Adriaan Reland

Adriaan Reland (também conhecido por Adriaen Reeland/Reelant, Hadrianus Relandus) (De Rijp, 17 de julho de 1676 — Utrecht, 5 de fevereiro de 1718)[1] foi um erudito, cartógrafo e filólogo neerlandês.

Adriaan Reland
Nascimento 17 de julho de 1676
Graft-De Rijp, De Rijp
Morte 5 de fevereiro de 1718 (41 anos)
Utrecht
Cidadania Países Baixos
Alma mater Universidade de Utrecht
Ocupação poeta, linguista, cartógrafo, escritor, historiador, professor universitário, filólogo
Empregador Universidade de Utrecht, Universidade de Harderwijk

BiografiaEditar

Reland era filho de Johannes Reland, um pastor protestante, e Aagje Prins na pequena aldeia de De Rijp, na Holanda do Norte. O irmão de Adriaan, Peter (1678-1714) foi um influente advogado em Haarlem.[1] Reland estudou primeiramente em Amsterdã e matriculou-se na Universidade de Utrecht em 1693. Após a conclusão de seu curso de doutorado[2] em Utrecht, mudou-se para Leiden, onde educou o filho de Hans Willem Bentinck, depois 1º Conde de Portland. Este último convidou-o para ir morar na Inglaterra, porém, Reland não aceitou devido a saúde debilitada de seu pai.[1]

Reland foi um dos primeiros orientalistas.[3] Foi nomeado professor de Filosofia da Universidade de Harderwijk em 1699.[4] De 1701 em diante, foi professor de línguas orientais na Universidade de Utrecht. Em 1713, ensinou também antiguidades hebraicas. Reland destacou-se por seus estudos meticulosos do Islã e pelas pesquisas linguísticas. Traçou a extensão leste das línguas austronésias para o Pacífico ocidental.

O livro no qual compilou as opiniões de estudiosos do século 17 sobre a adoção do nome "Jeová" para representar o tetragrama YHWH era citado mais de cem anos depois por Wilhelm Gesenius e outros: Decas exercitationum philologicarum de vera pronuntiatione nominis Jehova.[5]

Embora nunca tenha se aventurado além das fronteiras dos Países Baixos, destacou-se também como cartógrafo.[6]

Reland morreu em 1718 em Utrecht de varíola.[1]

Seleção de trabalhos publicadosEditar

  • Palaestina ex monumentis veteribus illustrata - um minucioso levantamento geográfico da Palestina em 1696, escrito em latim e publicado por Willem Broedelet, Utrecht, em 1714.
  • De religione Mohammedica libri duo - o primeiro trabalho europeu para tentar descrever a religião islâmica de uma forma relativamente objetiva, publicado em 1705.
  • Galatea. Lusus poetica - Uma coleção de elegias amorosas latinas, que trouxe a Reland alguma fama como poeta neolatino, publicada em 1701.
  • De natuurlijke wijsgeer - uma tradução para o neerlandês do romance árabe de Ibn Tufail, Hayy ibn Yaqdhan, impressa por Pieter van der Veer em Amsterdã, em 1701.

Referências

  1. a b c d John Gorton, A General Biographical Dictionary, 1838, Whittaker & Co.
  2. «Digitaal Album Promotorum». Consultado em 9 de maio de 2010. Arquivado do original em 2 de outubro de 2011 
  3. P. J. A. N. Rietbergen. Power And Religion in Baroque Rome: Barberini Cultural Policies. [S.l.: s.n.] 321 páginas 
  4. «Adriaan Reland (1676-1718)». Consultado em 9 de maio de 2010. Arquivado do original em 13 de abril de 2008 
  5. Decas exercitationum philologicarum de vera pronuntiatione nominis Jehova, quarum quinque priores lectionem Jehova impugnant, posteriores tuentur. Cum praefatione Adriani Relandi. ex officina Johannis Coster; 1707.
  6. Reelant, Adriaan (1714). Hadriani Relandi Palaestina ex monumentis veteribus illustrata (em latim). [S.l.]: G. Broedelet 

Ligações externasEditar