Abdullah Abdullah

um político afegão

Abdullah Abdullah (Dari/Pashto: ارللر الللن; Cabul, 5 de setembro de 1960) é um político afegão que liderou o Alto Conselho de Reconciliação Nacional, que deveria liderar as negociações de paz entre afegãos e o Talibã.[1] Ele anteriormente atuou como Chefe executivo do Afeganistão de setembro de 2014 a março de 2020[2] e como Ministro das Relações Exteriores de dezembro de 2001 a abril de 2005. Antes disso, ele era um membro sênior da Aliança do Norte trabalhando como conselheiro de Ahmad Shah Massoud. Ele também trabalhou como médico durante o final da década de 1990.

Abdullah Abdullah
ررراللن الللن
1.º Chefe executivo do Afeganistão
Período 29 de setembro de 2014 a 11 de março de 2020
Presidente Ashraf Ghani
Presidente do Alto Conselho de Reconciliação Nacional
Período 17 de maio de 2020 a 15 de agosto de 2021
Ministro das Relações exteriores
Período 22 de dezembro de 2001 a 20 de abril de 2005
Presidente Hamid Karzai
Dados pessoais
Nome completo Abdullah Abdullah
Nascimento 5 de setembro de 1960 (61 anos)
Cabul, Afeganistão
Cônjuge Fakhria Abdullah
Partido Coalizão Nacional (1996-presente)
Ocupação Político e médico

Educação e carreira médicaEditar

Abdullah se formou na Naderia High School em 1976. Em seguida, ele passou a estudar oftalmologia no Departamento de Medicina da Universidade de Cabul, onde recebeu um MBBS em 1983. De 1984 a 1989 atuou como oftalmologista residente no Instituto N'oor, em Cabul. Durante a invasão soviética do Afeganistão e do governo comunista da República Democrática do Afeganistão de 1985 a 1986 ele trabalhou no hospital de oftalmologia em Peshawar, Khyber Pakhtunkhwa, Paquistão.[3]

Chefe executivoEditar

 Ver artigo principal: Chefe executivo do Afeganistão

Após uma derrota apertada para Ashraf Ghani no segundo turno das eleições de 2014, Abdullah tornou-se chefe do Executivo, uma posição recém-criada que abrange os poderes ministeriais.[4] Servindo como chefe executivo, Abdullah tem se reunido ativamente com líderes empresariais internacionais e políticos, buscando investimento estrangeiro e apoio. Ele ainda procurou implementar uma série de cessar-fogo com o Talibã. Citando a desconfiança do Talibã, Abdullah tomou uma posição um pouco mais linha-dura contra o movimento talibã do que seu homólogo presidencial Ashraf Ghani, observando uma série de tentativas fracassadas de paz a longo prazo. Em abril de 2019, Abdullah optou por não comparecer ao Consultative Peace Jirga, observando que era improvável que os Jirga resolvessem quaisquer problemas.[5]

Referências

  1. «"As negociações talibãs à vista como rivais políticos afegãos acabam com a rixa"». Al Jazeera. Consultado em 16 de agosto de 2021 
  2. «"Ghani empossado como presidente afegão, rival tem sua própria posse"». Al Jazeera. Consultado em 16 de agosto de 2021 
  3. «"The Transition to Democracy in Afghanistan and the Challenges Ahead"». Council on Foreign Relations. Consultado em 16 de agosto de 2021 
  4. «"Profile: Abdullah Abdullah"». BBC. Consultado em 16 de agosto de 2021 
  5. «"Abdullah confirma que não participará da Consulta de Paz Jirga"». Agência de Notícias Khaama Press. Consultado em 16 de agosto de 2021 
  Este artigo sobre um(a) político(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.