Afareu, na mitologia grega, foi um rei da Messênia.

AncestraisEditar

Afareu era filho de Gorgófona,[1][2][3] filha de Perseu[4][1] e Andrômeda,[5] mas existem várias versões sobre quem seria seu pai.

Gorgófona se casou, virgem,[4] com Perieres, filho de Éolo[4][6] e Enarete[6], que tinha tomado posse da Messênia.[1] Seus filhos foram Afareu, Leucipo, Tíndaro e Icário.[1] Quando Perieres morreu, ela se casou em Ébalo,[4] filho de Cinorta.

Em uma versão alternativa, atribuída a Estesícoro por Pseudo-Apolodoro, Perieres era filho de Cinorta,[2] seus filhos com Gorgófona eram Tíndaro, Icário, Afareu e Leucipo.[2]

Segundo Pausânias, os filhos de Gorgófona e Perieres, rei da Messênia e filho de Éolo[7] foram Afareu e Leucipo, que herdaram o reino após a morte de Perieres.[3] Ébalo, filho de Cinorta,[8] tomou-a por esposa, e eles foram os pais de Tíndaro.[9][Nota 1] Gorgófona foi a primeira mulher a casar duas vezes; antes dela, as mulheres que perdiam o marido permaneciam viúvas até o fim.[4]

Rei da MessêniaEditar

Após a morte de Perieres, Afareu e Leucipo se tornaram reis da Messênia, mas Afareu tinha a maior autoridade.[3] Afareu fundou a cidade de Arene, nome da sua esposa, filha de Ébalo e meio-irmã por parte de mãe.[3] Afareu recebeu em Arene vários refugiados, como Neleu, quando este foi expulso de Iolco por Pélias,[10] e Lico, filho de Pandião, quando este foi expulso de Atenas por Egeu.[11]

Lico revelou a Afareu e suas filhas os ritos da Grande Deusa.[11]

DescendentesEditar

Teve dois (ou três) filhos, Idas, Linceu[12] e Piso,[2] com Arene,[2][12] filha de Ébalo.[2] Segundo algumas versões, Idas seria filho de Posidão.[2] Idas e Linceu disputaram o amor de Hilaeira e Febe com Castor e Pólux, quando Castor foi morto.[12]

Após a morte de Linceu, morto por Pólux, e Idas, por um raio, a casa de Afareu ficou sem descendentes masculinos, e o reino da Messênia passou para Nestor, filho de Neleu, exceto a parte controlada pelos filhos de Asclépio.[13]

Notas e referências

Notas

  1. Pausânias não menciona Icário como filho de Ébalo e Gorgófona, mas em várias passagens trata Icário como irmão de Tíndaro

Referências