Abrir menu principal
Miami
Aeroporto
Miami International Airport
Vista da pista 30 do aeroporto em 2012
IATA: MIA - ICAO: KMIA - FAA: MIA
Características
Tipo Público
Administração Miami-Dade Aviation Department
Serve Região do Sul da Flórida,  Estados Unidos
Localização Miami,  Estados Unidos
Inauguração 1928 (91 anos)
Coordenadas 25° 47' 36" N 80° 17' 26" O
Altitude 3 m (10 ft)
Movimento de 2018
Passageiros 45.044.312 mi de passageiros
Carga 2.348.024 toneladas
Aéreo 413.725 aeronaves
Capacidade anual 35 mi de passageiros
Website oficial Página oficial
Mapa
KMIA está localizado em: Estados Unidos
KMIA
Localização do aeroporto nos Estados Unidos
Pistas
Cabeceira(s) Comprimento Superfície
09 / 27 3 962  m (12 999 ft) Concreto
08R / 26L 3 202  m (10 505 ft) Concreto
08L / 26R 2 621  m (8 599 ft) Concreto
12 / 30 2 851  m (9 354 ft) Concreto

O Aeroporto Internacional de Miami (em inglês: Miami International Airport) é um aeroporto localizado no Condado de Miami-Dade, Flórida, Estados Unidos. O aeroporto fica numa área não incorporada no Condado de Miami-Dade, Flórida, a 13 km a noroeste do centro de Miami, na região metropolitana, entre as cidades de Miami, Hialeah, Doral e Miami Springs, Virginia Gardens e o bairro não-corporativo de Fontainebleau.

É o principal aeroporto do sul da Flórida para voos internacionais de longa distância e um hub para o Sudeste dos Estados Unidos, com voos de passageiros e de carga para cidades da América, Europa, e a Ásia Ocidental, bem de como voos de carga para a Ásia Oriental. É a maior porta de entrada entre os Estados Unidos e o sul da América Latina e é um dos maiores hubs de companhias aéreas dos Estados Unidos, devido a proximidade de atrações turísticas, crescimento econômico local, grandes populações locais de latino-americanos e europeus e estratégia local para lidar com o tráfego de conexão entre a América do Norte, a Europa e a América Latina.

Em 2017, 44 071 313 passageiros viajaram pelo aeroporto, tornando-se o 40.° aeroporto mais movimentado do mundo em termos de tráfego de passageiros. O aeroporto também é considerado o 12.° aeroporto mais movimentado dos Estados Unidos em termos de movimento de passageiros, e também o segundo mais movimentado da Flórida. O aeroporto também lidou com mais cargas internacionais do que qualquer outro aeroporto nos EUA.

O aeroporto é o principal portal da American Airlines para a América Latina (América Central, Mar do Caribe / Ilhas Antilhas, América do Sul), juntamente com um hub doméstico para sua afilhiada regional American Eagle nos EUA. Também serve como uma cidade destaque para a Avianca, Frontier Airlines e a LATAM, tanto para passageiros quanto para operações de carga. No passado, foi um hub para a Braniff International Airways, a Eastern Air Lines, Air Flórida, a National Airlines original, a Pan Am, a United Airlines, Iberia e Fine Air.

Índice

HistóriaEditar

O primeiro aeroporto no local do atual aeroporto foi inaugurado na década de 1920 e ficou conhecido como Aeroporto da Cidade de Miami. A Pan American World Airways abriu uma instalação expandida adjacente ao City Airport, Pan American Field, em 1928. O Pan American Field foi construído em 116 acres de terra na 36th Street e foi o único aeroporto continental no leste dos Estados Unidos que tinha portas de entrada. Suas pistas estavam localizadas ao redor do limiar da atual pista 26R. A Eastern Air Lines começou a servir o Pan American Field em 1931, seguida pela National Airlines em 1936. A National usou um terminal no lado oposto da LeJeune Road do aeroporto e interrompia o tráfego na estrada para taxiar aeronaves e para seu terminal.

O Aeródromo do Exército de Miami foi inaugurado em 1943, durante a Segunda Guerra Mundial ao sul do Pan American Field, as pistas das duas foram originalmente separadas por trilhos de trem, mas os dois aeródromos foram listados em alguns diretórios como uma instalação única. Após a Segunda Guerra Mundial em 1945, a Cidade de Miami, estabeleceu uma Autoridade Portuária e aumentou a receita de títulos para a compra do Pan American Field, que havia sido renomeado para 36th Street Airport, da Pan Am. Ele se fundiu com o antigo Aeródromo Militar de Miami, que foi comprado das Forças Aéreas do Exército dos Estados Unidos ao sul da ferrovia em 1949 e expandiu ainda mais em 1951, quando a própria linha ferroviária foi movida ao sul para dar mais espaço. O antigo terminal da 36th Street foi fechado em 1959, quando o centro moderno de passageiros se abriu. A tropa de tropas e esquadrões de resgate das Forças Aéreas do Exército dos Estados Unidos também operaram no aeroporto de 1949 a 1959, quando a última unidade se mudou para a Base da Força Aérea de Homestad.

Os voos sem escalas para Chicago e o Aeroporto Internacional de Newark, no nordeste de Nova Jérsia começaram no final de 1946, mas as paradas não alcançaram o oeste além de St. Louis e Nova Orleães até janeiro de 1962. Os voos transatlânticos sem escalas para a Europa começaram em 1970. No início da década de 1980, A Air Flórida tinha um hub em Miami, com um voo sem escalas para Londres, Inglaterra, que adquiriu da National após a fusão desta com a Pan Am. A Air Florida encerrou suas atividades em 1982, após o fatal acidente do Voo Air Florida 90. A British Airways realizou uma operação Conciser SST (transporte supersônico) entre Miami e Londres via Washington, D.C. de 1984 a 1991.

O ex-austronauta da Apollo 8, Frank Borman, após se ter tornado presidente da Eastern Air Lines em 1975 mudou a sede da Eastern do Rockefeller Center, em Nova Iorque, para o Building 16, no nordeste do aeroporto, base de manutenção da Eastern. Eastern permaneceu como um dos maiores empregados na área metropolitana de Miami até que a agitação dos sindicatos em andamento, juntamente com a aquisição da companhia aérea pelo sindicato Frank Lorenzo em 1986, forçou a empresa a declarar falência em 1989.

No meio da turbulência da Eastern, o dono da American Airlines, Bob Crandall, procurou um novo hub para utilizar novas aeronaves que a AA havia encomendado. Estudos da AA indicaram que a Delta Air Lines forneceria uma forte concorrência na maioria das rotas do hub da Eastern no Aeroporto Internacional de Atlanta Hartsfield-Jackson em Atlanta, Geórgia, mas que o aeroporto tinha muitas rotas importantes servidas apenas pela Eastern. A American anunciou que estabeleceria uma base em Miami em agosto de 1988. Lorenzo considerou vender as lucrativas rotas da América Latina para AA como parte de uma reorganização da Eastern no início de 1989, mas recuou em um último esforço para reconstruir a base em Miami. O esforço rapidamente se mostrou fútil, e a American comprou as rotas em uma liquidação da Eastern que terminou em 1990. Mais tarde nos anos 90, A American transferiu mais funcionários e equipamentos para Miami de seus hubs domésticos falidos em Nashville, Tennessee e Raleigh, na Carolina do Norte. O hub cresceu de 34 partidas diárias em 1989, para 157 em 1990, 190 em 1992 e um pico de 301 em 1995, incluindo voos de longa distância para a Europa e América do Sul. Hoje Miami é o maior centro de transporte aéreo de carga da América e é o principal ponto de conexão na rede de rotas internacionais norte-sul da companhia aérea.

A Pan Am, a outra grande companhia em Miami, foi adquirida pela Delta em 1991, mas entrou em falência pouco tempo depois. Suas rotas internacionais restantes de Miami para a Europa e América Latina foram vendidas para a United Airlines por $135 milhões de dólares como parte da liquidação de emergência da Pan Am em dezembro. O hub da United na América Latina ofereceu 24 partidas diárias no verão de 1992, crescendo para 36 partidas diárias para 21 destinos no verão de 1994, mas retornou para 24 partidas diárias no verão de 1995 e nunca mais expandiu. A United fechou voos de Miami para a América do Sul e fechou a base de tripulantes em Miami, em maio de 2004, realocando a maior parte dos recursos de Miami para seu principal hub no Aeroporto Internacional O'Hare, em Chicago, Illinois. A United cessou toso o serviço de Miami em 2005 com a introdução de seu programa de baixo custo Ted.

A Iberia também estabeleceuum hub em Miami em 1992, posicionando uma frota de aeronaves DC-9 no aeroporto para atender destinos na América Central e no Caribe. o centro aproveitou os destinos concedidos ao abrigo do acordo bilateral da aviação de 1991 entre os Estados Unidos e Espanha. No entanto, os atentados de 11 de setembro tornaram necessário que muitos estrangeiros obtivessem um visto para transitar nos Estados Unidos, e como resultado, a Iberia fechou seu hub em 2004. Miami continua sendo o centro mais importante entre os dois continentes: Europa e América Latina, e hoje mais transportadoras europeias têm conexões com o Aeroporto Internacional de Miami do que qualquer outro aeroporto nos Estados Unidos, exceto o Aeroporto Internacional John F. Kennedy, em Nova Iorque.

Companhias Aéreas e DestinosEditar

NacionaisEditar

Companhias Voos Domésticos
  Allegiant Air Fort Lauderdale
    Atlanta, Baltimore, BirminghamBoston, Charleston, Charlotte, Chicago, Cleveland, Columbus, Dallas, Denver, Detroit, Freeport, Gainesville, Hartford, Houston, Indianapolis, Jacksonville, Key West, Las Vegas, Los Angeles, Minneapolis, Nashville, Norfolk, Nova Orleans, Nova Iorque, Newark, Orlando, Filadélfia, Pensacola, Pittsburgh, Phoenix, Raleigh, Richmond, San Luis, San Juan, São Francisco, St. Louis, Tallahassee, Tampa, Tulsa, Washington
    Seattle
    Atlanta, Cincinnati, Detroit, Memphis, Minneapolis, Nova Iorque, Orlando
  Dynamic Airways Fort Lauderdale
  Frontier Airlines Atlanta, Chicago, Filadélfia, Las Vegas, New York
  Sun Country Airlines Minneapolis
  United Airlines Atlanta, Chicago, Cleveland, Denver, Houston, Newark, New York, Washington
  Xojet Atlanta

InternacionaisEditar

Companhias Voos Internacionais
  Aer Lingus Dublin
  Aeroflot Moscou
    Buenos Aires, Córdoba, Punta Cana
    Cancún, Cidade do México, Mérida, Monterrey
    Montreal, Toronto
  Air Europa Madrid, Tenerife
    Paris, Pointe-à-Pitre, Porto Príncipe
Air Service Gabon Naples
    Milão, Roma
    Antígua e Barbuda, Aruba, Assunção, Barbados, Barcelona, Belize, Belo Horizonte, Bermudas, Bogotá, Brasília, Bridgetown, Buenos Aires, Cali, Cancún, Campinas, Caracas, Cidade da Guatemala, Cidade do México, Cidade do Panamá, Cozumel, Curaçao, Granada, Grand Cayman, Guayaquil, Havana, Holguín, Kingston, La Paz, Liberia, Lima, Londres, Madrid, Manágua, Manaus, Maracaibo, Marsh Harbour, Medellín, Milão, Montego Bay, Monterrei, Montevidéu, Montreal, Nassau, North Eleuthera, Paris, Porto Príncipe, Port of Spain, Providenciales, Puerto Plata, Punta Cana, Quito, Rio de Janeiro, Saint Croix, Saint Lucia, Saint Marteen, Saint Thomas, San José, San Juan, San Pedro Sula, San Salvador, Santa Cruz de la Sierra, Santiago, Santiago de los Caballeros, Santo Domingo, São Paulo, São Cristóvão e Nevis, Tegucigalpa, Toronto, Vieux Fort
  American Eagle Camagüey, Cienfuegos, Freeport, Georgetown, Havana, Holguín, Nassau, Santiago de Cuba
Ameriflight George Town, Kingston
  Arkefly Amsterdã
  Aruba Airlines/AG Airlines Camaguey, Havana, Oranjestad
  Austrian Airlines Viena
    Barranquilla, Bogotá, Cali, Cartagena das Índias, Cidade de Guatemala, Lima, Medellín, Pereira, San Pedro Sula, San Salvador
    São Paulo
  Avior Airlines Barcelona (Venezuela)
    Nassau
  Boliviana de Aviación Santa Cruz de La Sierra
  British Airways Londres
  Canadian North Hamilton, Ottawa
  Caribbean Airlines Kingston, Port of Spain
    George Town, Grand Cayman, Cayman Brac
Ceiba Intercontinental Freeport
    Cidade do Panamá
  Corsairfly Paris
  Delta Havana
  Eastern Air Lines Havana
    Helsinki
  Gulfstream International Airlines Havana
  Gol Linhas Aéreas Brasília, Fortaleza
  IBC Airways Cabo Haitiano, George Town, Guantanamo, Kingston, Port-au-Prince, Providenciales
    Madrid
  Insel Air Bonaire, Curaçao, Porto Príncipe, Saint Marteen
  Interjet Cancún, Cidade do México
  Keewatin Air Caracas
  LACSA San José
    Bogotá, Caracas, Guayaquil, Punta Cana, Santiago
    Buenos Aires
    Quito
    Lima
    Belém, Fortaleza, Manaus, Recife, Rio de Janeiro, Salvador (em 2018), São Paulo
    Düsseldorf, Frankfurt, Munique
  Miami Air International Nassau
  MyAir Oranjestad
    Doha
  SBA Airlines Caracas, Maracaibo
  Scandinavian Airlines Copenhagem, Oslo
  SkyBahamas Airlines Havana
  Sky King Havana, Holguín
    Aruba, Georgetown, Paramaribo
  Swiftair Camaguey, Havana
  Swiss Airlines Zurique
    Cidade da Guatemala, Manágua, Roatán , San Pedro Sula, San Salvador, Tegucigalpa
  TACV Cabo Verde Airlines (Em breve) Ilha do Sal - Inicia até dezembro/17
    Lisboa
Thai Smile Bogotá
Thomas Cook Airlines Manchester
 Turkish Airlines Istambul
  Virgin Atlantic Airways Londres
  Vision Airlines Camagüey, Havana, Holguín, Santiago de Cuba
  VivaColombia Bogotá, Medellin
    Toronto
  Xtra Airways Liberia, Saint Thomas

CargasEditar

Cias Aéreas Destinos
  ABSA Cargo Airline Ciudad del Este
  ABX Air Atlanta, Caracas, Cidade do Panamá, Cincinnati, Nashville, Orlando, San José
  Amerijet International Barcelona, Cidade de Carmen, Cidade de Guatemala, Georgetown, Kingston, Managua, Merida, Port-au-Prince, Port Of Spain, Santo Domingo, San Pedro Sula
  Asiana Airlines Nova Iorque
  Atlas Air Campinas, Santiago
  Avianca Cargo Bogotá, Cidade do Panamá, Curitiba
  Cargolux Houston, Luxemburgo
  DHL Cidade do Panamá, San José
  Estafeta Carga Aerea Cancun
  FedEx Atlanta, Cidade do panamá, Memphis
 Korean Air Campinas
  LANCO Cidade do Panamá, Quito
  Martinair Amsterdam, Caracas, Cidade de Guatelama, Cidade do México, San José
  MasAir Quito
  Polar Air Cargo Nova Iorque, Wrightstown
  Sky Lease Cargo Campinas, Los Angeles
Thai Smile Buenos Aires
Thai Airways International Santiago
 UPS Airlines Bogotá, Cidade do Panamá, Greenville, Managua, Quito
 
Aeroporto Internacional de Miami

Referências


  Este artigo sobre um aeroporto, integrado ao Projeto Aviação, é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Aeroporto Internacional de Miami