Abará é um bolinho de feijão-fradinho moído cozido em banho-maria embrulhado em folha de bananeira. É um prato típico da culinária da África e da cozinha baiana. Também faz parte da comida ritual do candomblé.[1] É feito com a mesma massa que o acarajé: a única diferença é que o abará é cozido, enquanto o acarajé é frito.

EtimologiaEditar

"Abará" é oriundo do termo iorubá aba'ra.[2]

 
Abará.

PreparoEditar

O preparo da massa é feito com feijão-fradinho, que deve ser quebrado em um moinho em pedaços grandes e colocado de molho na água para soltar a casca. Após retirada toda a casca, passa-se novamente no moinho. Desta vez, deverá ficar uma massa bem fina. A essa massa, acrescentam-se cebola ralada, sal, camarão seco e azeite de dendê.

Quando for comida de ritual, coloca-se um pouco de pó de camarão, e, quando fizer parte da culinária baiana, colocam-se camarões secos previamente escaldados para tirar o sal. Os camarões secos podem ser moídos junto com o feijão, preservando-se alguns inteiros.

Essa massa deve ser envolvida em pequenos pedaços de folha de bananeira, analogamente ao processo usado para se fazer o acaçá, e deve ser cozido no vapor em banho-maria. Pode ser comido puro, mas, geralmente, é ingerido com camarão, caruru, vatapá e salada, e, para quem gosta, pimenta.

Referências

  1. Enciclopédia Nordeste — "Dicionário do Folclore Brasileiro, Câmara Cascudo, Ediouro
  2. CUNHA, A. G. Dicionário etimológico Nova Fronteira da língua portuguesa. Rio de Janeiro. Nova Fronteira. p. 2.
  Este artigo sobre a Bahia (genérico) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.