Abrir menu principal
Afanasio Jazadji
partido
Deputado estadual por São Paulo
Período 15 de março de 1987
14 de março de 2007
Dados pessoais
Nascimento 2 de novembro de 1950 (69 anos)
São Paulo
Nacionalidade brasileiro
Progenitores Mãe: Elena Marmar
Pai: Alexandru Jazadji
Religião Católico
Profissão Jornalista, radialista, advogado e publicitário

Afanasio Jazadji (São Paulo, 2 de novembro de 1950) é um jornalista, radialista, advogado, publicitário e político brasileiro de origem romena (ambos os pais nasceram no atual território da República da Moldávia[1] Não possui mais filiação partidária.

Exerceu o mandato de deputado estadual entre 1987 e 2007 pelo PDS, PST e PFL, com cinco eleições seguidas.[2]

Afanasio, criou no ano de 1980, o Disque-Denuncia através do programa "Patrulha da Cidade" transmitido pela Rádio Globo São Paulo. Na época, como era alto o índices de casos policiais sem solução, o radialista pedia para que seus ouvintes ligassem para a produção do programa e fizessem denúncias de forma anônima; os casos eram repassados para a Polícia, e, em apenas um mês, 19 assassinatos foram esclarecidos, só na cidade de São Paulo.

Em outubro de 1985, pela Rádio Capital de S. Paulo, dentro do quadro "Gente Procurando Gente", Afanasio conquistou o recorde mundial de localização de pessoas desaparecidas, ao reaproximar duas primas que não se viam havia 75 (setenta e cinco) anos. Com esse feito, passou a figurar, também, no Livro Internacional dos Recordes.[3]

Em agosto de 1983, ainda pela Rádio Globo, Afanasio alcançou o recorde nacional de audiência em rádio, com mais de 1 milhão e 41 mil ouvintes por minuto, recorde que não foi batido até os dias de hoje.[4]

Em 1986, foi eleito deputado estadual em São Paulo, obtendo 558.138 votos, alcançando a marca de deputado estadual mais votado da história do Brasil [5]

Em 1987, em seu primeiro mandato como deputado estadual por São Paulo, idealizou o Sistema de Resgate do Corpo de Bombeiros. O projeto só foi implantado durante o governo seguinte.

Enquanto deputado estadual, destacou-se em 20 anos de legislativo estadual como presidente da CPI que investigou o avanço do crime organizado no Estado de São Paulo.

Em 15 de maio de 1997, fez publicar no DOE (Diário Oficial do Estado de São Paulo) o estatuto de criação do PCC - Primeiro Comando da Capital, pois o governador da época (Mário Covas) dizia que "tudo estava sob controle no sistema prisional paulista" e que as bandeiras "1533" mostradas em várias rebeliões, não passavam de "estandartes de escolas de samba".

Ainda como deputado, nos primeiros anos de atividades, Afanasio acabou com uma sauna que havia no prédio do Palácio 9 de Julho para uso exclusivo dos parlamentares. Depois de muito empenho ante a resistência de alguns colegas, conseguiu também eliminar as chapas amarelas "frias" que eram utilizadas pelos carros oficiais daquele Legislativo

Em 2006, candidatou-se ao mesmo cargo, mas não se elegeu.[6]

Em 2008 tentou se eleger vereador por São Paulo pelo PMDB, ficando na primeira suplência.

É fervoroso defensor da instituição da pena de morte no Brasil.[7]

Afanasio Jazadji não mais possui filiação partidária.

Também foi comentarista do noticiário Boletim de Ocorrências, no SBT.[8]

Em 2014 lançou o livro "50 Anos de Jornalismo do Mais Autêntico Comunicador Brasileiro".

Em 2015 assumiu uma das cadeiras da Academia Paulista de Jornalismo.

Referências

  1. «AFANÁSIO JAZADJI». museu da tv. Consultado em 26 de Outubro de 2015. Arquivado do original em 4 de março de 2016 
  2. «Afanásio Jazadji (Ex-Deputado)». ALESP. Consultado em 26 de outubro de 2015 
  3. «AFANASIO JAZADJI». www.afanasio.com.br. Consultado em 28 de janeiro de 2016 
  4. «AFANASIO JAZADJI». www.afanasio.com.br. Consultado em 29 de janeiro de 2016 
  5. «Observatorio da Imprensa - Materias - 20/10/1998». www.observatoriodaimprensa.com.br. Consultado em 29 de janeiro de 2016 
  6. «Afanásio Jazadji e Turco Loco se despedem da Assembleia Legislativa». Portal G1. Consultado em 26 de Outubro de 2015 
  7. «OPINIÃO: Validade da pena de morte». Alesp. Consultado em 26 de Outubro de 2015 
  8. «CONTRA O CRIME». portalimprensa. Consultado em 26 de Outubro de 2015 

Ligação externasEditar

  Este artigo sobre um político brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.