Adolf Schulten

professor académico alemão

Adolf Schulten (Elberfeld, 27 de maio de 1870 - Erlangen,19 de março de 1960) foi um arqueólogo, historiador e filólogo alemão, considerado o pai da investigação moderna sobre Tartessos, estudo a que dedicou muitos anos.

Adolf Schulten
'
Nascimento 27 de maio de 1870
Elberfeld
Morte 19 de março de 1960 (89 anos)
Erlangen
Cidadania Alemanha
Alma mater
Ocupação historiador da arte, arqueólogo, historiador, professor universitário,
Prêmios
  • Ordem do Mérito da Baviera
  • Grã-Cruz da Ordem do Mérito da República Federal da Alemanha
  • doutor honoris causa da Universidade de Barcelona
  • Grã-Cruz da Ordem Civil de Afonso X, o Sábio (1941)
  • Medalha Goethe de Arte e Ciência (1940)
Empregador Universidade de Erlangen-Nuremberga, Universidade de Gotinga

Realizou escavações arqueológicas em Espanha, Itália e no norte de África, e embora a sua verdadeira obsessão fosse encontrar os vestígios da cidade de Tartessos, nunca conseguiu realizar esse sonho.

Empenhou-se em escavações no actual Parque Nacional de Doñana, na foz do rio Guadalquivir e encontrou um povoado romano no Cerro del Trigo, convencido de que se tratava da população situada sobre os vestígios da cidade mítica.

Entre outros trabahos de escavação por todo o país, trouxe à luz as ruínas de Numância ou o acampamento romano de Castra Cecilia, situado na actual cidade Cáceres.

É autor da obra monumental Hispania. Geografía, etnología e historia.

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço relacionado ao Projeto Biografias. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.