Abrir menu principal
Question book.svg
Este artigo ou secção não cita fontes confiáveis e independentes (desde maio de 2012). Ajude a inserir referências.
O conteúdo não verificável pode ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Emblem-scales.svg
A neutralidade deste artigo ou se(c)ção foi questionada, conforme razões apontadas na página de discussão deste artigo.
Wikitext.svg
Esta página ou seção precisa ser wikificada (desde maio de 2012).
Por favor ajude a formatar esta página de acordo com as diretrizes estabelecidas.

A Vós Confio é um manuscrito raro tibetano, e de autoria desconhecida, traduzido por especial autorização do VIII Dalai Lama (1758 - 1804) ao então Imperador da China, Jiaqing (1.796 - 1.820). Traduzido ao Ocidente pelo Conde de Derby e colocado, mais tarde, sob a guarda da AMORC (Antiga e Mística Ordem Rosacruz),

A Vós Confio é um sistema de instrução mística, contendo exortações para toda a vida.

Trazido à luz em +/- 1747, após ser traduzido do tibetano para o chinês e finalmente para o inglês, a obra A VÓS CONFIO tem o testemunho dos monges tibetano de Lasa da época do VIII Dalai Lama de que a mesma passou a fazer parte de seus ensinamentos por volta de 732 d.C. sendo mais antiga do que isto.

No Tibet e, posteriormente na China imperial, a autoria foi atribuída a diversos personagens da tradição oriental, tais como: Lao Tse, Confúcio, Lao Kium até ao brâmane Dandamis da época em que Alexandre, o Grande tentou conquistar a índia.[carece de fontes?]

A polêmica quanto a sua autoria aumenta após sua tradução para o inglês (+/- 1749) quando estudiosos[quem?] constataram que no mesmo apareciam elementos estranhos à cultura tibetana como, por exemplo, “rochas na praia”, “palmeiras”, “camelo”, “crocodilo”...

A coisa se complica ainda mais quando alguns membros da Ordem Rosacruz sugerem que tal obra poderia ter sido, - devido ao estilo, aos elementos e aos ensinamentos – de autoria (em sua maior parte) do faraó Amenhotep IV (+/- 1360 a.C.).

Percebe-se que a obra é uma composição de várias tradições místicas harmoniosamente composta ao longo do tempo. Podemos constatar estilos e elementos da sabedoria taoísta, confucionista, bramaísta e budista além de elementos da tradição mística do zoroastrismo (Pérsia) e amarniana (Egito de Akehenaton), entre outros.

Ligações externasEditar