dia, me chamou a atenção para o sentido da paz." O autor se referia a uma visita à sua casa que Donato fizera, levando diversas canções chamadas "Leila" e enumeradas até 15 ou 16. Essa imagem o fez lembrar da obra de Leon Tolstói, "Guerra e Paz", e a letra foi sendo composta com base nessa contradição.[1] O paradoxo é recorrente na obra de Gil, segundo ele mesmo afirma: "essa é a recorrência básica no meu trabalho: yin e yang, noite e dia, sim e não, permanência e transcendência, realidade e virtualidade: a polaridade criativa (e criadora)".[2]

Segundo o eu-poético em "A Paz", o mundo contemporâneo busca a paz através da guerra, o que ele lamenta ("Que contradição/ Só a guerra faz/ Nosso amor em paz").[3] Também se percebe a contradição no vocabulário adotado "invadir", "tufão", "arrancar", "revolução", "bomba", "lamento".[4]

Referências

  1. «A Paz (Leila 4)». Gilberto Gil. Consultado em 3 de novembro de 2012 
  2. Costa, Eliane Sarmento (2011). "Com quantos gigabytes se faz uma jangada, um barco que veleje": o Ministério da Cultura, na gestão Gilberto Gil, diante do cenário das redes e tecnologias digitais. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas. p. 42. 112 páginas. Consultado em 3 de novembro de 2012 
  3. Marcos Fabrício Lopes da Silva (8 de junho de 2009). «A construção da paz». Boletim UFMG. Consultado em 3 de novembro de 2012 
  4. Dimitri Camiloto. «A Paz (Leila IV)». Constelar. Consultado em 3 de novembro de 2012 
  Este artigo sobre uma canção é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.