Abrir menu principal
A Rainha da vida
Informação geral
Formato Minissérie
Criador(es) Wilson Aguiar Filho
Leila Miccolis
País de origem  Brasil
Idioma original português
Produção
Diretor(es) Wálter Campos
Exibição
Emissora de televisão original Rede Manchete
Transmissão original 16 de novembro - 4 de dezembro de 1987
N.º de episódios 15

A Rainha da Vida foi uma minissérie exibida pela Rede Manchete entre 16 de novembro e 4 de dezembro de 1987, no horário das 22h30[1].

Foi escrita por Wilson Aguiar Filho e Leila Miccolis e teve direção de Wálter Campos.

SinopseEditar

A história de uma mulher forte: Antônia Fidalgo, ou Jurema Matos, no início da trama. Jurema, de origem humilde, foi criada numa grande fazenda juntamente com Vítor Correia e Carlos Valadares, cujo pai era o dono da fazenda. Os três eram muito unidos e passaram a infância juntos. Só na adolescência começou a nascer a rivalidade entre Carlos e Vítor, por causa de Jurema. Carlos era um homem prático, rico, imediatista. Vítor era sonhador, romântico, visionário. Mas Jurema cada dia tornava-se mais bonita e não se decidia por nenhum dos dois. Vendo em Carlos um melhor partido para a filha, Rui Matos, pai de Jurema, começa a pressioná-la para que se decida. O destino vai ajudá-lo: Vítor se liga a um grupo de frades dominicanos, que combate a ditadura e parte para São Paulo. O tempo passa e Vítor não manda notícias. Jurema, então, sentindo-se abandonada e com as insistentes declarações de amor de Carlos, decide-se e casa com ele. Um ano após o casamento eles têm um filho, a quem dão o nome de André. Carlos começou a mostrar um lado que Jurema desconhecia: arrogante, prepotente, autoritário. Quando André completa dois anos, Vítor aparece, fugindo da repressão com um amigo. Jurema resolve dar-lhe cobertura e instala Vítor e seu amigo em uma chácara nos arredores de Fortaleza. Uma ou duas vezes na semana, Jurema ia visitá-los levando provisões e notícias. Carlos descobre tudo e pensa que Jurema e Vítor são amantes. Resolvido a arruinar a vida dos supostos amantes, Carlos entrega Vítor à Policia Federal e expulsa Jurema da fazenda, com a promessa de que nunca mais veria seu filho. Jurema vai embora. A princípio, fica no Rio de Janeiro com uns amigos; logo em seguida, viaja para a Itália, onde, depois de muito batalhar, consegue tudo o que a fama e o dinheiro podem proporcionar. Nesta fase, ela já trocou seu nome e chama-se Antônia Fidalgo. Passados muitos anos, Carlos faz um voo para uma de suas fazendas, quando o avião explode. No testamento, um fato curioso: toda sua fortuna fica para a ex-esposa, com a condição de que ela volte e se estabeleça na fazenda, dando um lar para o filho. Com sua volta, Antônia vai provocar muito ódio, enfrentar situações difíceis, até que encontra seu caminho, ao lado do psicanalista Júlio.

ProduçãoEditar

Trazendo nos papéis principais uma dobradinha cearense, Raimundo Fagner e Florinda Bolkan, A Rainha da Vida foi inspirada em parte na vida de Florinda Bolkan (a personagem Antônia Fidalgo, que deixa o Ceará partindo para Roma, e retornado anos depois já rica e famosa atriz de cinema). A minissérie abordou também as desigualdades sociais, políticas e econômicas do sertão nordestino nos tempos do coronelismo.

Já Fagner, além de ator - e incorporar Vítor, um padre progressista -, é o produtor da trilha sonora, que tem como tema principal a música À Sombra de um Vulcão. "Minha música nesta trilha é um agradecimento à própria vida, que fez da minha amiga Florinda uma verdadeira majestade, rainha da vida". Assim disse Fagner.

A ideia de fazer a minissérie surgiu de uma visita de Florinda Bolkan a Fagner antes de seu retorno a Roma. "Fagner estava tocando uma música linda - recorda Bolkan - e pensei em voz alta: 'Feliz o artista que atuar numa produção que tenha esta música como trilha sonora'. Pronto: A Rainha da Vida começou a nascer."

ElencoEditar

Referências

  1. «A Rainha da Vida». Teledramaturgia. Consultado em 6 de novembro de 2017 

Ligações externasEditar