Abrir menu principal

Administração Transitória das Nações Unidas em Timor-Leste

   |- style="font-size: 85%;"
       |Erro::  valor não especificado para "nome_comum"
   


Timór Lorosa'e
Timor-Leste

Protetorado das Nações Unidas

Flag of Timor Timur.svg
1999 – 2002 Flag of East Timor.svg
 
Flag of the United Nations.svg
Flag Brasão
Bandeira Brasão de armas
Localização de {{{nome_comum}}}
Mapa de Timor-Leste.
Continente Ásia
Região Sudeste Asiático
País Timor-Leste
Capital Díli
Língua oficial Português, tétum
Outros idiomas Inglês, indonésio
Governo Protetorado das Nações Unidas
Administrador transitório Sérgio Vieira de Mello
Ministro-chefe
 • 2001–2002 Mari Alkatiri
História
 • 25 de outubro de 1999 Resolução 1272 do Conselho de Segurança das Nações Unidas
 • 20 de maio de 2002 Independência
População
 •  est. 947 000 
Moeda Dólar dos Estados Unidos

A Administração Transitória das Nações Unidas em Timor Leste (também chamada UNTAET por sua sigla em inglês) foi uma missão de paz da Organização das Nações Unidas implantada no país entre 1999 e 2002. Seu objetivo foi fornecer transitoriamente toda administração civil efetiva, incluindo a execução da autoridade legislativa, executiva e judicial; haja vista o país passava por um processo político tumultuado que conduziu à sua independência.

Índice

HistóriaEditar

 
Soldados australianos em Timor-Leste sob o mandato da Organização das Nações Unidas, maio de 2002.

O mandato da UNTAET foi estabelecido pelas disposições da Resolução 1272 do Conselho de Segurança de 25 de outubro de 1999. Nessa resolução, o Conselho decidiu que a UNTAET, além de lidar com a administração geral de Timor-Leste, deveria manter a ordem pública, estabelecer uma administração eficaz, contribuir para o desenvolvimento dos serviços civis e sociais, realizar trabalhos de ajuda humanitária, promover o autogoverno e ajudar para o desenvolvimento sustentável da economia local.[1]

A missão estabeleceu a sua sede em Díli. Teve autorização para implantar até 9 150 militares e 1 640 polícias civis. Além disso contou, até março de 2002, com o apoio de 737 estrangeiros e 1 745 locais como funcionários civis das Nações Unidas. Um total de vinte e nove países diferentes contribuíram com pessoal militar para a missão e trinta e nove enviaram policiais. A UNTAET sofreu dezassete baixas mortais: quinze militares, um policial e um observador militar.[2]

A UNTAET, criada a 25 de outubro de 1999, foi extinta a 20 de maio de 2002 com a maioria das suas funções passadas para o governo de Timor-Leste. As forças militares e policiais foram transferidas para a recém-criada Missão das Nações Unidas de Apoio a Timor-Leste (UNMISET).

Ver tambémEditar

Referências

Ligações externasEditar