Abrir menu principal
Aarão Steinbruch
Vereador pela cidade do Rio de Janeiro
Período 1989–1992
Senador pelo  Rio de Janeiro
Período 1963–1965
Deputado federal pelo  Rio de Janeiro
Período 1955–1963
Dados pessoais
Nascimento 17 de setembro de 1917
Santa Maria, RS
Morte 13 de outubro de 1992 (75 anos)
Rio de Janeiro, RJ
Cônjuge Júlia Vaena Steinbruch
Partido PTB, MTR, MDB, PMDB, PASART, PTdoB
Profissão Advogado e político

Aarão Steinbruch (Santa Maria, 17 de setembro de 1917Rio de Janeiro, 13 de outubro de 1992) foi um advogado e político brasileiro. Exerceu a carreira de advogado em Niterói, se notabilizando como advogado de trabalhadores e sindicatos.

CarreiraEditar

Foi filiado ao PTB do antigo Estado do Rio de Janeiro, e se elegeu deputado federal pela legenda em 1954, reeleito em 1958. Apoiou a eleição de Roberto Silveira ao governo do estado, contra o PSD de Amaral Peixoto.

Na Câmara Federal, ficou célebre por aprovar diversas leis trabalhistas,e regulamentar diversas profissões, e coube-lhe a autoria da lei que instituiu o 13º salário, sancionada pelo então presidente João Goulart.

Em 1960, rompeu com o PTB, se juntando à dissidência de Fernando Ferrari, tendo assumido a presidência regional do MTR no Estado, mas retornou ao seu partido de origem, em 1962, quando foi eleito senador[1] mais votado pelo Rio de Janeiro; Após o golpe militar de 1964, aderiu ao MDB e posteriormente foi cassado. Seu prestígio fez eleger sua mulher Julia Vaena Steinbruch para a ALERJ, e depois para a Câmara dos Deputados, pelo PTB e depois MDB.

Na redemocratização, Aarão se filiou ao PTB de Ivette Vargas em 1980 e, preterido na escolha como candidato ao governo, foi candidato a deputado federal, não obtendo sucesso nas eleições de 1982.

Em 1985, organiza outro partido trabalhista dissidente, o Partido Socialista Agrário Renovador Trabalhista (PASART), tendo obtido expressiva votação nas eleições municipais para prefeito do Rio de Janeiro em 1985. Em 1986, tenta pela coligação PASART-PS o governo do estado, mas só obtém 3% dos votos. Finalmente, em 1988, se elege vereador do Rio de Janeiro, com mais de 40 mil votos, ainda pela legenda do PASART, que é extinto no ano seguinte.

Junta seu grupo ao novo PTdoB, outra legenda trabalhista dissidente, criada em 1990 e, por este, é escolhido presidente de honra da legenda, se elegendo novamente vereador nas eleições de 15 de novembro de 1992. Dias depois do pleito, falece na cidade do Rio de Janeiro.

Referências

  1. «Aarão Steinbruch». Senado. Consultado em 14 de julho de 2019. Cópia arquivada em 1 de abril de 2018 
  Este artigo sobre um político é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
  A Wikipédia possui o

Portal Santa Maria
da Boca do Monte


Leitor, participe do projeto

"Vamos todos wikificar Santa Maria."