Abel Tasman

Abel Janszoon Tasman (Lutjegaste, 1603Batávia, 10 de outubro de 1659) foi um navegador, explorador e comerciante neerlandês. Foi o primeiro explorador europeu conhecido a alcançar a Nova Zelândia e as ilhas de Fiji e Van Diemen's Land (agora Tasmânia).

Abel Tasman
Nome completo Abel Janszoon Tasman
Nascimento 1603
Lutjegast, Groningen, Países Baixos
Morte 10 de outubro de 1659 (56 anos)
Batávia, Java, Indonésia
Ocupação navegador, explorador e comerciante

VidaEditar

Trabalhou para a Companhia das Índias Orientais. Dirigiu uma importante viagem de exploração pelo oceano Índico e pelo sul do Pacífico, em busca de oportunidades de comércio e ouro, mas também para encontrar uma possível rota para o Chile. Tasman foi o primeiro europeu a avistar a Tasmânia, em 1642, bem como a Nova Zelândia, numa viagem que tinha por objectivo a descoberta da Austrália.

 
As rotas de Abel Tasman

Em sua homenagem, alguns lugares receberam seu nome: a ilha de Van Diemen's Land recebeu o nome de Tasmânia, o Mar de Tasman entre a Austrália e a Nova Zelândia e um parque nacional na Nova Zelândia.[1]

Mapas de TasmanEditar

 
Mapa de Abel Tasman, por volta de 1644, também conhecido como mapa de Tasman 'Bonaparte'

Mantido na coleção da Biblioteca Estadual de Nova Gales do Sul está o mapa da Tasmânia, que se acredita ter sido desenhado por Isaac Gilsemans ou concluído sob a supervisão de Franz Jacobszoon Visscher. O mapa também é conhecido como mapa de Bonaparte, pois já foi propriedade do príncipe Roland Bonaparte, sobrinho-neto de Napoleão. O mapa foi concluído algum tempo depois de 1644 e é baseado nas cartas originais desenhadas durante a primeira e segunda viagens de Tasman. Como nenhum dos diários ou registros compostos durante a segunda viagem de Tasman sobreviveu, o mapa de Bonaparte permanece como um importante artefato contemporâneo da viagem de Tasman à costa norte do continente australiano.[2][3][4]

 
Vestíbulo da Biblioteca Estadual de Nova Gales do Sul, mostrando um mosaico do mapa da Tasmânia embutido no chão

O mapa da Tasmânia revela amplamente a extensão do entendimento que os holandeses tinham do continente australiano na época. O mapa inclui as costas oeste e sul da Austrália, encontradas acidentalmente por viajantes holandeses enquanto viajavam pelo Cabo da Boa Esperança para a sede da VOC em Batávia. Além disso, o mapa mostra os rastros das duas viagens de Tasman. De sua segunda viagem, o mapa mostra a área das Ilhas Banda, na costa sul da Nova Guinée grande parte da costa norte da Austrália. No entanto, a área do Estreito de Torres não foi examinada; isso apesar de ter recebido ordens do Conselho VOC em Batávia para explorar a possibilidade de um canal entre a Nova Guiné e o continente australiano.[2][5]

Há um debate quanto à origem do mapa. Acredita-se amplamente que o mapa foi produzido na Batávia; no entanto, também foi argumentado que o mapa foi produzido em Amsterdã. A autoria do mapa também foi debatida: embora o mapa seja comumente atribuído a Tasman, agora acredita-se que tenha sido o resultado de uma colaboração, provavelmente envolvendo Franchoijs Visscher e Isaack Gilsemans, que participaram de ambas as viagens de Tasman. Se o mapa foi produzido em 1644 também está sujeito a debate, como um relatório da empresa VOC em dezembro de 1644 sugere que naquela época nenhum mapa mostrando as viagens de Tasman estava completo.[4][6]

Em 1943, uma versão em mosaico do mapa, composta de mármore colorido e latão, foi embutida no piso do vestíbulo da Biblioteca Mitchell em Sydney. O trabalho foi encomendado pelo bibliotecário principal William Ifould, e concluído pelos Irmãos Melocco de Annandale, que também trabalharam no Memorial de Guerra ANZAC em Hyde Park e na cripta da Catedral de Santa Maria, em Sydney.[7][3][8]

HomenagensEditar

Como ocorreu a diversos exploradores famosos, o nome de Tasman foi homenageado em diversos lugares. Estes incluem:

Referências

  1. Edward Duyker, The Discovery of Tasmania: Journal Extracts from the Expeditions of Abel Janszoon Tasman and Marc-Joseph Marion Dufresne 1642 & 1772, St David's Park Publishing/Tasmanian Government Printing Office, Hobart, 1992, pp. 106, ISBN 0 7246 2241 1.
  2. a b Patton, Maggie (2014). Pool, David, ed. Tasman's Legacy. Mapping our world. Canberra: National Library of Australia. pp. 140–142. ISBN 9780642278098 
  3. a b «The tasman map». State Library of New South Wales. Discover Collections. 2012 
  4. a b Hooker, Brian N. (novembro de 2015). «New Light on the Origin of the Tasman-Bonaparte Map». The Globe (78). Consultado em 8 de agosto de 2016. Cópia arquivada em 4 de julho de 2021 – via Informit 
  5. Jeans, D.N. (1972). Historical Geography of New South Wales to 1901. [S.l.]: Reed Education. p. 24. ISBN 0589091174 
  6. Anderson, G (2001). The Merchant of the Zeehaen: Isaac Gilsemans and the voyages of Abel Tasman. Wellington: Te Papa Press. pp. 155–158. ISBN 0909010757 
  7. Kevin, Catherine (2005). «Melocco, Galliano (1897–1971)». Australian Dictionary of Biography. National Centre of Biography, Australian National University. Consultado em 9 de agosto de 2016. Cópia arquivada em 19 de agosto de 2016 
  8. Tasman Map in the Mitchell Vestibule, State Library of NSW

Ligações externasEditar

O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Abel Tasman
  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.