Abrir menu principal

Aeroporto de Ilhéus

Ilhéus
Aeroporto
Aeroporto Jorge Amado
IATA: IOS - ICAO: SBIL
Características
Tipo Público
Administração Socicam
Serve Microrregião de Ilhéus-Itabuna
Localização Ilhéus, BA, Brasil
Inauguração 1939 (80 anos)
Coordenadas 14° 48' 54" S 39° 02' O
Altitude 4 m (13 ft)
Movimento de 2018
Passageiros 574.388 passageiros
Capacidade anual 700 000 passageiros
Principais companhias
Website oficial Página oficial
Mapa
SBIL está localizado em: Brasil
SBIL
Localização do aeroporto no Brasil
Pistas
Cabeceira(s) Comprimento Superfície
11 / 29 1 577  m (5 174 ft) Asfalto
Notas
Dados do DECEA[1] e da ANAC[2]

O Aeroporto Jorge Amado é um aeroporto situado na cidade de Ilhéus, no estado da Bahia, distante 446 quilômetros da capital, Salvador. Pertencente ao Governo do Estado da Bahia e administrado desde 2018 pela empresa privada Socicam.[3].

O complexo aeroportuário é a principal porta de entrada de turistas para a Costa do Cacau, ficando localizado à 3 km do centro de Ilhéus, na zona sul da cidade. Atrás apenas do Aeroporto de Porto Seguro, o Aeroporto de Ilhéus é o segundo aeroporto mais movimentado do interior do Nordeste brasileiro. O aeroporto dispõe de um terminal de passageiros capaz de atender a 700.000 passageiros/ano, sendo um dos poucos aeroportos do interior a operar diariamente com voos das três maiores companhias aéreas brasileiras: Azul Linhas Aéreas, Gol Linhas Aéreas e LATAM Airlines para as cidades de Belo Horizonte, São Paulo e Salvador. Está capacitado a receber aeronaves de médio porte como o Boeing 737-800 e o Airbus A319.

Em 12 de março de 2002 uma lei federal alterou o nome do aeroporto[4] em homenagem ao escritor baiano Jorge Amado, falecido em 2001.

HistóriaEditar

A história do transporte aéreo de Ilhéus é tão antiga quanto a da própria aviação comercial brasileira. Os hidroaviões da Condor e da Panair do Brasil que viajavam para o Norte do Brasil faziam escala obrigatória na cidade. Em 9 de maio de 1938, foi escolhida uma área de 370.670 m² para a construção do Campo de Aviação do Pontal. Construído com a função de servir de apoio a aeronaves durante a II Guerra Mundial, o aeroporto era administrado pela Força Aérea Brasileira. Durante essa época, a pista de pouso era de material pouco consistente e em posição diferente da existente atualmente, só então na década de 1950 foi asfaltado.

Em 10 de março de 1981, a Infraero assumiu a administração do aeroporto e promoveu uma série de obras como a ampliação e reforma do terminal de passageiros, assim como a construção de cercas e muros de segurança.

Avianca, BRA, Cruzeiro, Nordeste, Panair, Rio-Sul, Transbrasil, Varig, VASP e WebJet foram algumas das companhias já que movimentaram regularmente passageiros do Aeroporto de Ilhéus ao resto do Brasil. Ainda movimentaram a pista ilheense a Bahia Taxi Aéreo e a Atlanta Taxi Aéreo.

 
Pista do aeroporto.

Restrição de voosEditar

Em 2007, a ANAC (Agência Nacional de Avaliação Civil) determinou a redução de 110 metros da pista do Aeroporto de Ilhéus, pela proximidade com a rodovia BA-001 que passa pela frente de uma de suas cabeceiras. Depois desta medida, a TAM deixou de operar voos com as aeronaves Airbus A320, que tem maior capacidade de passageiros e também de carga, passando a operar com os Airbus A319.

Em agosto de 2008, a ANAC determinou que a partir do dia 2 de setembro daquele mesmo ano, voos noturnos por meio de instrumentos estariam proibidos de decolar e de pousar no aeroporto, assim como também durante o dia quando houvesse neblina ou fortes chuvas. A medida foi tomada após um estudo realizado pelo Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA), que apontou 65 obstáculos (postes e propriedades privadas). A Infraero foi notificada e a medida entrou em vigor somente no dia 16 de setembro, após a ANAC prorrogar a medida para essa última data. Com isso GOL e TAM cancelaram seus voos noturnos.

Desde outubro de 2009, todos os obstáculos foram retirados e os voos podem ser realizados normalmente, sem qualquer restrição.

Delegação ao Governo do Estado e concessão à iniciativa privadaEditar

Em 22 agosto de 2017, o aeroporto Jorge Amado foi repassado pela Infraero ao Governo do Estado da Bahia, para que fosse iniciado o processo de concessão do terminal à iniciativa privada. O documento que garantiu a delegação foi assinado, em Brasília, pelo então ministro dos Transportes Maurício Quintella. No mesmo ato, revogou-se também a portaria que até então atribuía a exploração do aeródromo à Infraero. A operação do Aeroporto de Ilhéus pela Infraero era deficitária em cerca de R$ 6 milhões por ano.[5]

O consórcio vencedor do leilão realizado em julho de 2018 para explorar a operação aeroportuária durante 30 anos foi formado pela empresa Socicam e pela Companhia Brasileira de Comércio Exterior. Com isso, caberá a responsabilidade de realizar melhorias na pista de pousos e decolagens, implantar área de segurança nas cabeceiras da pista, ampliar o terminal de passageiros e melhorar o pátio de aeronaves, obrigando-se a investir R$ 100 milhões durante todo o período de concessão, sendo R$ 30 milhões nos primeiros 5 anos de administração do terminal.[6]

Além de todas essas intervenções no Aeroporto Jorge Amado, a nova concessionária do terminal comprometeu-se contratualmente a fazer o estudo de localização, o projeto e o licenciamento ambiental para um novo aeroporto na cidade de Ilhéus.[7]

A nova concessionária do Aeroporto de Ilhéus assumiu definitivamente a operação do equipamento em 3 de novembro de 2018 após quase 1 mês de gestão assistida com treinamento e capacitação de funcionários e equipes.[8]

EstatísticasEditar

Histórico - Movimento Operacional[9]
Ano Passageiros Pousos e decolagens
2000 185.436 6.477
2001 205.321 7.715
2002 213.172 7.884
2003 167.594 6.578
2004 198.858 6.347
2005 233.284 4.996
2006 303.151 4.821
2007 393.008 5.304
2008 379.137 4.567
2009 354.604 4.609
2010 396.771 5.824
2011 489.042 8.556
2012 503.260 8.164
2013 498.126 7.244
2014 556.990 6.392
2015 604.996 7.047
2016 579.864 6.368
2017 590.980 5.757
2018 574.388 5.607
2019 (jan/out) 420.689 4.082
Ranking de rotas considerando passageiros nos dois sentidos da ligação, chegando e saindo de Ilhéus (2018)[10]
Rank Origem/Destino Passageiros
1   São Paulo (Congonhas), São Paulo 204.070
2   Salvador, Bahia 140.476
3   Brasília, Distrito Federal 118.348
4   Belo Horizonte (Confins), Minas Gerais 76.103
5   Campinas, São Paulo 14.333
6   São Paulo (Guarulhos), São Paulo 10.009
7   Rio de Janeiro (Santos Dumont), Rio de Janeiro 6.821
8   Rio de Janeiro (Galeão), Rio de Janeiro 2.693
9   Recife, Pernambuco 813
10   Vitória, Espírito Santo 273


Complexo aeroportuárioEditar

 
Visão panorâmica do terminal do aeroporto.
Sítio aeroportuário[11]
  • Área total: 735.000 m²;
Pátio de aeronaves
  • Área: 9.915 m²;
  • 3 posições para aeronaves comerciais de médio porte;
  • Pátio para aviação executiva;
Pista
  • Dimensões: 1.577 x 45m (apenas 1.467m utilizáveis);
  • Balizamento de pista: visual, PAPI, Farol rotativo e NDB;
Terminal de passageiros
  • Capacidade: 700.000 passageiros/ano;
  • Área: 3.400m²;
  • 10 balcões de check-in;
Estacionamento
  • Capacidade: 72 veículos;


Aeroclube de IlhéusEditar

Fundado em 1942, anualmente forma pilotos privados. Aproximadamente trezentos pilotos já foram formados, está em operação sem interrupção desde que foi criado. O aeroclube possui uma frota de Aeroboero e Piper Cherokee, hangares (inclusive com serviço de hangaragem), simulador e excelente quadro de instrutores. Atualmente é presidido por Alexandre Mendes, cuja administração tem reconstruído o aeroclube o tornando competitivo entre as escolas de aviação do Nordeste brasileiro.

Ver tambémEditar

Referências