Agente de liberação de noradrenalina

Um agente de liberação de noradrenalina (NRA), também conhecido como agente de liberação adrenérgico, é um tipo catecolaminérgico de fármaco que induz a liberação de noradrenalina (norepinefrina) e adrenalina (epinefrina) do neurônio pré-sináptico para a sinapse. Por sua vez, isso ocasiona um aumento das concentrações extracelulares de noradrenalina e adrenalina, resultando em um aumento da neurotransmissão adrenérgica.[1][2]

Um tipo de droga intimamente relacionado é um inibidor da recaptação da norepinefrina (NRI). Outra classe de drogas que estimula a atividade adrenérgica é a classe dos agonistas dos receptores adrenérgicos.

Usos e exemplosEditar

Os NRAs possuem uso terapêutico em uma variedade de indicações clínicas, incluindo:

Os NRAs também são usados como drogas recreativas, havendo maior incidência no uso recreativo de fármacos que, além da noradrenalina, também são agentes de liberação de serotonina e/ou dopamina, como anfetamina, metanfetamina, MDMA e mefedrona.

Catinas e catinonas são NRAs encontrados naturalmente na planta Khat. A efedrina e a pseudoefedrina também são encontradas naturalmente na Ephedra sinica. Ambas as substâncias possuem usos médicos, mas também são usadas recreativamente como droga de abuso. Os compostos endógenos conhecidos como aminas taços, a exemplo da fenetilamina e tiramina, são NRAs encontrados naturalmente em muitos animais, incluindo humanos.

Os NRAs seletivos incluem efedrina, pseudoefedrina, fenilpropanolamina, levometanfetamina, fentermina e bupropiona. Essas drogas também liberam dopamina em uma extensão muito menor, e a bupropiona também é um antagonista do receptor nicotínico da acetilcolina.

Ver tambémEditar

Referências

  1. Keith Parker; Laurence Brunton; Goodman, Louis Sanford; Lazo, John S.; Gilman, Alfred (2006). Goodman & Gilman's The Pharmacological Basis of Therapeutics. McGraw-Hill 11 ed. New York: [s.n.] ISBN 0-07-142280-3. Cópia arquivada em 18 de novembro de 2011 
  2. Thomas L. Lemke; David A. Williams, eds. (2007). Foye's Principles of Medicinal Chemistry. Lippincott Williams & Wilkins 6 ed. Baltimore: [s.n.] ISBN 0-7817-6879-9 


  Este artigo sobre farmácia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.