Angico-vermelho

(Redirecionado de Acácia cebil)
Como ler uma infocaixa de taxonomiaAngico-vermelho
Viveiro ipe angico vermelho 003.jpg
Classificação científica
Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Fabales
Família: Fabaceae
Subfamília: Mimosoideae
Género: Anadenanthera
Espécie: A. colubrina
Nome binomial
Anadenanthera colubrina var. cebil
(Griseb.) Altschul

O angico-vermelho (Anadenanthera colubrina var. cebil (Griseb.) Altschul)[1] é uma árvore da família Fabaceae, sub-família Mimosoideae.

Nomes populares: angico, angico-vermelho, angico-preto, angico-do-campo, arapiraca, curupaí, angico-de-casca[2]

Características geraisEditar

O angico é uma árvore decídua, nativa, pioneira de médio à grande porte, mede cerca de 13 metros de altura podendo chegar à 20 metros.

  • Apresenta o tronco cilíndrico ou tortuoso com 40-60 cm de diâmetro, sua casca tem aspecto quase liso e claro até rugosa ou muito fissurada e escura.
  • As folhas são compostas bipinadas (10-25 folíolos) e apresentam uma coloração verde escuro. [3]
  • As flores são pequenas de cor amarela com manchas brancas. Floresce de setembro a novembro com a planta com poucas folhas.
     
    Flor de Angico-Vermelho
  • Os frutos apresentam característica deiscente em forma de vargem (12 a 15 cm de comprimento) contendo de 5 a 10 sementes, possui a superfície áspera de cor marrom. Amadurecem de agosto a novembro.
     
    Semente de Angico-Vermelho
  • Madeira muito pesada, densa, não elástica e de grande durabilidade.

Lugares de OcorrênciaEditar

Região Nordeste (Bahia, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Sergipe); Centro-Oeste (Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso); Sudeste (Minas Gerais).[1]

UtilidadesEditar

Sua madeira é muito utilizada em construções civil e naval. A casca possui propriedades que permitiam ser utilizada por curtumes no tratamento de peles e couro. É uma planta ornamental pela sua vistosidade na época da florescência utilizada na arborização, além de ter crescimento rápido o que permite ser utilizada em reflorestamento e preservação de áreas degradadas. Na medicina natural; o chá da sua casca misturado com bastante açúcar e mel de abelhas, é altamente usado como expectorante para cura de gripes onde não há condições médicas. Sua resina é eficaz no tratamento de gripes e bronquites asmáticas; é também muito eficaz na mistura de chás antigripais principalmente em gripes alérgicas na mistura com mel de abelhas. Além de ser um grande descongestionante é também alimento de saguis (micos). Já encontrada à venda em alguns mercados e em loja de produtos naturais.

Produção de MudasEditar

Quando ocorre a abertura espontânea dos frutos é a época certa para colher das sementes, 1kg corresponde a aproximadamente 7600 sementes. As sementes são colocadas para germinar em substrato organoarenoso, logo após serem colhidas. Devem ser irrigadas duas vezes ao dia e germinação é de 80%.

Referências

  1. a b MORIM, M. P. «Anadenanthera». REFLORA. Consultado em 18 de fevereiro de 2020 
  2. Manual de Identificação e Cultivo de Plantas Arbóreas Nativas do Brasil, Harri Lorenzi. Árvores Brasileiras 3ª ed. [S.l.: s.n.] p. 194. ISBN 85-86714-31-3 
  3. «Título ainda não informado (favor adicionar)». coralx.ufsm.br. Consultado em 29 de setembro de 2014. Arquivado do original em 29 de setembro de 2007 

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre leguminosas (família Fabaceae), integrado no Projeto Plantas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.