Abrir menu principal
Adriano Cerqueira
Nascimento 17 de outubro de 1938
Braga
Morte 2 de fevereiro de 2005 (66 anos)
Cidadania Portugal
Ocupação jornalista

Adriano Cerqueira (Braga, 17 de Outubro de 19382 de Fevereiro de 2005) foi um jornalista português.

BiografiaEditar

Estudou no Liceu Sá de Miranda, tendo tido durante a juventude o seu primeiro contacto com a comunicação social nos jornais da região. Aos 18 anos entrou para a Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa. Em 1965 foi chamado para cumprir o serviço militar sendo enviado para Angola, onde realizou comissão em plena Guerra Colonial, embarcando em setembro desse ano a bordo do paquete Vera Cruz.[1]

Ingressou na RTP como Assistente de Realização. Depois foi jornalista, foi responsável pelo Canal 2[2] e mais tarde veio a ser Director de Programas.

A paixão pelo automobilismo levou-o a participar durante 25 anos nas transmissões televisivas de Formula1 e de automobilismo, não só na RTP, mas também nas rádios Emissora Nacional, Rádio Comercial e RFM. Foi director do jornal O Volante e da revista Auto Mundo e colaborador da Auto Motor. Também foi membro do Júri "Carro do Ano Internacional" e Director-Geral do Salão Internacional do Automóvel em Portugal.

Na década de oitenta, como responsável pela RTP 2, ajudou José Eduardo Moniz a triunfar na RTP. Assumiu o cargo de director de programas quando Moniz saiu para fundar a produtora MMM com Manuela Moura Guedes.

Reformou-se em Fevereiro de 1996 com 58 anos de idade, 35 dos quais na RTP.

Foi director da revista TV Guia e do jornal O Benfica de 2001 a 2005.

É pai da ex-actriz e jornalista Sofia Cerqueira.

Após prolongada doença e, continuando a dinamizar os seus projectos, morreu de cancro nos pulmões.

Referências

  1. Abel Matias, Angola paz só com Muxima, 2.ª Ed., 1996, p. 41
  2. «Clube 4x4 - "O meu Nissan Terrano II não é só para o asfalto"». Arquivo.pt [ligação inativa]

Ver tambémEditar