Acfredo I de Carcassona

Acfredo I de Carcassona (c. 820 - 906[1]), foi o Conde de Razès desde 837 e conde de Carcassona a partir de 877.

Acfredo I de Carcassona
Nascimento Desconhecido
Morte 906
Progenitores
  • Oliba I of Carcassonne
Cônjuge Adelinda de Auvergne
Filho(s) Guilherme II da Aquitânia, Acfredo II de Carcassona
Ocupação feudatário
Título duque

BiografiaEditar

Apesar de Acfredo I ser o filho mais novo de Oliba I de Carcassona foi quem herdou Razès após a morte de seu pai, enquanto o seu irmão mais velho Oliba II de Carcassona herdou Carcassona.

É tido como certo que Acfredo e Oliba terão compartilhado autoridade um com o outro nos seus territórios pelo menos até á morte de Oliba II de Carcassona em 877, quando Acfredo herda os dois condados, embora legalmente fosse somente o regente do seu sobrinho Bencião I de Carcassona, uma vez que Bencião, sucedeu-lhe após a morte.

Relações familiaresEditar

Foi filho de Oliba I de Carcassona ([[790 - 837) e de Elmetruda. Casou com de Adelinda da Aquitânia, também denominada como Adelinda de Auvérnia, filha de Bernardo Plantapilosa (22 de março de 841886) foi conde de Auvérnia e Marquês da Aquitânia, título atribuído por Carlos, o Gordo em 885[2] e de Ermergarda de Chalon (850 — 881), filha de Bernardo I de Auvérnia, Conde de Auvérnia, de quem teve:

  1. Guilherme II da Aquitânia (c. 860 - 12 de dezembro de 926 ), duque de Aquitânia
  2. Acfredo II de Carcassona (c. 860 - 933);
  3. Bernardo III de Auvérnia (- 932), Conde de Auvérnia
  4. Aremburga da Aquitânia casada com Ebles Manzer da Aquitânia (870935) foi conde de Poitiers (902-935), duque da Aquitânia (antes de 890-893 e também em 927-932) e conde da Auvérnia (927-932),
  5. Adelaide de Carcassona casada com Armengol de Ruergue e de Tolosa (850 - c. julho de 935) foi conde de Ruergue e de Tolosa e marquês de Gótia em 918[3][4][5].

Referências

  1. Lewis, Archibald R. The Development of Southern French and Catalan Society, 718–1050. University of Texas Press: Austin, 1965.
  2. René Poupardin, “I regni carolingi (840-918)”, en Storia del mondo medievale, vol. II, 1999, pp. 583-635.
  3. A Herança Genética de D. Afonso Henriques, Luiz de Mello Vaz de São Payo, Universidade Moderna, 1ª Edição, Porto, 2002. pg. 287.
  4. Lewis, Archibald R. University of Texas Press: Austin, 1965.
  5. Luiz de Mello Vaz de São Payo, A Herança Genética de D. Afonso Henriques, Universidade Moderna, 1ª Edição, Porto, 2002, pág. 287