Acelino Popó Freitas

Ex-pugilista brasileiro
(Redirecionado de Acelino Freitas)

Acelino Freitas, mais conhecido como Popó, (Salvador, 21 de setembro de 1975) é um ex-pugilista brasileiro reverenciado internacionalmente no esporte como Super Tetracampeão Mundial Unificado de Boxe, pelas grandes conquistas, recordes e feitos em sua carreira na nobre arte.

Acelino Freitas Boxing pictogram.svg
Popó com uma fã
Informações pessoais
Apelido Popó, Mão de Pedra, "Estrela do Nocaute (KO Star)"
Categoria Super-pena, peso-leve e meio-médios
Nacionalidade brasileiro
Data de nasc. 21 de setembro de 1975 (46 anos)
Cidade natal Salvador, BA
Estilo Ortodoxo
Altura 1,68
Cartel
Lutas 43
Vitórias 41
Nocautes 34
Derrotas 2
Empates 0
Medalhas
Jogos Pan-Americanos
Prata Mar del Plata 1995 Peso leve

Ídolo mundial, Popó é tetracampeão em duas categorias de boxe: super-pena e leve[1]. Freitas é o brasileiro que mais conquistou títulos mundiais na história do boxe, tendo alcançado quatro vezes o topo internacional da nobre arte e unificado títulos em duas das principais e mais tradicionais organizações de boxe mundial: WBA e WBO.[2]

Popó, que também detém títulos internacionais nas 4 principais organizações de boxe do mundo: WBO, WBA, WBC e IBF, cravou seu nome no panteão dos melhores do mundo de todos os tempos, ao defender mais de dez vezes consecutivas os seus títulos numa invencibilidade de mais de 5 anos e, por esse raríssimo feito, ter sido alçado à condição de Supercampeão Mundial Unificado[3].

Herói brasileiro, Acelino Popó Freitas é conhecido como Mão de Pedra e reconhecido como Estrela do Nocaute pela sequência de 29 vitórias por nocaute consecutivas - que é uma das mais longas na história do boxe[4].

Em 2017, após mais de 22 anos de carreira no boxe profissional, Popó fez sua luta oficial de despedida com o feito de 41 vitórias em 43 lutas, sendo 34 delas vencidas por nocaute. Ao longo de sua carreira profissional sofreu apenas duas derrotas e não teve nenhum empate.

Além de ex-pugilista brasileiro, Popó também é ex-político brasileiro, tendo sido Deputado federal pela Bahia e pelo Partido Republicano Brasileiro (PRB) - atual Republicanos, na Legislatura 2011-2015[5].

Após completar 5 anos de aposentadoria do boxe profissional, Popó foi indicado ao Hall da Fama mundial do boxe no final de 2021[6][7].

No início de 2022[8][9][10], Popó fez uma luta de exibição[11] contra o YouTuber e humorista brasileiro, um dos maiores influenciadores digitais do mundo, Whindersson Nunes. O combate inspirado[12] na luta americana entre Floyd Mayweather e Logan Paul ocorreu no Fight Music Show - evento inédito[13] no Brasil ao congregar luta, show e entretenimento, bateu recordes de pay-per-view[14] e foi destaque máximo de audiência e cobertura na TV e em todas as plataformas digitais, liderando trending topic no Twitter brasileiro e mundial, além de alcançar pontuação máxima de relevância internacional no Google Trends e no YouTube, ficando entre os assuntos mais comentados e pesquisados por cerca de um mês.[15][16][17][18][19]

Apesar de Popó dominar[20][21][22] todos os rounds e de praticamente nocautear[23][24][25] Whindersson em pé, o resultado da luta foi considerado empate[26][27][28][29] para laurear o esforço[30] do YouTuber, que transformou seu corpo[31], emagreceu[32] 32 kg e resistiu[33][34] bravamente[35][36][37] a 8 rounds com o tetracampeão mundial, numa batalha que emocionou o Brasil.

Após a luta[38], Whindersson fez um discurso de valorização do boxe no Brasil[39], esporte que o ajudou a vencer a depressão[40], e conclamou sua audiência digital a reverenciar[41] a história de vida e marcante carreira de Popó no boxe, pedindo que as pessoas o acompanhasse nas redes sociais. Nesse contexto, Popó - que o auge da sua carreira esportiva não contemplou o período considerado como da era digital - conquistou mais de 3 milhões de seguidores no Instagram e potencializou seu alcance no Twitter, no Facebook e no TikTok.[42][43][44][45][46][47]

Empresário e palestrante motivacional, após a luta de exibição e ascensão nas redes sociais, Popó passou também a ser considerado influenciador digital, com o peso de ser uma lenda viva do boxe mundial e um dos maiores nomes do esporte brasileiro de todos os tempos.[48]

Em reconhecimento e gratidão pela valorização do boxe no Brasil, por ser referendado a um público que não acompanhou seu período áureo e ascender digitalmente, Popó fez uma tatuagem no peitoral com arte a expressar batimentos cardíacos, silhueta da luta e eternizando na pele e no coração o nome de Whindersson Nunes.[49][50][51][52][53]

Após a luta, a chama competidora de Popó parece ter sido reacesa, fazendo o tetracampeão desafiar ex-campeões do UFC, como José Aldo, Vítor Belfort e Wanderlei Silva, para superlutas de boxe.[54][55][56] Possíveis novos combates, não apenas com lutadores de MMA, mas também com lendas e ex-campeões mundiais de boxe, passaram a ser considerados e estão em negociação.[57] Whindersson, por sua vez, desafiou Logan Paul e convidou Popó para auxiliá-lo nos treinamentos - que aceitou prontamente.[58][59][60][61]

BiografiaEditar

Acelino Freitas nasceu numa família pobre, de um bairro da periferia da capital baiana, a Cidade Nova, localizado na região da Baixa de Quintas, filho de Niujalma Ferreira Jones - conhecido como Babinha[62] - e Zuleica Freitas, famosa pela feijoada[63][64][65]. Recebeu da mãe o apelido com que tornou-se conhecido, Popó, em referência ao barulho que Acelino fazia quando mamava. Foi alfabetizado por uma vizinha de bairro Neuraci.

Seu pai era também pugilista, assim como três dos seus irmãos, dos quais Luís Cláudio foi quem mais o incentivou a também ingressar na profissão, o que fez já aos 14 anos de idade.

Até o primeiro título mundial, morava com os pais e irmãos naquele casebre, de 6,75 m², que tinha panos como divisórias.

Com dois casamentos, e seis filhos com cinco mulheres diferentes, o baiano enfrentou no primeiro (com Eliana Guimarães, filha do empresário André Guimarães) uma fase bastante difícil, que refletiu negativamente nos seus resultados sobre os ringues (causando sua primeira derrota na carreira) - a reconciliação veio habilitá-lo a novamente disputar um título, e vencer. Atualmente é casado com a nutricionista e influenciadora digital Emilene Juarez[66].

É pai de Rafael, Igor, Iago, Gustavo, Juan e Acelino Popó (Popozinho).

Acelino é evangélico da Igreja Batista Caminho das árvores, em Salvador.

Seus treinamentos básicos são feitos na cidade natal, onde construiu um ginásio, voltado para a preparação de novos talentos. Mas, antes de cada luta, vai para os Estados Unidos, onde as instalações e materiais são muito mais apropriados.

Em 2012, foi lançado a Websérie “Para Sempre Popó”[67][68][69][70][71][72][73][74], que traz em oito pequenos episódios uma síntese da carreira de Popó e da preparação para o que seria a última luta da sua carreira: o combate contra Michael Oliveira[75][76], então campeão latino entre os pesos médios do Conselho Mundial de Boxe. A obra foi desenvolvida pela produtora Nova e pela agência Produzir.

Em 2013, a biografia[77] [78][79][80] de Popó foi articulada pela agência Produzir e lançada[81][82] [83][84] pela editora Panda Books[85]. A história emocionante[86][87]de Acelino Freitas é contada em detalhes pelo jornalista Wagner Sarmento[88] em Com as Próprias Mãos[89]. O livro conta com prefácio de Galvão Bueno[90][91][92].

Em abril de 2016, Popó integrou o elenco da primeira temporada do reality show brasileiro da Rede Record, Power Couple Brasil juntamente com sua então namorada e atual esposa Emilene Juarez, sendo o primeiro casal eliminado da edição.[93][94]

Em janeiro de 2018, foi anunciado como participante na terceira temporada do talent show brasileiro da RecordTV, Dancing Brasil sendo o segundo eliminado da atração.

Em outubro de 2019, foi lançado a primeira temporada da série Irmãos Freitas[95][96][97], inspirada[98] na história de vida e carreira esportiva de Popó. Exibida no canal Space[99], a série foi transmitida também pelo TNT[100] e está disponível nas plataformas de streaming Amazon Prime Vídeo[101] e HBO Max[102]. A obra foi criada por Walter Salles[103], dirigida por Sergio Machado e Aly Muritiba, produzida pela Gullane Filmes e articulada pela agência Produzir.

Em 2022 foi lançado o “PopodCast - No Ringue com Popó”[104][105], programa com episódios ao vivo no YouTube e replicado nas principais plataformas digitais de áudio. O podcast do campeão tem sido amplamente citado pela imprensa com destaques a falas de Popó sobre potenciais lutas e tretas relacionadas[106][107][108][109].

Carreira políticaEditar

Acelino Freitas
Deputado Federal pela Bahia
Período 1 de fevereiro de 2011
até 31 de janeiro de 2015
Dados pessoais
Nascimento 21 de setembro de 1975 (46 anos)
Salvador, BA
Partido PRB (2009-2018)
PDT (2018-2020)
PROS (2020-presente)
Profissão Pugilista e político

Popó foi candidato a Deputado federal pela Bahia nas eleições de 2010 pelo Partido Republicano Brasileiro (PRB) - atual Republicanos, obtendo 60.338 votos (0,90%) e alcançando a primeira suplência da sua coligação partidária.

Devido à indicação do deputado Mário Negromonte (PP-BA) para o Ministério das Cidades, Popó assumiu [5], como Suplente, o mandato de Deputado Federal, na Legislatura 2011-2015, em 3 de fevereiro de 2011. Afastou-se, em 1 de abril de 2014. Reassumiu o mandato e foi efetivado como deputado federal titular[110], em 6 de junho de 2014.[111]

Como deputado, foi de sua autoria o projeto para instituir no Brasil o Dia Nacional do Boxe (26 de março):[112][113][114][115][116]

No exercício da atividade parlamentar, teve como foco de atuação o esporte, embora também tenha atuado em discussões como a da regulamentação dos serviços de telefonia celular, regulação de profissões do serviço público e de regulamentação do marketing multinível, com o objetivo de diferenciar legalmente a atividade regular das vendas diretas com o golpe das pirâmides financeiras, um creme devastador contra a economia popular.

Durante o seu mandato, Popó foi vice-líder do PRB na Câmara dos Deputados e destacou-se nas comissões de Esporte, Cultura e Educação, além da Comissão Parlamentar de Inquérito da Exploração Sexual e do Tráfico de Pessoas e da Comissão Especial que discutiu o Projeto de Lei 2330/11, conhecido pela alcunha de Lei Geral da Copa.

Presidente da Frente Parlamentar do Esporte no Congresso Nacional, Popó trabalhou incansavelmente pela regulamentação do MMA junto ao Poder Executivo e atuou contra o veto das artes marciais mistas na TV. Parlamentar num período áureo do esporte no Brasil, Popó acompanhou as visitas aos estádios e obras para a Copa do Mundo, com o objetivo de garantir o legado social, e também os preparativos para as Olimpíadas de 2016.[118][119].[120]

Popó chegou a figurar no ranking dos melhores deputados federais da Revista Veja[121].

Tentou a reeleição nas eleições de 2014, mas não obteve êxito[122], recebendo 23.017 votos (0,35%).[123]

Carreira no boxeEditar

Medindo 1,68 m[1] e pesando cerca de 70 kg, Popó teve uma carreira vitoriosa no Boxe. Como amador, foi medalhista de prata nos Jogos Pan Americanos de Mar del Plata, em 1995. Como profissional (carreira iniciada em 1995), conquistou 4 títulos mundiais em duas categorias e unificados em duas organizações[124], além de deter, juntamente com o mexicano Alfonso Zamora, o recorde de maior sequência de nocautes até chegar a um título mundial: 21.[125]

Boxe amadorEditar

Popó iniciou sua carreira com 14 anos como amador. Foi campeão Baiano aos 14, campeão Norte-Nordeste aos 15 e Campeão Brasileiro aos 17 anos.

Em 1995, foi convocado para a seleção Brasileira que disputaria os Jogos Pan-Americanos de 1995, em Mar Del Plata, onde conquistaria o vice-campeonato do torneio. Popó ficou com a prata na categoria peso leve, mas levou o Brasil de volta a uma disputa de final no boxe, algo que não acontecia desde os Jogos de San Juan 1979.[126].

Após o feito nos Jogos, aos 19 anos Popó decidiu largar o boxe amador e passou a lutar no boxe profissional. Futuro campeão mundial profissional de boxe, Popó abriu mão de disputar como amador a Olimpíada de Atlanta, nos Estados Unidos, em 1996, por dificuldades financeiras[127][128][129].

Como profissionalEditar

Popó fez sua primeira luta no dia 14 de julho de 1995, vencendo por nocaute aos 34 segundos do primeiro round. Um mês depois, em 14 de agosto de 1995, Popó fez a sua segunda luta profissional contra um atleta experiente com um card de 18 vitórias, vencendo também por nocaute, em tempo ainda menor: apenas 23 segundos - o mais rápido da sua carreira e um dos mais rápidos da história do boxe mundial.

Na sua sexta luta, em 16 de agosto de 1996, Popó se tornou campeão peso leve do Mundo Hispano pela WBC (Conselho Mundial de Boxe). Todas as seis lutas foram vencidas por nocaute no primeiro round.

Conquistou o título latino da IBF (Federação Internacional de Boxe) em 22 de abril de 1997 ao derrotar o colombiano Arcelio Diaz no primeiro round. Na sua luta seguinte, já com um cartel de 9-0 (todas as vitórias por nocaute) e como campeão latino, Popó fez sua primeira luta fora do Brasil, na Costa Rica, também vencendo por nocaute o norte-americano Johnny Montantes, considerado o favorito ao título dos leves na competição e com um respeitável cartel de 28 vitórias e duas derrotas. O duelo se deu em 10 de maio de 1997 no Boxcino, torneio de boxe que envolvia lutadores de oito países em quatro categorias e o promoveu mundialmente por ter sido o campeão, ao vencer em 2 de setembro de 1997 o porto-riquenho Edwin Vázquez.

Em 29 de maio de 1998 foi campeão brasileiro na categoria Super-leve.

Em 16 de outubro de 1998 foi campeão do título NABO, titulo regional da WBO (Organização Mundial de Boxe), ao vencer o mexicano José Luis Montes por nocaute no primeiro round.

Em abril de 1999, defendeu o título NABO derrotando o mexicano Juan Angel Macias por nocaute no oitavo round. O resultado positivo garantiu mais um recorde a Popó, superando o norte-americano Mike Tyson, uma das maiores legendas do boxe em todos os tempos, que no início de sua carreira contabilizou 19 nocautes seguidos. Popó, então, passava a ostentar 20 nocautes consecutivos, em sua véspera da disputa do seu primeiro título mundial.

Primeiro título mundialEditar

No dia 7 de agosto de 1999, com cartel de 20-0 (20 nocautes), Popó conquistaria seu primeiro título Mundial, com um nocaute avassalador aos um minuto e 41 segundos do primeiro round. A luta ocorreu na França contra o campeão, lutador do Cazaquistão, Anatoly Alexandrov, valendo o título Mundial super-pena da WBO.

Logo no começo da luta Popó tomou a iniciativa, procurando acertar alguma sequência que derrubasse o adversário. E ela veio com pouco mais de 1 minuto de luta com uma sequência seguida de um golpe de direita que levou o campeão a knockdown. O campeão se levantou, mas já estava abalado pelo golpe de Popó que rapidamente voltou a golpear e derrubar de novo seu adversário que ficou inconsciente por 5 minutos.

Após a luta, Popó assinou contrato com a Showtime, e passou a ter suas lutas transmitidas para os Estados Unidos.

Defendendo o títuloEditar

A primeira defesa de título de Popó no Brasil, na Fonte Nova, em Salvador, levou mais de 40 mil pessoas ao estádio. E Popó não decepcionou seus fãs, ao vencer por nocaute no segundo assalto o nicaraguense Anthony Martinez.[130]

Da conquista do cinturão até janeiro de 2002 (data de sua luta de unificação), Popó defendeu seu título 6 vezes contra Anthony Martínez, Barry Jones, Javier Jauregui, Lemuel Nelson, Carlos Alberto Ramon Rios e Orlando Jesus Soto, vencendo todas por nocaute. Além de mais 3 lutas sem título em jogo contra Cláudio Victor Martinet (vencida por nocaute no terceiro round), Daniel Alicea (vencida por nocaute no primeiro round) e contra o ex-campeão mundial Alfred Kotey. Por decisão unânime, essa última luta quebrou o recorde de nocautes de Popó (até então Popó tinha vencido todas as suas 29 lutas por nocaute).

Popó Vs. CasamayorEditar

Em 12 de janeiro de 2002, Freitas (30-0 na época) decidiu acertar uma luta de unificação de título dos super-penas com o campeão mundial da WBA (Associação Mundial de Boxe) e campeão olímpico de boxe, Joel Casamayor (26-0 na época). Na disputa de unificação entre os 2 campeões invictos, um knockdown controverso e uma penalização para Casamayor por um golpe ilegal fizeram a diferença, e Popó venceu a dura luta por decisão unânime.

A luta começou com o brasileiro tomando a iniciativa e vencendo claramente os 3 primeiros rounds, mas no decorrer da luta o cubano equilibrou as ações e o que se viu foi uma das lutas mais disputadas do ano.

Em um confronto clássico de boxe entre o nocauteador Popó contra o boxer Casamayor, os papeis se inverteram e o cauteloso e inteligente Casamayor chegou a tomar a iniciativa em alguns rounds enquanto o agressivo Popó mostrou muita movimentação e variação de golpes.

Um golpe de Popó no 3º round, que acertou no ombro direito de Casamayor enquanto esse recuava, foi contado como knockdown pelo árbitro Joe Cortez e Casamayor sofreu uma penalização de 1 ponto por acertar Popó enquanto o juiz os separava de um clinch. Essa foi a diferença na contagens final no scorecards dos juízes. Anel Robert Byrd, Bill Graham e Dave Moretti deram pontuações idênticas de 114 a 112 para o brasileiro.

Popó era então bicampeão mundial super-pena por 2 organizações: WBA e WBO.

Seguindo a grande vitória sobre Casamayor, Popó derrotou o invicto e número 1 do ranking da WBO, Daniel Attah, defendendo seu cinturão. A luta teve uma audiência recorde de 91 milhões de telespectadores no Brasil na Rede Globo.[131][132] Em seguida, venceu o mexicano Juan Carlos Ramírez por nocaute, defendendo seus 2 cinturões.

Popó Vs. BarriosEditar

Em 9 de agosto de 2003, Popó fez uma das lutas mais memoráveis de sua carreira contra o argentino Jorge Rodrigo Barrios. Barrios tinha um cartel de 39-1-1 e era praticamente invicto já que sua única derrota havia sido por desqualificação. Estavam em jogo seus dois cinturões de super-pena da WBA e WBO.

Popó começou a luta muito bem e vencia tranquilamente a luta até o oitavo round, quando foi pego por um golpe do argentino que o derrubou. A partir daí, a luta tomou outro rumo, com Barrios tomando a iniciativa e procurando nocautear Popó.

No décimo primeiro round, um direto de Barrios levou Popó a knockdown. Popó cuspiu seu protetor bucal para ganhar tempo após a contagem do árbitro. Até o final do round, Barrios tentou de todas as formas nocautear Popó que se defendia. Porém no final do round, bem ao soar do gongo, Popó acertou um direto que levou Barrios a um knockdown que é lembrado até hoje pelos que viram a luta.

A luta recomeçou no round 12 com Popó determinado a decidir a luta e derrubando Barrios mais uma vez. O argentino se levantou, mas uma nova combinação do brasileiro fez Barrios cair de novo e o juiz interromper a luta, dando vitória ao brasileiro.

Popó conseguia então o título de supercampeão super-pena da WBO, uma honraria que é concedida para lutadores que defendem seu cinturão por 10 vezes.

Popó Vs. GrigorianEditar

Após anos defendendo seus títulos de super-pena, Popó (34-0 na época), dia 3 de janeiro de 2004, voltaria a categoria peso-leve e desafiaria o supercampeão da WBO, o lutador do Uzbequistão Artur Grigorian (36-0 na época). Artur era invicto, campeão desde 1996 e já havia defendido seu título por 16 vezes.

Em uma luta que se esperava ser muito disputada, Popó pareceu não sentir a readaptação ao peso novo e em uma atuação incrível, derrubando o adversário no quarto round e mais 3 vezes (os outros 3 knockdowns contados foram questionáveis), dominou o campeão a luta toda, vencendo por uma merecida decisão unânime (115-108, 116-107 e 116-107).

Popó se tornava campeão mundial pela terceira vez. Sustentando 2 títulos mundiais de super-pena (WBA e WBO) e agora como campeão mundial peso-leve pela WBO.

Logo após sua vitória, Popó foi considerado o Lutador do ano de 2003 pela WBA.

Primeira derrota: Popó vs. CorralesEditar

Popó (35-0) sofreu sua primeira derrota no dia 7 de agosto de 2004, na primeira defesa do seu título dos peso-pena contra o Eeiros rounds, Popó aparentemente cansado foi pego por um cruzado do americano que o levou ao chão.

No nono round, quando tentava se recuperar do oitavo, ao tentar uma sequência na linha de cintura, tomou um contra golpe que novamente o fez cair, ao cuspir o protetor bucal, o arbitro penaliza Popó tirando um ponto. Mesmo assim na contagem dos árbitros, e com a penalização sofrida, a contagem ate o nono round estava disputada (Terry Price 86-83 Corrales, Franklin Mcneil 85-83 Freitas, Greg Leon 86-84 Corrales).

No começo do décimo round, Popó sofre novo Knockdown e após se levantar opta por abandonar o combate.

Além de perder a invencibilidade, Popó perdia seu cinturão da categoria peso-leve da WBO.

Após a derrotaEditar

Depois de sofrer sua primeira derrota, Popó fez 2 lutas no Brasil. vencendo o Argentino David Saucedo por pontos em dezembro de 2004, e depois derrotando Fabian Salazar, do Panamá por nocaute no primeiro round em julho de 2005.

Popó Vs. Zahir RaheemEditar

Em abril de 2006, Popó (37-1 na época) reconquistaria seu título mundial dos Pesos Leves pela WBO que estava vago. Em luta contra o americano Zahir Raheem ( 27-1 na época). Raheem vinha de uma vitória incrível sobre a lenda mexicana Erik Morales.

A luta desde o seu começo foi muito equilibrada, cheia de movimentação com os 2 lutadores em ótima forma. Durante os 12 rounds, Popó e Raheem trocaram jabs e combinações em um ritmo incrível.

Ao final da luta o brasileiro venceu em decisão dividida dos juízes (115-113 Raheem, 115-113 Freitas, 116-112 Freitas).

Popó conquistava pela quarta vez um título mundial, e reconquistava seu título de peso-leve da WBO.

Após a conquista, Popó anunciou sua aposentadoria. Pouco tempo depois, Popó anunciou que voltaria a lutar.

Segunda derrota e primeira aposentadoria: Popó Vs. DiazEditar

EM 28 de abril de 2007, Popó sofre sua segunda derrota em luta de unificação de títulos da categoria peso-leve. Popó (38-1 na época) campeão peso leve da WBO, enfrentou Juan Diaz (31-0 na época) campeão mundial peso leve da WBA.

Popó começou a luta dominando os primeiros rounds mas logo Diaz começou a fazer prevalecer sua força (Diaz tinha 23 anos, enquanto Popó tinha 31).

No quinto round Diaz conectou boa sequência que quase levou o brasileiro a knockdown.

No fim do oitavo round, depois de receber muitos golpes, Popó decide no corner pouco antes do começo do nono assalto abandonar a luta. Diaz se torna campeão unificado Peso leve da WBA e WBO.

Após essa luta, Popó anuncia sua aposentadoria.

O retornoEditar

Depois de se aposentar, Popó se tornou deputado federal pela Bahia. Em 2011, decide fazer uma luta de exibição para seu filho mais novo que nunca o tinha visto lutar. Popó começa a treinar para uma luta de exibição que marcaria sua despedida definitiva do esporte.

Popó então recebe um desafio do jovem lutador Brasileiro Michael Oliveira (17-0) para uma luta. Após negociações, ficou definido que o combate seria profissional no dia 2 de junho no Conrad Casino em Punta del Este, Uruguai.

Após muita promoção e rivalidade criada entre os dois lutadores, Popó nocauteou Michael em uma luta dominada do começo ao fim. Popó começou a luta tomando a iniciativa e acertando bons golpes no primeiro round. Michael respondeu no segundo round com um gancho de esquerda que fez Popó recuar, mas no final do terceiro round, Popó acertou ótimos golpes levando Michael ao primeiro knockdown da luta. Dai em diante, o que se viu foi um passeio do ex-campeão que ao contrario do que se pensava, não cansou e se movimentou muito com combinações e esquiva em dia, evitando todas as investidas de Michael.

No nono round, depois de muito castigo, Michael foi a knockdown mais 2 vezes, e o árbitro deu aquela que seria a última luta de Popó por encerrada por nocaute técnico no nono round.

Dias após a luta, Michael lançou mais um desafio, desta vez para uma revanche no Brasil e Popó aceitou. Em função da aposentadoria, esse luta não aconteceu.

Em 2014, afirmou que pensaria em voltar novamente a lutar e que desafiaria alguns pugilistas, como Manny Pacquiao, Juan Manuel Márquez e Floyd Mayweather.[133] Para isso, Popó começou a treinar e fazer dieta tentando alcançar os meio-médios, no peso até 66 kg, já que está acima desse peso.[134]

Em julho de 2015, Popó anuncia que sua luta de retorno seria contra o argentino Mateo Veron que acontecerá no dia 15 de agosto, na Arena Santos, litoral de São Paulo, após o cancelamento da luta de revanche com Michael Oliveira.[135] Popó dominou nos três rounds que decorreu a luta e ao afim nocauteou o rival que caiu desacordado e o árbitro encerrou a luta.[136]

Cartel de lutas profissionaisEditar

Dados de acordo com a plataforma internacional de boxe Boxrec[1]:

43 lutas - 41 vitórias (34 nocautes; e 7 decisões por pontos - 6 unânimes e 1 dividida),

2 derrotas (1 nocaute técnico - TKO; e 1 desistência entre rounds - RTD - tipo de nocaute) e nenhum empate.


Tetracampeão mundial de boxe, em duas categorias: pesos super-pena e leve.

Supercampeão mundial unificado de boxe, em duas organizações: WBO e WBA.

Títulos internacionais nas 4 principais organizações de boxe do mundo: WBO, WBA, WBC e IBF.

10 defesas consecutivas de cinturões de títulos mundiais.

5 anos consecutivos de invencibilidade, após a conquista do primeiro título mundial.


Carreira de mais de 22 anos no boxe profissional. De 14/07/1995 a 11/11/2017.


Percentual de nocautes (KOs) na carreira:

79.07%
Resultado Data Local Adversário Tipo Round definido / Qtd. rounds Observações
Vitória 14 de julho de 1995   Salvador-BA
(Ginásio Antônio Balbino)
  Adriano José Soares KO 1 / 4
Vitória 14 de agosto de 1995   Salvador-BA
(Ginásio Antônio Balbino)
  Valdevino Monteiro KO 1 / 4
Vitória 18 de setembro de 1995   Salvador-BA
(Ginásio Antônio Balbino)
  Manoel Oliveira da Cruz KO 2 / 4
Vitória 14 de novembro de 1995   Salvador-BA
(Ginásio Antônio Balbino)
  Marco de Lima TKO 3 / 6
Vitória 2 de abril de 1996   Salvador-BA
(Ginásio Antônio Balbino)
  Ralph Riveros KO 2 / 6
Vitória 16 de agosto de 1996   Salvador-BA
(Ginásio Antônio Balbino)
  Gutemberg Ferreira TKO 2 / 12 Campeão da WBC Mundo Hispano de peso-leve
Vitória 1º de fevereiro de 1997   Salvador-BA
(Ginásio Antônio Balbino)
  Hamilton Cerqueira KO 4 / 6
Vitória 18 de março de 1997   Salvador-BA
(Ginásio Antônio Balbino)
  Antônio Maria do Nascimento KO 2 / 6
Vitória 22 de abril de 1997   Salvador-BA
(Ginásio Antônio Balbino)
  Arcelio Diaz TKO 1 / 12 Campeão da IBF Latino de peso-leve
Vitória 10 de maio de 1997   San José
(Ginásio Nacional)
  Johnny Montantes TKO 1 / 8 (2:39)
Vitória 27 de junho de 1997   Miami
(Mahi Shrine Temple)
  Hilario Guzman TKO 8 / 10 (1:57)
Vitória 2 de setembro de 1997   Baton Rouge
(Belle Casino)
  Edwin Vazquez TKO 7 / 12
Vitória 19 de novembro de 1997   Salvador-BA
(Ginásio Antônio Balbino)
  Gustavo Rodolfo Sayaavedra KO 1 / 10
Vitória 29 de maio de 1998   Salvador-BA
(Ginásio Antônio Balbino)
  Rildo José de Oliveira TKO 1 / 12 Campeão Brasileiro de peso-leve
Vitória 8 de junho de 1998   Anaheim
(Arrowhead Pond)
  Rafael Olvera KO 3 / 10 (1:58)
Vitória 14 de agosto de 1998   Mexicali
(Auditorio del Estado)
  Juan Gutiérrez TKO 1 / 10
Vitória 15 de setembro de 1998   São Paulo-SP
(Ginásio Baby Barioni)
  Francisco Thomas da Cruz TKO 2 / 12 Manteve o cinturão de Campeão Brasileiro de peso-leve
Vitória 16 de outubro de 1998   Tijuana
(Teatro Mutualista)
  Jose Luis Montes TKO 1 / 12 Campeão da WBO NABO de peso super-pena
Vitória 19 de dezembro de 1998   Liverpool
(Everton Park Sports Centre)
  Peter Buckley RTD 3 / 8 (Desistência entre rounds - Equivalente a nocaute, nas regras do boxe)
Vitória 2 de abril de 1999   Tijuana
(Grand Hotel)
  Juan Angel Macias TKO 8 / 12 Manteve o cinturão da WBO NABO de peso super-pena
Vitória 7 de agosto de 1999   Le Cannet
(La Palestre)
  Anatoly Alexandrov[137] KO 1 / 12 (1:41) 1º Título mundial. Campeão mundial da WBO de peso super-pena. Alexandrov permaneceu inconsciente durante 5 minutos.

Recorde de 21 nocautes consecutivos até a conquista de um título mundial.

Vitória 26 de outubro de 1999   Salvador-BA
(Estádio da Fonte Nova)
  Anthony Martinez[138] TKO 2 / 12 (1:20) 1ª defesa de título mundial. Manteve o cinturão da WBO de peso super-pena
Vitória 18 de dezembro de 1999   Salvador-BA
(Estádio da Fonte Nova)
  Claudio Victor Martinet[139] KO 3 / 10
Vitória 15 de janeiro de 2000   Doncaster
(Doncaster Dome)
  Barry Jones[140] TKO 8 / 12 (0:50) 2ª defesa de título mundial. Manteve o cinturão da WBO de peso super-pena
Vitória 18 de março de 2000   São Paulo-SP
(Credicard Hall)
  Javier Jauregui[141] KO 1 / 1 (1:25) 3ª defesa de título mundial. Manteve o cinturão da WBO de peso super-pena
Vitória 10 de junho de 2000   Detroit
(Fox Theater)
  Lemuel Nelson[142] TKO 2 / 12 (2:59) 4ª defesa de título mundial. Manteve o cinturão da WBO de peso super-pena
Vitória 23 de setembro de 2000   Rama
(Casino Rama)
  Carlos Rios[143] TKO 9 /12 (1:18) 5ª defesa de título mundial. Manteve o cinturão da WBO de peso super-pena
Vitória 16 de dezembro de 2000   Sheffield
(Sheffield Arena)
  Daniel Alicea[144] TKO 1 / 12 (1:01)
Vitória 27 de janeiro de 2001   Brasília-DF
(Ginásio Nilson Nelson)
  Orlando Soto[145] KO 1 / 12 (2:13) 6ª defesa de título mundial. Manteve o cinturão da WBO de peso super-pena.

Recorde de 29 nocautes consecutivos - uma das maiores sequências da história do boxe mundial.

Vitória 29 de setembro de 2001   Miami
(Miccosukee Resort & Gaming)
  Alfred Kotey[146] UD - Decisão por pontos
(unânime)
10 / 10 Primeira luta da carreira vencida por pontos.
Vitória 12 de janeiro de 2002   Las Vegas
(Cox Pavilion)
  Joel Casamayor[147] UD - Decisão por pontos
(unânime)
12 / 12 2º título mundial.Unificação WBO/WBA.Campeão da WBA de peso super-pena.7ª defesa de título mundial. Manteve o cinturão da WBO de peso super-pena
Vitória 3 de agosto de 2002   Phoenix
(Dodge Theater)
  Daniel Attah[148] UD - Decisão por pontos
(unânime)
12 / 12 8ª defesa de títulos mundiais. Manteve os cinturões da WBA e WBO de peso super-pena
Vitória 15 de março de 2003   Chicago
(UIC Pavilion)
  Juan Carlos Ramirez[149] TKO 4 / 12 (0:19) 9ª defesa de títulos mundiais. Manteve os cinturões da WBA e WBO de peso super-pena
Vitória 9 de agosto de 2003   Miami
(Miami Arena)
  Jorge Rodrigo Barrios[150] TKO 12 / 12 (0:50) 10ª defesa de títulos mundiais. Com a décima defesa de cinturão, recebeu o título de "supercampeão" mundial unificado da Organização Mundial de Boxe[151]Manteve os cinturões da WBA e WBO de peso super-pena, os quais ficaram vagos após esta luta. Popó abandonou os dois títulos unificados para desafiar campeão de outra categoria: peso-leve.
Vitória 3 de janeiro de 2004   Mashantucket
(Foxwoods Resort)
  Artur Grigorian[152] UD - Decisão por pontos
(unânime)
12 / 12 3º Título Mundial. Campeão da WBO de peso-leve. Desafio a campeão de outra categoria, após abandonar dois títulos unificados da categoria super-pena.
Derrota 7 de agosto de 2004   Mashantucket
(Foxwoods Resort)
  Diego Corrales[153] TKO 10 / 12 (1:24) 1ª derrota da carreira. Perdeu o cinturão da WBO de peso-leve
Vitória 11 de dezembro de 2004   São Paulo-SP
(Ginásio do Ibirapuera)
  Fernando David Saucedo[154] UD - Decisão por pontos
(unânime)
10 / 10
Vitória 16 de julho de 2005   Salvador-BA
(Ginásio Antônio Balbino)
  Fabian Salazar[155] KO 1 / 10 (2:28)
Vitória 29 de abril de 2006   Mashantucket
(Foxwoods Resort)
  Zahir Raheem[156] SD - Decisão por pontos
(dividido)
12 / 12 4º título mundial. Campeão da WBO de peso-leve. Recuperação do cinturão (título vago)
Derrota 28 de abril de 2007   Mashantucket
(Foxwoods Resort)
  Juan Díaz RTD 8 / 12 2ª e última derrota na carreira.(Desistência entre rounds - Equivalente a nocaute, nas regras do boxe)Primeira aposentadoria
Vitória 2 de junho de 2012   Punta del Este
(Conrad Casino)
  Michael Oliveira[157] TKO 9 / 10 Retorno ao boxe para luta profissional especial em homenagem e a pedido do filho caçula.

Segunda aposentadoria

Vitória 15 de agosto de 2015   Santos-SP
(Arena Santos)
  Mateo Damian Veron[136] KO 3 / 10 Retorno ao boxe. 34º nocaute da carreira.
Vitória 11 de novembro de 2017   Belém-PA
(Arena Guilherme Paraense)
  Gabriel Martínez[158] UD - Decisão por pontos
(unânime)
8 / 8 Terceira e última aposentadoria, após carreira com mais de 22 anos de boxe profissional.Cartel: 43 lutas, 41 vitórias (sendo 34 por nocaute), 2 derrotas e nenhum empate.

Cartel das Lutas de ExibiçãoEditar

Freitas Vs. NunesEditar

Em setembro de 2021 é anunciada uma luta de exibição[159] entre Popó e o humorista, youtuber e criador de conteúdo digital Whindersson Nunes. A luta ocorreu no dia 30 de janeiro de 2022, uma luta de exibição de oito rounds no evento chamado FMS - Fight Music Show, em Balneário Camboriú - SC.

Na luta o boxeador acabou com o youtuber, demonstrando grande superioridade técnica deixou claro que a qualquer momento poderia nocauterar, mas como se tratava de uma exibição, o resultado oficial foi empate. Logo no primeiro round Popó soltou uma sequência de jabs, deixando o rosto de Whindersson marcado. Quase um recado para quem pensava que a luta seria de brincadeira. O segundo round e o terceiro continuaram com o boxeador dominando a luta, implacável. Mesma coisa no quarto assalto. Whindersson apenas sobrevivia. No quinto round Whindersson chegou a acertar a cintura de Popó, e continuou a resistir. No sexto assalto Whindersson balançou com golpe na orelha direita. O árbitro abriu contagem. Eles voltaram a combater, o humorista levou um uppercut. No sétimo, Popó deu uma saraivada de golpes no adversário. Antes do round final os dois se abraçaram e a plateia delirou. Whindersson tentou jogar pressão no final mas Popó conectou a linha de cintura. O árbitro encerrou a luta antes da hora. Em nenhum momento Popó, aposentado e aos 46 anos, sofreu perigo de Whindersson, de 27 anos.[20]

No fim, um exemplo de fair play. Whindersson Nunes pediu ao público para "dar mais moral" a Popó e passar a segui-lo nas redes sociais. Logo depois, o humorista comemora que Popó atingiu a marca de mais de 2 milhões de seguidores. Já a organização do evento Fight Music Show revelou que foram vendidas 200 mil cotas de pay per view, resultando em um lucro próximo de 13 milhões de reais.[26]

Após a luta, Popó fez uma tatuagem no peitoral em homenagem a Whindersson[51][50][160][49].

0 Vitórias (0 knockouts, 0 decisões, 0 desqualificações), 0 Derrotas, 0 Desistências, 1 Empates
Res. Recorde Oponente Tipo Rd., Tempo Data Local
Empate 0-0-1   Whindersson Nunes Decisão 8 (8), 5:00 30/01/2022   Balneário Camboriú, BRA

Audiência de televisãoEditar

BrasilEditar

As lutas de Popó proporcionavam altos índices de audiência no Brasil, o que causou uma disputa entre as emissoras nacionais. A TV Globo, que comprou boa parte dos direitos de transmissão, exibia uma série de patrocinadores nos eventos.[130]

Encontro Luta Rede de televisão Telespectadores Fonte(s)
02002-08-03 3 de agosto de 2002
Acelino Freitas vs. Daniel Attah
91,000,000
[131][132]
Total 91,000,000

Conquistas e honrariasEditar

Popó é respeitado mundialmente pela carreira esportiva estatisticamente brilhante, de grandes recordes e marcantes conquistas:[1][2][4][3]

  • Como atleta de boxe amador, foi campeão Baiano aos 14 anos; campeão Norte-Nordeste aos 15 anos; e Campeão Brasileiro aos 17 anos.
  • Atleta destaque da Seleção Brasileira de Boxe.
  • Medalha de Prata nos Jogos Pan-Americanos de 1995, em Mar Del Plata, na categoria peso leve, levando o Brasil de volta a uma disputa de final no boxe, algo que não acontecia desde os Jogos de San Juan 1979.[126]
  • Recorde Mundial - Maior sequência de nocautes até chegar a um título mundial: 21[125]
  • Detentor de uma das conquistas mais rápidas e avassaladores da história do boxe em um título mundial: nocaute aos 1 min 41s do primeiro round, contra o russo Anatoly Alexandrov, em 7 de agosto de 1999.
  • 5 anos consecutivos de invencibilidade, após a conquista do primeiro título mundial.
  • Tetracampeão mundial de boxe: três títulos pela WBO / OMB (Organização Mundial de Boxe) e um pela WBA / AMB (Associação Mundial de Boxe).
  • Atleta brasileiro com maior número de títulos mundiais na história do boxe mundial.
  • Campeão mundial de boxe em duas categorias de peso: super-pena e leve.
  • Campeão mundial unificado de boxe: WBO/WBA.
  • Supercampeão Mundial de Boxe: honraria rara conquistada após 10 defesas consecutivas de cinturão de título mundial.
  • Detentor de títulos internacionais nas 4 principais organizações de boxe do mundo: WBO, WBA, WBC e IBF.[1]
  • 29 nocautes consecutivos: uma das sequências mais longas da história do boxe mundial.
  • Brasileiro com mais nocautes consecutivos em início de carreira na história do boxe mundial: 29. Terceira posição no mundo, atrás apenas dos pesos-pesados Billy Fox e Jose Urtain.
  • Responsável por 34 nocautes na carreira profissional, sendo 29 consecutivos e 22 no primeiro round - ultrapassando diversos recordes, como do peso-pesado Mike Tyson, em seu fulminante início de carreira.
  • Reconhecido internacionalmente como Estrela do Nocaute. Um dos principais nocauteadores da história do boxe mundial, sobretudo nas categorias super-pena e leve.
  • Detentor de um dos nocautes mais rápidos da história do boxe mundial: 23 segundos do primeiro round. A marca foi realizada em sua segunda luta profissional.
  • Melhor atleta de boxe do mundo (lutador pound-by-pound) do ano em 2003, após vitória histórica com nocaute ao bater do gongo, contra o argentino Jorge Barrios.
  • Carreira de mais de 22 anos no boxe profissional: de 14/07/1995 a 11/11/2017.[1]
  • Cartel boxe profissional: 43 lutas, sendo 41 vitórias (34 por nocaute; e 7 decisões por pontos - 6 unânimes e 1 dividida), 2 derrotas (1 nocaute técnico - TKO; e 1 desistência entre rounds - RTD - tipo de nocaute técnico) e nenhum empate.[1]
  • Percentual de nocautes (KOs) na carreira profissional: 79.07%[1]. Um dos maiores aproveitamentos na história do boxe mundial.
  • Mais de 96% de aproveitamento em toda carreira esportiva: no boxe profissional, 43 lutas, sendo 41 vitórias e apenas 2 derrotas; como amador, 81 lutas, sendo 78 vitórias e apenas 3 derrotas. Em números totais, considerando boxe profissional e boxe amador: 124 lutas, sendo 119 vitórias e apenas 5 derrotas.
  • Indicado ao Hall da Fama Mundial do Boxe, no final de 2021.[161][162][163][164]

Referências

  1. a b c d e f g h «BOXREC de Popó. Portal Oficial Plataforma do Boxe Internacional» 
  2. a b «Relembre a trajetória de Popó, tetracampeão mundial e lenda do boxe que volta aos ringues contra Whindersson». SUPER LUTAS. 30 de janeiro de 2022. Consultado em 13 de março de 2022 
  3. a b «A origem da denominação "Supercampeão"». ge. Consultado em 13 de março de 2022 
  4. a b «Acelino Freitas - BoxRec». boxrec.com. Consultado em 13 de março de 2022 
  5. a b «Popó herda vaga na Câmara após Negromonte ser confirmado como ministro». Folha.com. 21 de dezembro de 2012 
  6. «Acelino Popó Freitas é indicado para entrar no Hall da Fama do Boxe de Canastota». ISTOÉ Independente. 5 de outubro de 2021. Consultado em 13 de março de 2022 
  7. «Acelino Popó é indicado ao Hall da Fama no boxe e celebra: 'Feliz e honrado'». SUPER LUTAS. 7 de outubro de 2021. Consultado em 13 de março de 2022 
  8. «Luta de Whindersson Nunes e de Popó já tem data marcada». Jornal de Brasília. 4 de janeiro de 2022. Consultado em 20 de março de 2022 
  9. «Popó confirma duelo com Whindersson Nunes e projeta: 'Podem esperar um grande espetáculo' - TATAME». tatame.com.br. 8 de junho de 2021. Consultado em 20 de março de 2022 
  10. «Rico e famoso, Whindersson Nunes diz por que vai lutar boxe contra Popó». Lance!. Consultado em 20 de março de 2022 
  11. «Popó da 'aula' em luta contra Whindersson Nunes no Fight Music Show». www.uol.com.br. Consultado em 20 de março de 2022 
  12. «Luta de Whindersson Nunes e Popó foi inspirada em modelo norte-americano». www.uol.com.br. Consultado em 20 de março de 2022 
  13. «Em mistura de entretenimento e esporte, Whindersson Nunes e Popó travam luta de boxe». ge. Consultado em 20 de março de 2022 
  14. «Whindersson vs. Popó: o milionário boxe entre famosos». Exame. 28 de janeiro de 2022. Consultado em 20 de março de 2022 
  15. «Luta entre Popó e Whindersson rende milhões e movimenta internet». ISTOÉ DINHEIRO. 31 de janeiro de 2022. Consultado em 20 de março de 2022 
  16. «Luta entre Whindersson Nunes e Popó arrecada mais de R$ 25 milhões». www.folhape.com.br. Consultado em 20 de março de 2022 
  17. «Os números que explicam por que multicampeão Popó resolveu lutar boxe com Whindersson Nunes». ESPN.com. 31 de janeiro de 2022. Consultado em 20 de março de 2022 
  18. «Globo fatura milhões com venda de PPV para luta entre Whindersson e Popó; veja os valores». Terra. Consultado em 20 de março de 2022 
  19. «Neymar assiste à luta Whindersson x Popó, e combate vira atração dos jogadores da seleção brasileira». ge. Consultado em 20 de março de 2022 
  20. a b «Popó esmaga Whindersson Nunes em oito rounds». Exame. 31 de janeiro de 2022. Consultado em 31 de janeiro de 2022 
  21. «Popó brinca no ringue, deixa Whindersson com rosto deformado em empate e desafia José Aldo». ESPN.com. 31 de janeiro de 2022. Consultado em 20 de março de 2022 
  22. «Apesar da superioridade, Popó fica no empate em luta com Whindersson Nunes». TV Cultura. Consultado em 20 de março de 2022 
  23. «'Eu tinha obrigação de não nocautear', diz Popó sobre luta com Whindersson». www.uol.com.br. Consultado em 20 de março de 2022 
  24. «Popó elogia, mas diz que 'segurou a mão' para não nocautear Whindersson». www.uol.com.br. Consultado em 20 de março de 2022 
  25. «Popó admite ter preservado Whindersson após chance de nocaute: 'Eu podia acabar'». ISTOÉ Independente. 31 de janeiro de 2022. Consultado em 20 de março de 2022 
  26. a b «'Popó' domina Whindersson Nunes no ringue, mas luta termina empatada». www.uol.com.br. Consultado em 31 de janeiro de 2022 
  27. «Mesmo castigado, Whindersson empata luta com Popó». R7.com. 31 de janeiro de 2022. Consultado em 20 de março de 2022 
  28. «Whindersson Nunes empata com Popó, realiza sonho e faz piadas com machucados». GQ. Consultado em 20 de março de 2022 
  29. «Popó e Whindersson: empate no ringue, vitória para o boxe». R7.com. 4 de fevereiro de 2022. Consultado em 20 de março de 2022 
  30. «Após luta com Popó, Whindersson posta vídeo de transformação no corpo com 32kg perdidos; assista». ge. Consultado em 20 de março de 2022 
  31. «Whindersson exibe músculos nas pernas após treinos para luta com Popó: "Me rendeu belas pernocas"». ge. Consultado em 20 de março de 2022 
  32. «Whindersson Nunes perdeu 32kg para luta com Popó. Veja antes e depois». Metrópoles. 4 de fevereiro de 2022. Consultado em 20 de março de 2022 
  33. «Popó diz que 'segurou a mão' para não nocautear Whindersson, mas elogia resistência do humorista». tatame.com.br. 4 de fevereiro de 2022. Consultado em 20 de março de 2022 
  34. «Quem. Popó exalta Whindersson após luta: "Um verdadeiro vencedor"» 
  35. «Whindersson mostra olhos feridos após luta com Popó e brinca». Terra. Consultado em 20 de março de 2022 
  36. «Whindersson mostra rosto castigado por Popó em luta: "Um pouco avariado"». ge. Consultado em 20 de março de 2022 
  37. «Popó posta foto das mãos após deixar Whindersson com rosto desfigurado, assusta nas imagens e diz: 'Você é guerreiro'». ESPN.com. 31 de janeiro de 2022. Consultado em 20 de março de 2022 
  38. «Whindersson Nunes agradece luta com Popó: 'Estou realizado' - Emais». Estadão. Consultado em 20 de março de 2022 
  39. «Popó e Whindersson: a busca do boxe brasileiro por um campeão e por visibilidade». CNN Brasil. Consultado em 20 de março de 2022 
  40. News, Campo Grande. «Whindersson Nunes e Popó: na luta contra a depressão, quem ganha é o marketing». Campo Grande News. Consultado em 20 de março de 2022 
  41. «Opinião: Whindersson Nunes colocou Popó onde merece». Lance!. Consultado em 20 de março de 2022 
  42. «Popó conta que sua vida mudou após luta com Whindersson: "Assustador"». O Fuxico. 4 de fevereiro de 2022. Consultado em 20 de março de 2022 
  43. «Quem. Popó celebra milhões de fãs após luta: "Um Popó antes de Whindersson e outro depois"» 
  44. «Popó diz que ganhou 1 milhão de seguidores em segundos após pedido de Whindersson Nunes». Gshow. Consultado em 20 de março de 2022 
  45. «Popó conquista feito impressionante após luta e desabafo de Whindersson Nunes; veja». ESPN.com. 31 de janeiro de 2022. Consultado em 20 de março de 2022 
  46. «Popó supera campeões do UFC e atinge marca expressiva nas redes sociais». www.uol.com.br. Consultado em 20 de março de 2022 
  47. «Popó ganhou quase 3 milhões de seguidores por luta com Whindersson». esportes.yahoo.com. Consultado em 20 de março de 2022 
  48. «Popó abre o coração e fala de superação, filho gay, sucesso e lágrimas». Metrópoles. 4 de fevereiro de 2022. Consultado em 20 de março de 2022 
  49. a b «Whindersson Nunes agradece a Popó por tatuagem no peito: "Sei que não mereço"». ge. Consultado em 13 de março de 2022 
  50. a b «Popó tatua luta com Whindersson Nunes: 'Na pele e no coração'». www.uol.com.br. Consultado em 13 de março de 2022 
  51. a b «Popó faz tatuagem enorme para homenagear Whindersson Nunes: 'Obrigado por tudo, meu campeão'». Lance!. Consultado em 13 de março de 2022 
  52. «Popó tatua homenagem para Whindersson Nunes: "Na pele e no coração"». Metrópoles. 12 de março de 2022. Consultado em 20 de março de 2022 
  53. Redação, Da (11 de março de 2022). «Popó faz tatuagem em homenagem a Whindersson: 'Obrigado por tudo'». Jornal Correio. Consultado em 20 de março de 2022 
  54. «Popó desafia José Aldo para luta de boxe: 'Vem para o meu ringue'». www.uol.com.br. Consultado em 20 de março de 2022 
  55. «Popó sugere luta de boxe contra Vitor Belfort e mostra suposto pôster de evento». ESPN.com. 24 de fevereiro de 2022. Consultado em 20 de março de 2022 
  56. «Popó reforça desafio a Aldo e elege Wanderlei e Belfort como boas opções para luta». www.uol.com.br. Consultado em 20 de março de 2022 
  57. «Filho de Popó dá detalhes da possível luta contra Vitor Belfort». Blog do Baldini. Consultado em 20 de março de 2022 
  58. «Whindersson pede, Logan Paul aceita luta e ataca Popó na web: "Você bateu em um comediante"». ge. Consultado em 20 de março de 2022 
  59. «Whindersson chama Logan Paul para luta e recebe resposta em português». Metrópoles. 11 de março de 2021. Consultado em 20 de março de 2022 
  60. «Logan Paul diz que seria 'incrível' enfrentar Whindersson Nunes». Lance!. Consultado em 20 de março de 2022 
  61. «Whindersson e Popó brigam com Logan Paul e debate acaba em desafio». O Fuxico. 1 de fevereiro de 2022. Consultado em 20 de março de 2022 
  62. «Pai de ?Popó? morre em Salvador - Esportes». Estadão. Consultado em 8 de fevereiro de 2022 
  63. «Mãe de Popó já prepara a feijoada - Esportes». Estadão. Consultado em 8 de fevereiro de 2022 
  64. null. «Popó chega a Salvador com festa e feijoada da mãe». Gazeta do Povo. Consultado em 8 de fevereiro de 2022 
  65. Salvador, Por Raphael Carneiro. «Joel Santana encontra Popó em treino e pede feijoada de Dona Zuleica». globoesporte.com. Consultado em 8 de fevereiro de 2022 
  66. BNews, Redação (3 de julho de 2020). «Ex-lutador Popó se casa com nutricionista Emilene Juarez». Bnews. Consultado em 19 de março de 2022 
  67. Redação, Da (21 de maio de 2012). «Primeiros episódios da websérie de Acelino Popó antes da última luta; assista». iBahia. Consultado em 19 de março de 2022 
  68. «Popó lança websérie sobre sua última luta e seleciona fã para assistir». www.bahianoticias.com.br. Consultado em 19 de março de 2022 
  69. «Som de Pregador Luo é trilha sonora do lutador Popó». Notícias Gospel. Consultado em 19 de março de 2022 
  70. «Popó confirma lançamento do filme "Para sempre Popó" - Notícias - Galáticos Online». www.galaticosonline.com. Consultado em 19 de março de 2022 
  71. Souza (twitter: @thiegosouza84), Thiego (20 de junho de 2012). «Popó confirma lançamento do filme "Para sempre Popó"». Bnews. Consultado em 19 de março de 2022 
  72. Gramacho, Herbem (21 de maio de 2012). «Na preparação para luta de despedida, Popó faz treino aberto em shopping de Salvador». iBahia. Consultado em 19 de março de 2022 
  73. «Websérie "Para Sempre Popó"» 
  74. Redação, Da (31 de maio de 2012). «Popó entre a rotina de deputado federal e lutador. Assista à websérie». iBahia. Consultado em 19 de março de 2022 
  75. «Comparado a assassino de beatle, Michael ameaça calar Popó com soco». VEJA. Consultado em 19 de março de 2022 
  76. «Popó e Michael prometem nocaute relâmpago no Uruguai - Esportes». Estadão. Consultado em 19 de março de 2022 
  77. «Popó conta sua emocionante história de vida em biografia». Jornal de Brasília. 5 de novembro de 2013. Consultado em 19 de março de 2022 
  78. «Livro de Popó retrata abusos físicos do pai e até 'porre' aos 5 anos». www.uol.com.br. Consultado em 19 de março de 2022 
  79. «16 biografias de esportistas que você precisa ler». R7.com. 9 de dezembro de 2015. Consultado em 19 de março de 2022 
  80. «Biografia de Popó!». Michelle Marie - Navegue com estilo. Consultado em 19 de março de 2022 
  81. Mir, Leonardo; a (19 de novembro de 2013). «Biografia de Popó é lançada na Câmara dos Deputados». Republicanos10. Consultado em 19 de março de 2022 
  82. «Biografia de Popó ganha lançamento no Recife». jc.ne10.uol.com.br. Consultado em 19 de março de 2022 
  83. Salvador, Por Raphael Carneiro. «Títulos, família e até convite para ensaio nu: Popó lança biografia». globoesporte.com. Consultado em 19 de março de 2022 
  84. Globo Esporte BA | Biografia do ex-pugilista Acelino Popó Freitas é lançada em Salvador | Globoplay, consultado em 19 de março de 2022 
  85. Tecnologia, Tray. «Com as próprias mãos - Panda Books». www.pandabooks.com.br. Consultado em 19 de março de 2022 
  86. Silva (twitter:@Tony_SilvaBNews), Tony (9 de novembro de 2013). «"A vida de Popó tinha tudo para dar errado e deu certo", diz autor da biografia». Bnews. Consultado em 19 de março de 2022 
  87. Wagner, Thiago (31 de julho de 2016). «Estante FC: A história do vencedor Popó». JC. Consultado em 19 de março de 2022 
  88. «História de Popó com as próprias mãos, mas nos traços de um pernambucano – Blog de Esportes». Consultado em 19 de março de 2022 
  89. TARDE, A. (29 de outubro de 2013). «Divulgada capa da biografia de Acelino "Popó" Freitas». A TARDE. Consultado em 19 de março de 2022 
  90. «Com prefácio de Galvão Bueno, livro narra vida de Acelino Freitas, o Popó». www.uol.com.br. Consultado em 19 de março de 2022 
  91. Manaus, Por Ana Hissa. «Do boxe à literatura: Popó lança livro com prefácio de Galvão Bueno». globoesporte.com. Consultado em 19 de março de 2022 
  92. «https://esporte.uol.com.br/boxe/ultimas-noticias/2013/11/01/com-prefacio-de-galvao-bueno-livro-narra-vida-de-acelino-freitas-o-popo.htm». esporte.uol.com.br (em inglês). Consultado em 19 de março de 2022  Ligação externa em |titulo= (ajuda)
  93. «Power Couple Brasil estreia dia 12 de abril com apresentação de Roberto Justus». Consultado em 8 de Maio de 2016. Arquivado do original em 5 de Agosto de 2016 
  94. «FOTOS - Popó e a namorada, Emilene Juarez também farão parte do 'Power Couple'». www.purepeople.com.br (em bretão). Consultado em 19 de março de 2022 
  95. Irmãos Freitas, Gullane, 20 de outubro de 2019, consultado em 18 de março de 2022 
  96. LOPES, FERNANDA (30 de novembro de 2016). «Série sobre Popó mostrará decadência e ascensão de irmãos boxeadores». Notícias da TV. Consultado em 19 de março de 2022 
  97. AdoroCinema. «Os Irmãos Freitas: Diretores explicam porque a série sobre Popó é uma "história de amor, ódio e inveja" (Exclusivo)». AdoroCinema. Consultado em 19 de março de 2022 
  98. Izel, Adriana (20 de outubro de 2019). «Série Irmãos Freitas conta a história de Popó». Próximo Capítulo. Consultado em 18 de março de 2022 
  99. «Irmãos Freitas no Canal Space» 
  100. «Vida de Popó vira série para o TNT, com direção de Walter Salles». Telepadi. 6 de dezembro de 2016. Consultado em 18 de março de 2022 
  101. «Série Irmãos Freitas no Amazon Prime Video» 
  102. «Irmãos Freitas na HBO Max» 
  103. «Diretor de 'Central do Brasil' vai fazer série para TV sobre boxeador Popó». br.vida-estilo.yahoo.com. Consultado em 19 de março de 2022 
  104. «PopodCast – Popó Freitas». Consultado em 19 de março de 2022 
  105. «Canal do PopodCast no YouTube» 
  106. «Popó sugere luta de boxe contra Vitor Belfort e mostra suposto pôster de evento». ESPN.com. 24 de fevereiro de 2022. Consultado em 19 de março de 2022 
  107. «Após ser chamado de barrigudo, Popó provoca José Aldo e faz convite por 'luvinha': 'Bato em você'». ESPN.com. 17 de março de 2022. Consultado em 19 de março de 2022 
  108. «Após novo desafio de Popó, Aldo dispara: "Não tenho medo de tamanho, se é campeão mundial..."». ge. Consultado em 19 de março de 2022 
  109. Fight, Redação Ag (17 de março de 2022). «Popó rebate provocação de José Aldo e afirma que nocautearia o ex-campeão do UFC». Ag. Fight - Agência de notícias. Consultado em 19 de março de 2022 
  110. Mir, Leonardo; a (6 de junho de 2014). «Popó reassume hoje mandato como deputado federal». Republicanos10. Consultado em 20 de março de 2022 
  111. «Biografia do(a) Deputado(a) Federal ACELINO POPÓ». Portal da Câmara dos Deputados. Consultado em 20 de março de 2022 
  112. «No dia do boxe, lendas brasileiras são homenageadas e se emocionam - Gazeta Esportiva». www.gazetaesportiva.com. Consultado em 20 de março de 2022 
  113. «Projeto institui o Dia Nacional do Boxe». Senado Federal. Consultado em 20 de março de 2022 
  114. «26 de Março - Dia Nacional do Boxe». Promoview. 26 de março de 2014. Consultado em 20 de março de 2022 
  115. Mir, Leonardo; a (30 de novembro de 2012). «Acelino Popó requer a criação do Dia Nacional do Boxe em audiência pública». Republicanos10. Consultado em 20 de março de 2022 
  116. «Câmara aprova dia do Boxe e outras homenagens». Jusbrasil. Consultado em 20 de março de 2022 
  117. Erro de citação: Etiqueta <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs de nome Deputado
  118. «Deputado Acelino Popó preside Frente Parlamentar do Esporte». Portal da Câmara dos Deputados. Consultado em 20 de março de 2022 
  119. «Popó relança Frente Parlamentar para valorizar o esporte». Portal da Câmara dos Deputados. Consultado em 20 de março de 2022 
  120. Brasil, CPDOC-Centro de Pesquisa e Documentação História Contemporânea do. «Acelino Freitas». CPDOC - Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil. Consultado em 19 de março de 2022 
  121. «Popó no ranking de melhores deputados da Veja» 
  122. «Frustrado com a política, Popó diz por que não se reelegeu: 'Não peguei dinheiro, não fiz caixa 2' - Metro 1». Frustrado com a política, Popó diz por que não se reelegeu: 'Não peguei dinheiro, não fiz caixa 2' - Metro 1. Consultado em 20 de março de 2022 
  123. Resultados das eleições estaduais na Bahia em 2014 - G1
  124. http://esporte.uol.com.br/lutas/boxe/ultimas-noticias/2012/01/13/popo-confirma-no-twitter-duelo-contra-michael-oliveira-para-19-de-maio.htm
  125. a b folha.uol.com.br/ Cinturão dá recorde mundial a Popó
  126. a b «Mar del Plata 1995 |». Comitê Olímpico do Brasil. Consultado em 13 de março de 2022 
  127. «Popó diz que não disputou Olimpíada por causa de frustração no Pan: 'Medalha não me deu nada' - Band.com.br». esporte.band.uol.com.br. Consultado em 13 de março de 2022 
  128. «Folha de S.Paulo - Eu estava lá - 10/07/2007». www1.folha.uol.com.br. Consultado em 13 de março de 2022 
  129. «Folha de S.Paulo - Mar del Plata - 1995 - 10/07/2007». www1.folha.uol.com.br. Consultado em 13 de março de 2022 
  130. a b «Há 20 anos, Popó faturou 1º título mundial e entrou no hall dos ídolos nacionais». ISTOÉ Independente. 7 de agosto de 2019. Consultado em 13 de março de 2022 
  131. a b «Popó defende título mundial hoje». Consultado em 26 de maio de 2020 
  132. Popó pensa em voltar ao boxe e quer enfrentar Pacquiao ou Mayweather - Globo Esporte - 19/11/2014
  133. Popó treina para o retorno e critica o boxe brasileiro: "Não tem um à altura" - Globo Esporte - 03/12/2014
  134. Popó anuncia adversário de sua luta e avisa: "Vou arrancar a cabeça dele" - Globo Esporte - 15/07/2015
  135. a b Volta triunfal: Popó castiga argentino 13 anos mais novo e nocauteia rival - Globo Esporte, acessado em 15 de agosto de 2015
  136. Acelino Popó deixa russo na lona e ganha o título mundial JC Online, acessado em 14 de junho de 2009
  137. Triunfo em Salvador Arquivado em 6 de outubro de 2008, no Wayback Machine. Época, acessado em 14 de junho de 2009
  138. Popó garante seu 23º nocaute Arquivado em 23 de abril de 2009, no Wayback Machine. A Notícia, acessado em 14 de junho de 2009
  139. Popó não esperava luta tão dura contra o galês JC Online, acessado em 13 de junho de 2009
  140. Popó busca agora a unificação dos títulos[ligação inativa] Gazeta On Line, acessado em 13 de junho de 2009
  141. Popó ganha nos EUA e mantém título mundial[ligação inativa] Diario de Pernambuco, acessado em 13 de junho de 2009
  142. Popó vence argentino e mantém cinturão dos superpenas Folha Online, acessado em 13 de junho de 2009
  143. Popó vence por nocaute e mantém título dos superpenas Diário de Cuiabá, acessado em 13 de junho de 2009
  144. Popó vence e agora quer a unificação de títulos Diário de Cuiabá, acessado em 13 de junho de 2009
  145. Popó vence por pontos pela primeira vez Terra, acessado em 13 de junho de 2009
  146. Popó unifica os títulos mundiais Babado, acessado em 13 de junho de 2009
  147. Popó derrota Attah e quer a tríplice coroa Época, acessado em 13 de junho de 2009
  148. Popó mantém cinturões Arquivado em 19 de junho de 2004, no Wayback Machine. JB Online, acessado em 13 de junho de 2009
  149. Popó mantém coroa ao nocautear Barrios no 12º round[ligação inativa] JB Online, acessado em 13 de junho de 2009
  150. Popó recebe cinturão de supercampeão da OMB[ligação inativa] Terra, acessado em 13 de junho de 2009
  151. Popó vence Grigorian e conquista mais um título mundial UOL Esporte, acessado em 13 de junho de 2009
  152. Popó cai 3 vezes, perde título e invencibilidade Terra, acessado em 13 de junho de 2009
  153. Popó derrota por pontos o argentino Saucedo UOL, acessado em 13 de junho de 2009
  154. Boxe: Popó nocauteia panamenho no primeiro rounde Yahoo! Esportes, acessado em 13 de junho de 2009
  155. Popó conquista mais um título e muda história do boxe no Brasil O Estado de S.Paulo, acessado em 13 de junho de 2009
  156. Popó nocauteia Michael Oliveira e se despede do boxe em grande estilo Sportv, acessado em 3 de junho de 2012
  157. Popó cai, levanta, vence por pontos, e se emociona em despedida do boxe GloboEsporte, acessado em 12 de novembro de 2017
  158. «Whindersson Nunes anuncia data para luta contra Popó Freitas». Lance!. Consultado em 31 de janeiro de 2022 
  159. «Whindersson agradece homenagem de Popó: 'Não vou nunca chegar perto de merecer'». www.uol.com.br. Consultado em 13 de março de 2022 
  160. «Acelino "Popo" Freitas named on International Boxing Hall of Fame Ballot». World Boxing News (em inglês). 7 de outubro de 2021. Consultado em 20 de março de 2022 
  161. «Great talent among Boxing Hall of Fame nominees». World Boxing Association (em inglês). Consultado em 20 de março de 2022 
  162. Dia, O. (5 de outubro de 2021). «Popó é indicado para entrar no Hall da Fama do Boxe | Esporte». O Dia. Consultado em 20 de março de 2022 
  163. «Acelino Popó Freitas é indicado para entrar no Hall da Fama do Boxe de Canastota». Blog do Baldini. Consultado em 20 de março de 2022 

Livros biográficosEditar

  • Com as próprias mãos, Wagner Sarmento. Editora: Panda Books, 2013, 200 p. ISBN 9788578883256.

Ligações externasEditar

 
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Acelino Freitas

Precedido por
Anatoly Alexandrov
Campeão dos Super-Penas (WBO)
1999–2003
Sucedido por
Vago, preenchido por
Diego Corrales
Precedido por
Joel Casamayor
Campeão dos Super-Penas (WBA)
2002–2003
Sucedido por
Vago, preenchido por
Yodsanan Sor Nanthachai
Precedido por
Artur Grigorian
Campeão dos Pesos Leves (WBO)
2004
Sucedido por
Diego Corrales
Precedido por
Vago, preenchido por
Diego Corrales
Campeão dos Pesos Leves (WBO)
2006–2007
Sucedido por
Juan Diaz