Abrir menu principal

Aaron Hernandez

Jogador de futebol americano, assassino condenado

Aaron Michael Hernandez (Bristol, 6 de novembro de 1989 - Leominster, 19 de abril de 2017) foi um jogador de futebol americano que jogou pelo New England Patriots como tight end na National Football League.

Aaron Hernandez

Hernandez com os Patriots em 2011
No. 85, 81     
Tight end
Informações pessoais
Data de nascimento: 16 de novembro de 1989
Local de nascimento: Bristol, Connecticut
Data da morte: 19 de abril de 2017 (27 anos)
Local da morte: Leominster, Massachusetts
Colegial : Bristol Central High School (CT)
Altura: 6 ft 2 in (1 88 m) Peso: 245 lb (111 kg)
Informação da carreira
Faculdade: Universidade da Flórida
Draft da NFL: 2010 / Rodada: 4 / Escolha: 113
Nenhuma aparição em temporada regular ou em playoffs.
História da carreira
 Como jogador:
Pontos altos na carreira e prêmios
  • John Mackey Award (2009)
  • First-team All-American (2009)
  • First-team All-SEC (2009)
  • BCS National Championship (2009)
  • SEC Championship (2008)
Estatísticas de carreira na NFL até a temporada de 2012
Recepções     175
Jardas     1 956
Touchdowns     18
Estatísticas no NFL.com
Estatísticas no pro-football-reference.com

CarreiraEditar

Perda do pai, campeonato universitário e primeiros problemas com a políciaEditar

O pai de Aaron, Dennis Hernandez, foi um esportista condecorado da Universidade de Connecticut, que morreu quando Aaron tinha apenas 16 anos.[1]

Um ano após a morte do pai, Aaron recebeu uma bolsa de estudos na Universidade da Flórida. Com um porte físico acima da média para um atleta de 17 anos, Aaron rapidamente se destacou no time de futebol americano dos Gators. Em sua segunda temporada na equipe, ele conquistou o título nacional universitário ao lado de Tim Tebow, Mike Pouncey, Carlos Dunlap e Percy Harvin.[1]

Um ano após se destacar no time Universitário, surgiria o primeiro problema de Aaron com a Justiça. O camisa 81 dos Gators se envolveu em uma briga de bar. Pouco tempo depois, foi interrogado pela polícia a respeito de um incidente com armas de fogo que deixou duas pessoas baleadas.[1]

Outro imbróglio com a polícia aconteceu na sua segunda temporada no futebol americano universitário, quando chegou a ser suspenso por violar a política de substâncias ilícitas e ser flagrado sob uso de maconha.[1]

NFLEditar

New England PatriotsEditar

Em 2010, Hernandez pulou o último ano de universidade para ir direto ao Draft da NFL. Visto pela maioria dos especialistas como o melhor tight end disponível naquele ano, seus problemas extracampo fizeram com que muitos times evitassem a escolha, sendo, por isso, draftado apenas na quarta rodada, pelo New England Patriots. Aos 20 anos, Hernandez era o jogador mais jovem no elenco de qualquer time naquela temporada.[1] Seu desempenho naquele ano lhe rendeu um novo contrato, com duração de cinco anos.[1]

De 2010 a 2013, foram 1956 jardas em 38 partidas e 18 touchdowns, um vice campeonato do Super Bowl 46, em 2012, e da conferência americana, em 2013, e uma dupla sensacional com o camisa 87, Rob Gronkowski.[1]

Acusação de assassinatoEditar

Os problemas de Aaron com a justiça americana começaram em 2012. No dia 16 de julho daquele ano ele se envolveu em um caso de duplo homicídio na saída de uma boate em Boston, onde ele foi um dos suspeitos de ter matado duas pessoas e ainda de ter baleado o amigo, Alexander Bradley, para que ele não contasse às autoridades.[1] Hernandez acabou inocentado deste caso em abril de 2017, após mensagens apagadas do celular de Bradley comprovarem que ele não tinha certeza se o ex-jogador estava envolvido.[2]

Apesar disso, porém, foi um outro caso que colocaria Hernandez na cadeia. Em 22 de agosto de 2013, Hernandez foi indiciado por um grande júri pelo assassinato de Odin Lloyd.[3][4] Hernandez estava sendo investigado também no contexto de outros casos de violência, incluindo assassinatos múltiplos, tanto na Flórida como no Massachusetts.

Em 14 de abril de 2015, após dois anos de julgamento, Hernandez foi condenado à prisão perpétua pelo assassinato em primeiro grau de Odin Lloyd, sem direito a liberdade condicional.[5]

MorteEditar

Em 19 de abril de 2017, Aaron foi encontrado morto no Centro Correcional Baranowski, onde cumpria pena. A imprensa divulgou o motivo da sua morte como suicídio. Contudo, o advogado e a família dele disseram não ter percebido qualquer sinal de pudesse indicar que Aaron tivesse tirado a própria vida.[6] No dia seguinte, autoridades de Massachusetts confirmaram o motivo da morte como suicídio.[7]

Referências

  1. a b c d e f g h globoesporte.globo.com/ Perda do pai, auge na NFL, crimes e fim trágico: a história de Aaron Hernandez
  2. theplayoffs.com.br/ Arquivado em 22 de abril de 2017, no Wayback Machine. Aaron Hernandez é considerado inocente da acusação de duplo homicídio
  3. «Aaron Hernandez indicted in death of semi-pro football player». WVCB TV. Consultado em 2 de junho de 2015. Arquivado do original em 22 de agosto de 2013 
  4. «Aaron Hernandez é condenado à prisão perpétua por homicídio». Terra Networks. 15 de abril de 2015. Consultado em 19 de abril de 2017 
  5. "EL EXPATRIOTA AARON HERNANDEZ, SENTENCIADO A CADENA PERPETUA POR ASESINATO". Página acessada em 15 de abril de 2015.
  6. «Ex-astro do futebol americano Aaron Hernandez morre em prisão dos EUA». G1. Consultado em 19 de abril de 2017 
  7. «Aaron Hernandez's death officially ruled a suicide». Sportingnews.com. Consultado em 21 de abril de 2017 

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.