Abrir menu principal
NoFonti.svg
Esta biografia de uma pessoa viva cita referências, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde março de 2019). Ajude a inserir fontes confiáveis e independentes. Material controverso que esteja sem fontes deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Adelmario Coelho
O cantor na festa junina do Pelourinho, Salvador, 2014 (foto:Turismo Bahia)
Informação geral
Nome completo Adelmario Coelho e Silva
Nascimento 19/08
Local de nascimento Distrito de Barro Vermelho, Curaçá-BA
Origem Distrito de Barro Vermelho, Curaçá, Bahia
País  Brasil
Gênero(s) Forró
Ocupação(ões) Cantor, compositor
Cônjuge Marinalva Coelho e Silva
Instrumento(s) Vocal
Período em atividade 1994 - presente
Gravadora(s) Daerje produções
Página oficial http://www.adelmariocoelho.com.br/

Adelmario Coelho e Silva, mais conhecido por Adelmario Coelho (Curaçá) é um cantor e compositor de música popular brasileira nordestina.[1][2]

Índice

BiografiaEditar

Adelmario Coelho nasceu no dia 19 de agosto em Barro Vermelho – distrito de Curaçá no norte da Bahia e antes de ganhar notoriedade como um dos maiores forrozeiros do Brasil, já trabalhou no Pólo Petroquímico de Camaçari, foi motorista de táxi e possui em seu currículo uma trajetória de lutas e conquistas.

Sem patrocínio e sem banda de apoio, gravou em Caruaru – PE, um disco experimental e uma música de sua autoria, chamada “Barro Vermelho e sua realidade”, que é uma singela homenagem à sua terra. O proprietário do estúdio, Sr. Edson Lima entrou em contato com o compositor Onildo Almeida que contribuiu com algumas composições para seu primeiro disco ainda em vinil, gravado em 1994, com o título “No Balanço do forró”.

No ano de 1995, o cantor deu um grande passo na sua trajetória musical com o lançamento do álbum “Não fale mal do meu país”, tema que intitula a música de trabalho deste CD que alavancou a carreira do artista.

Seu nome ficou também conhecido através de um acidente que a princípio poderia significar um prejuízo irreparável, mas que abriu as portas definitivamente para que suas músicas fossem ouvidas no país inteiro. O carro que transportava seu disco tombou próximo à cidade de Eunápolis, Bahia, e foi saqueado. Foi perdida toda a produção de três mil cópias que haviam sido prensadas, restando apenas o original. Nas mãos dos camelôs e saqueadores, o disco foi copiado, vendido e ganhou espaço nas rádios do Nordeste, sendo uma das mais tocada naquele ano.

Com o álbum “Adelmario Coelho Ao Vivo” lançado no ano de 2000, o forrozeiro conquistou o segundo lugar dos CDs mais vendidos na Bahia. Na sequência, o álbum “Adelmario Coelho Acústico - Visita ao Trio Nordestino 1” vendeu mais de 300 mil cópias, ocupando o 24º lugar entre os discos mais vendidos no Brasil.

Participa todos os anos da programação junina das maiores praças do nordeste a exemplo de Campina Grande – PB, Caruaru – PE, Aracaju – SE, Bahia, dentre outras. Já foi assistido por mais de 1 milhão de pessoas durante suas turnês. Sua carreira registra mais de 1000 shows realizados e ultrapassa a faixa de 1 milhão de CDs vendidos.

Preocupado com as questões sociais, o cantor participa de campanhas beneficentes em prol de instituições como o NASCI, Hospital Martagão Gesteira e Aristides Maltez. Também apoia cedendo sua imagem campanhas de conscientização e prevenção, tais como campanha do Ministério da Saúde em combate a AIDS e doação de sangue realizada pelo HEMOBA.

O carinho dos seus fãs durante toda sua trajetória rendeu-lhe homenagens e reconhecimentos a exemplo dos títulos de Cidadão Soteropolitano, Aracajuano e Juazeirense.

Atualmente Adelmario Coelho é considerado um dos maiores forrozeiros do Brasil, por conservar o verdadeiro forró pé-de-serra e representar as manifestações do nordeste em suas apresentações pelo Brasil afora, inclusive no exterior. É proprietário juntamente com sua família, da Produtora Grupo Coelho Entretenimento, que ao longo dos anos vem destacando-se neste mercado em Salvador.

O artista lançou em maio de 2012 o livro Adelmario Coelho e a Cultura Nordestina, que relata sua experiência de vida e propõe fortalecer a imagem do povo nordestino, além de dar maior visibilidade à cultura da região. Ainda lançou o CD em homenagem ao Rei do baião, Abrindo o Baú de Luiz Gonzaga, onde gravou as 20 canções menos conhecidas do grande público na voz do inesquecível Lua.

No ano de 2014, o cantor completa 20 anos de carreira, com 20 CDs lançados, 2 DVDs e 1 vinil. Para comemorar especial data, Adelmario lança o Cd “Revirando as Gavetas”, onde faz uma releitura de sucessos que o acompanharam ao longo desta trajetória.

O sucesso na carreira do artista é resultado de um longo trabalho que encanta gerações e o reconhecimento vem através do título de “Forrozeiro do Brasil”, como é carinhosamente chamado por seus seguidores. A solidez da carreira do cantor culminou em sua primeira turnê internacional pela Europa no final de 2011, sucesso esse que foi repetido em fevereiro e agosto de 2013 em sua segunda e terceira turnê internacional.

DiscografiaEditar

Ano Disco Notas
1994 "No Balanço do Forró" LP
1995 "Não fale mal do meu país"
1996 "Chovendo sinceridade"
1997 "No Brasil temos de tudo"
1998 "Vamos dar as mãos"
1999 "500 anos de Brasil"
2000 "Adelmario Coelho ao vivo"
2001 "Chega de Saudade"
2002 "Visita ao Trio Nordestino" Acústico
2003 "Visita ao Trio Nordestino 2" Acústico
2004 "Farejador de Forró"
2005 "Povo Brasileiro"
2006 "Forró pro mundo"
2007 "Minha vida, meu forró"
2008 "O Forrozeiro do Brasil"
2009 "15 Anos de puro forró"
2011 "Basta Acreditar"
2012 "Abrindo o Baú de Luiz Gonzaga" Acústico
"Abrindo o Baú de Luiz Gonzaga"

[3]

Notas e referências

  1. «Biografia no Cravo Albin». dicionariompb.com.br. Consultado em 1 de julho de 2013 
  2. «Coluna Vip bate papo com o forrozeiro Adelmário Coelho». Consultado em 1 de julho de 2013 
  3. «O Forrozeiro do Brasil - Adelmario Coelho». Consultado em 1 de julho de 2013 

Ligações externasEditar