Abrir menu principal

Adda-Guppi Harran (c. 648 - 544 a.C.), também conhecida como Addagoppe ou Adad-Guppi era uma sacerdotisa asiria, devota do deus da lua nova Sin na cidade assíria de Harran e a mãe do Rei Nabonido que governou entre 556-539 a.C. no Império Neo-Babilônico.[1]

Índice

AutobiografiaEditar

DescobertaEditar

Historiadores descobriram duas cópias do que parece ser uma autobiografia de Adda-Guppi. A primeira cópia, descoberta por H. Pognon em 1906, foi escrita em uma estela quebrada que escavada em Harrán. A segunda cópia, descoberta cinquenta anos depois por D.S. Rice foi escrita na calçada dos degraus da entrada norte da Grande Mesquita de Haran.[2]

ConteúdoEditar

A autobiografia começa com um relato em primeira pessoa da própria Adda-Guppi e termina com uma descrição de seu enterro. Já que Adda-Guppi foi enterrada com honras de rainha, alguns estudiosos têm sugerido que atuou como regente de Nabonido, quando ele deixou a Babilônia e se mudou para o oásis de Taima em 552 a.C.[3] No entanto, esta teoria é difícil de conciliar com a cronologia que Adda-Guppi apresenta em sua autobiografia. Menciona que nasceu no vigésimo ano do reinado de Asurbanipal (aproximadamente 648 a.C.), e que cuidou dos santuários do deus da lua Sîn por 95 anos. Também menciona que viveu para ver seu filho se tornar o rei Nabonido de Babilônia, que teve lugar em 556a. C., o que significaria que ela tinha 92 anos de idade no momento da sua coroação, e 96 quando a sua saída para Taima ocorreu. Aparentemente, ela teria morrido na idade de 104 anos (c. 544 a.C.), tendo vivido com total plenitude de corpo e mente para ver seus descendentes da quarta geração.

Adda-Guppi implorou ao deus Sîn para que seu filho Nabonido ascendesse ao trono, e sua autobiografia contém uma oração de louvor e agradecimento a Sîn. Em resposta a esta oração, Adda-Guppi aparentemente recebeu uma profecia de Sîn, em um sonho, sobre as ações futuras de seu filho como rei:

Através de você trarei de volta aos deuses a morada em Harrán, através de Nabonido, seu filho. Ele edificará a Eulul; ele completará seu trabalho. Ele completará a cidade de Harran maior do que antes e a restaurará.Ele trará Sîn, Ningal, Nusku e Sadarnunna em procissão de volta a Ehulhul.

Outras fontes revelam que Nabonido prestou homenagem a Sîn durante o seu reinado, quando já era rei da Babilônia. Ele prestou atenção especial aos templos de Sîn em Haran e em Ur, e até converteu o templo de Marduque na Babilônia em um santuário dedicado a Sîn.[4]

Referências

  1. Van De Mieroop, Marc (2007). A History of the Ancient Near East. Malden, MA: Blackwell. pp. 278-80. ISBN 978-1-4051-4910-5.
  2. Hallo, William W. (2003). The Context of Scripture: Canonical Compositions, Monumental Inscriptions, and Archival Documents from the Biblical World. Boston: Brill Leiden. p. 477. ISBN 9004135677.
  3. Jackson, Guida M. (1999). Women Rulers throughout the Ages. ABC Clio, Inc. p. 3.
  4. Van De Mieroop, Marc (2007). A History of the Ancient Near East. Malden, MA: Blackwell. p. 280. ISBN 978-1-4051-4910-5.