Abrir menu principal

Adylson Martins Motta (São Luiz Gonzaga, 26 de agosto de 1936) é um político brasileiro.

Adylson Motta
Ministro do Tribunal de Contas da União
Mandato: 20 de janeiro de 1999
até 23 de agosto de 2006
Nomeação por: Fernando Henrique Cardoso
Antecessor(a): Fernando Gonçalves
Sucessor(a): Aroldo Cedraz
Deputado Federal pelo Rio Grande do Sul
Mandato: 1 de fevereiro de 1987
até 20 de janeiro de 1999
(3 mandatos consecutivos)
Deputado Estadual pelo Rio Grande do Sul
Mandato: 1979 a 1987
(2 mandatos consecutivos)
Dados pessoais
Nascimento: 26 de agosto de 1936 (83 anos)
São Luiz Gonzaga-RS
Esposa: Vera Paiva Motta
Alma mater: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS)

É formado em Odontologia e Direito pela PUC-RS. Ocupou cargos administrativos na Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul onde foi funcionário. Trabalhou na Secretaria de Saúde do Estado até 1978 quando, pela Arena, se elegeu deputado estadual. Reeleito em 1982 já pelo PDS, também chefiou a Casa Civil do governo de Jair Soares. Elegeu-se deputado federal em 1986, sendo reeleito em 1990 e 1994.

TCUEditar

Com a aposentadoria do ministro Fernando Gonçalves em 1998, coube a Câmara dos Deputados indicar o substituto a vaga.

Houve três candidatos, e por votação secreta, Motta venceu com 223 votos, contra os 122 votos dados ao deputado Gonzaga Mota (PMDB-CE) e 103 votos a Fernando Lyra (PSB-PE).[1] Confirmado pelo Senado e nomeado pelo presidente da república, renunciou ao mandato de deputado federal para assumir o novo cargo em 20 de janeiro de 1999. Presidiu o Tribunal no biênio 2005 e 2006, ano em que se aposentou.

Ligações externasEditar

Referências

  1. «Assembléia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul, 1998». Consultado em 11 de fevereiro de 2010. Arquivado do original em 8 de julho de 2004