Ahmad Shah Massoud

Ahmad Shah Massoud (em farsi: احمد شاه مسعود) (Bazarak, c. 2 de setembro de 1953Takhar, 9 de setembro de 2001) foi um líder militar e político afegão.[1] Ele foi um poderoso comandante de guerrilha durante o movimento de resistência contra a ocupação soviética de 1979 a 1989. Na década de 1990, ele liderou a ala militar do governo contra milícias rivais; após o Talibã assumir o poder em 1996, ele liderou a resistência armada contra o novo regime[2] até o seu assassinato em 2001.

Ahmad Shah Combatente Militar
Nome completo Ahmad Shah Massoud
Conhecido(a) por "Leão de Panjshir"
Nascimento 2 de setembro de 1953
Bazarak, Panjshir, Reino do Afeganistão
Morte 9 de setembro de 2001 (48 anos)
Takhar, Afeganistão
Nacionalidade afegão
Cônjuge Sediqa Massoud
Filho(a)(s) 6, incluindo Ahmad
Alma mater Universidade de Cabul
Ocupação Ministro da Defesa, militar, político
Filiação Jamiat-e Islami
Serviço militar
Lealdade Afeganistão
Serviço Flag of Jamiat-e Islami.svg Jamiat-e Islami/Shura-e Nazar
Flag of Afghanistan (1992–2001).svg Forças Armadas Afegãs
Flag of Afghanistan (1992–2001).svg Aliança do Norte
Anos de serviço 1975–2001
Patente General
Comando Aliança do Norte
Conflitos Guerra Afegã-Soviética
Guerra Civil Afegã 
Condecorações Herói Nacional do Afeganistão
Religião Islamismo (sunita)

Massoud era um muçulmano sunita de etnia tadjique, cujo a origens remontam ao Vale de Panjshir no norte do Afeganistão. Ele começou a estudar na Universidade Politécnica de Cabul nos anos 70, onde se envolveu com movimentos religiosos anticomunistas em torno de Burhanuddin Rabbani, um importante pensador islâmico. Ele participou de uma revolta fracassada contra o governo de Mohammed Daoud Khan.[3] Ele mais tarde se juntou ao movimento Jamiat-e Islami ("Sociedade Islâmica"), de Rabbani. Durante a Guerra Soviético-Afegã, seu papel como poderoso líder insurgente dos mujahideen afegãos rendeu-lhe o apelido "Leão de Panjshir" (شیر پنجشیر) entre seus seguidores, onde ele resistiu com sucesso aos soviéticos, os impedindo de tomar o vale de Panjshir. Em 1992, ele assinou o Acordo de Peshawar, um acordo de paz e compartilhamento de poder no período pós-comunista do Estado Islâmico do Afeganistão.[4] Ele foi apontado como Ministro da Defesa, além de ser o líder militar do governo. Sua milícia lutou para manter Cabul contra os fundamentalistas liderados por Gulbuddin Hekmatyar e outros senhores da guerra que ameaçavam a cidade.[5] A partir de 1995, seu foco se voltou contra o grupo Talibã, que em janeiro daquele ano havia cercado a capital, numa batalha que matou cerca de 60 000 civis.[6][7]

Após o Talibã tomar o poder em 1996, Massoud, que rejeitava a visão extremista religiosa deles,[8][9] voltou à oposição armada até que foi forçado a fugir para Kulob, no Tajiquistão, destruindo antes o estrategicamente importante túnel Salang enquanto se dirigia para o norte. Ele acabou se tornando o líder militar e político da Frente Islâmica Unida para a Salvação do Afeganistão (a "Aliança do Norte"), que no ano 2000 controlava diretamente um pouco menos de 10% do país. Em 2001, ele visitou a Europa e pediu para líders da União Europeia para pressionar o Paquistão para parar de apoiar os talibãs. Ele também pediu ajuda humanitária para combater as péssimas condições de vida do povo afegão sob o Talibã.[10] Massoud acabou sendo morto em um atentado suicida promovido pela al-Qaeda e os talibãs, em 9 de setembro de 2001. Dois dias mais tarde, os Atentados de 11 de Setembro aconteceram nos Estados Unidos, que levou a OTAN a invadir o Afeganistão, se aliando as forças de Massoud. A Aliança do Norte acabou vencendo a guerra de dois meses em dezembro de 2001, retirando o Talibã do poder.

Massoud foi postumamente nomeado como "Herói Nacional" por ordem do Presidente Hamid Karzai após os talibãs terem sido afastados do poder. A data da morte de Massoud (9 de setembro), é um feriado nacional chamado de "Dia Massoud".[11] Seus seguidores o chamavam de Amer Sāhib-e Shahīd (آمر صاحب شهید), que pode ser traduzido como "(nosso) comandante martirizado".[12][13] Massoud foi descrito como um dos maiores líderes guerrilheiros do século XX. Ele já foi comparado a Josip Broz Tito, Ho Chi Minh e Che Guevara nesse aspecto,[14] particularmente porque ele conseguiu defender repetidamente sua região natal de Panjshir tanto dos soviéticos quanto do Talibã.[15] Seu irmão mais novo, Ahmad Zia Massoud, serviu como primeiro vice-presidente do Afeganistão, de 2004 a 2009, e seu filho, Ahmad Massoud, atualmente também é um líder guerrilheiro contra a volta do Talibã no Afeganistão.[16]

Referências

  1. Antonio Giustozzi, Empires of Mud (London: St. Martin's Press, 2012). ISBN 184904225X, ISBN 9781849042253; & Marcela Grad, Massoud: An Intimate Portrait of the Legendary Afghan Leader (Webster MO: Webster University Press, 2009). ISBN 0982161506, ISBN 9780982161500
  2. Bearak, Barry (9 de novembro de 1999). «Afghan 'Lion' Fights Taliban With Rifle and Fax Machine». The New York Times 
  3. «Mohammed Daoud Khan». History in an Hour. 18 de julho de 2012. Consultado em 25 de dezembro de 2014. Cópia arquivada em 29 de setembro de 2018 
  4. Clements, Frank (2003). «Civil War». Conflict in Afghanistan: A Historical Encyclopedia Roots of Modern Conflict. ABC-CLIO. 49 páginas. ISBN 9781851094028. Consultado em 12 de março de 2015 
  5. «A Decade Ago, Massoud's Killing Preceded Sept. 11». NPR.org 
  6. «Mujahedin Victory Event Falls Flat». Danish Karokhel. 5 de abril de 2003. Cópia arquivada em 25 de dezembro de 2014 
  7. Dorronsoro, Gilles (14 de outubro de 2007). «Kabul at War (1992–1996) : State, Ethnicity and Social Classes». Gilles Dorronsoro. doi:10.4000/samaj.212 
  8. Marcela Grad. Massoud: An Intimate Portrait of the Legendary Afghan Leader 1 de março de 2009 ed. [S.l.]: Webster University Press. p. 310 
  9. Peter Bergen (2011), The Longest War: The Enduring Conflict Between America and Al-Qaeda. [S.l.: s.n.] p. 8. kYdLqOUj8lUC 
  10. «Ahmad Shah Massoud». 16 de setembro de 2001 – via The Telegraph 
  11. «Afghanistan Events». Lonely Planet. 15 de setembro de 2014. Consultado em 15 de setembro de 2014. Cópia arquivada em 7 de setembro de 2008 
  12. قاريزاده, داود. «پنجشير: سه سال پس از مسعود» 
  13. The forgotten hero of Afghanistan Artefact Magazine
  14. Soldiers of God by Robert D. Kaplan, 2001.
  15. Faucher, Julie (9 de setembro de 2015). «MASSOUD told by Reza and Olivier Weber» – via Vimeo 
  16. «Vale do Panjshir: conheça a única província que ainda resiste ao Talibã no Afeganistão». G1. Consultado em 21 de agosto de 2021 

BibliografiaEditar

  • Marcela Grad (2009): Massoud: An Intimate Portrait of the Legendary Afghan Leader; Webster University Press, pág. 310.
  • Sediqa Massoud com Chékéba Hachemi & Marie-Francoise Colombani (2005): Pour l'amour de Massoud; Document XO Editions, 265pp (em francês)
  • Amin Saikal (2006): Modern Afghanistan: A History of Struggle and Survival; I. B. Tauris, 352pp ("One of the "Five Best" Books on Afghanistan" – The Wall Street Journal)
  • Roy Gutman (2008): How We Missed the Story: Osama Bin Laden, the Taliban and the Hijacking of Afghanistan; United States Institute of Peace Press, pág. 304.
  • Coll, Steve (2004): Ghost Wars: The Secret History of the CIA, Afghanistan and Bin Laden, from the Soviet Invasion to September 9, 2001; Penguin Press, 695pp, ISBN 1-59420-007-6
  • Stephen Tanner: Afghanistan: A Military History from Alexander the Great to the Fall of the Taliban
  • Christophe de Ponfilly (2001): Massoud l'Afghan; Gallimard, pág. 437 (em francês)
  • Gary W. Bowersox (2004): The Gem Hunter-True Adventures of an American in Afghanistan; Geovision, Inc. (22 de janeiro de 2004), ISBN 978-0974732312.
  • Olivier Weber (2001): Le Faucon afghan; Robert Laffont
  • Olivier Weber (2001, with Reza): Afghan eternities; Le Chene/ UNESCO
  • Gary C. Schroen (2005): 'First In' An Insiders Account of How The CIA Spearheaded the War on Terror in Afghanistan; New York: Presidio Press/Ballantine Books, ISBN 978-0-89141-872-6.
  • Ahmed Rashid: TALIBAN – The Story of the Afghan Warlords; ISBN 0-330-49221-7.
  • A. R. Rowan: On The Trail Of A Lion: Ahmed Shah Massoud, Oil Politics and Terror
  • Kara Kush, London: William Collins Sons & Co., Ltd., 1986. ISBN 0685557871
 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Ahmad Shah Massoud