Abrir menu principal

Wikipédia β

O Airbus A320neo é uma família de aeronaves bimotoras turbofan desenvolvida e fabricada pela Airbus.[2] O A320neo substitui as aeronaves da família A320 original, que agora é referida como A320ceo, pois significa "antiga opção de motor". Além dos novos motores, o programa de modernização também incluiu melhorias como refinamentos aerodinâmicos, winglets, redução do peso, nova cabine de passageiros com maior espaço para bagagem de mão e sistema de purificação de ar melhorado.[3][4] Os clientes terão a opção entre os motores CFM International LEAP-X ou Pratt & Whitney PW1100G.

Airbus A320neo
Avião
Airbus A320neo da Azul Linhas Aéreas Brasileiras em Porto Alegre.
Descrição
País de origem  Alemanha
Flag of Spain.svg Espanha
 França
 Reino Unido
Fabricante União Europeia Airbus
Período de produção 2014–presente
Quantidade produzida 70[1] unidade(s)
Desenvolvido de Airbus A320
Primeiro voo em 25 de setembro de 2014
Introduzido em 20 de janeiro de 2016 (1 ano) com a Lufthansa
Variantes A319neo, A320neo e A321neo
Tripulação 2 (piloto e copiloto)
Passageiros 106–240 passageiro(s)
Número de classes 1 ou 2 classe(s)
Especificações
Dimensões
Comprimento 37,57 m (123 ft)
Envergadura 34,1 m (112 ft)
Altura 11,76 m (38,6 ft)
Propulsão
Motor(es) 2x CFM International LEAP-X ou Pratt & Whitney PW1100G
Performance
Velocidade máxima 871 km/h (470 kn)
Velocidade de cruzeiro 828 km/h (447 kn)
Velocidade máx. em Mach 0.82 Ma
Alcance (MTOW) 7 800 km (4 850 mi)
Teto máximo 11 887 m (39 000 ft)

Até janeiro de 2017, a Airbus recebeu 5 069 pedidos da aeronave.[1] O primeiro A320neo foi apresentado em Toulouse em 1 de julho de 2014.[5] O primeiro voo ocorreu em 25 de setembro de 2014.[6] A certificação da Agência Europeia para a Segurança da Aviação (AESA) e da Administração Federal de Aviação (FAA) foi entregue em 24 de novembro de 2015.[7] Em 25 de janeiro de 2016, o A320neo entrou em serviço com a Lufthansa.[8] Seis meses depois, em Farnborough, o CEO da Airbus John Leahy informou que as aeronaves em operação naquele momento haviam atingido um índice de confiabilidade de 99,7%.[9]

Índice

Design e desenvolvimentoEditar

Pacote de melhoriasEditar

Em 2006, a Airbus anunciou o "A320 Enhanced" (A320E), uma série de melhorias visando uma economia de combustível de 5%, com a adição de winglets, melhorias aerodinâmicas, redução de peso e uma nova cabine de passageiros.[10] Na mesma época, o diretor de operações da Airbus, John Leahy, confirmou o interesse da Airbus em produzir uma nova versão do A320 nos próximos anos.[10] Melhorias dos motores, reduzindo o consumo de combustível em 1%, foram realizadas também neste pacote de melhorias em 2007, nos motores CFM International CFM56[11] e IAE V2500.[12]

Durante o show aéreo de Dubai em 2009, a Airbus anunciou um novo modelo de sharklet, mais longo e curvado apenas para cima. A instalação deste sharklet adiciona 200 quilogramas (440 libras) no peso da aeronave, porém oferece uma economia de combustível de 3,5% em voos de longa distância.[13] Possui cerca de 2,5 metros (8 pés) de altura e permite uma redução de 700 toneladas anualmente na emissão de dióxido de carbono por aeronave, já que os sharklets reduzem o arrasto induzido da aeronave.[14]

Em dezembro de 2011, a Airbus entrou com uma ação no estado americano do Texas sobre a empresa Aviation Partners, com alegações de violação de suas patentes do design dos sharklets, que foram concedidas em 1993.[15] O primeiro A320E, equipado com os sharklets, foi entregue à Air New Zealand no show Aéreo de Paris de 2013, oferecendo um aumento de carga útil de 450 quilogramas (990 libras) e um aumento no alcance de 100 milhas náuticas (190 quilômetros).[16]

CabineEditar

 
Cabine de passageiros do A320 Enhanced da Virgin America, com iluminação que reduz o jet lag.

A nova cabine de passageiros oferece um visual mais moderno, um novo purificador de ar e um catalisador para remover odores desagradáveis do ar e diodos de luz para a iluminação ambiente, que são controlados através de painéis touchscreen, disponíveis para os comissários.[17] Esta versão também possui um compartimento de bagagem maior.[18]

A nova configuração de cabine aumenta o espaço, tendo nos fundos da aeronave uma galley e dois lavatórios moduláveis.[19] Após realocar as portas de saída de emergência, permitiu-se a adição de vinte passageiros na versão A321neo e nove passageiros na versão A320neo, mantendo o mesmo espaço entre poltronas que na versão original.[20][21]

A mudança no design interior proporcionou, além de maior conforto para os passageiros, uma economia de combustível de 6%.[21] A ampliação das portas de saída de emergência adicionou 100 quilos no peso total da aeronave.[22]

O cockpit foi desenhado semelhante à versão original, para que pilotos certificados possam pilotar as duas versões, com apenas 24 horas de treinamento.[23] Pela primeira vez, a Airbus utilizou totalmente o "glass cockpit", retirando todos os dispositivos analógicos, substituindo-os por telas de LCD.[24] Além disso, os assentos foram redesenhados, proporcionando mais conforto para os pilotos e reduzindo o cansaço acumulado em viagens longas, e os vidros para-brisas foram aumentados, ampliando o campo de visão dos pilotos.[25]

Nova opção de motoresEditar

No show aéreo de Singapura, em 2010, a Airbus informou que o anúncio oficial da aeronave seria feito no show aéreo de Farnborough de 2010.[26] Mesmo antes do anúncio oficial, a Airbus já anunciou que os motores utilizados seriam o CFM International LEAP-X e Pratt & Whitney PW1100G.[27] Os novos motores utilizam 16% menos combustível em relação aos motores CFM International CFM56, utilizados na versão original, e o custo de manutenção dos motores será 30% menor.[27]

Em 1 de dezembro de 2010, a Airbus lançou oficialmente o A320neo ("New Engine Option"), com um alcance adicional de 950 quilômetros ou duas toneladas adicionais de carga extra, planejando entregar quatro mil aeronaves em 15 anos.[28] Inicialmente prevista para a primavera de 2016, a primeira entrega foi feita em outubro de 2015.[29] A Airbus anunciou cerca de 15% de economia de combustível em relação à versão anterior, mantendo 95% de comunalidade no design da versão original.[30]

Os dois motores que estavam disponíveis para a aeronave tiveram um número de aquisição semelhante,[31] o que ajudou a reduzir os atrasos associados com grandes mudanças.[21] A reorganização da cabine permitiu que fossem adicionados mais vinte passageiros,[21] com uma economia de 20% no consumo de combustível por assento.[32] O primeiro A320neo foi apresentado ao público pela primeira vez 1 de julho de 2014, na fábrica da Airbus em Toulouse.[33] Esta versão teve uma redução na emissão de ruídos para 80 decibéis.[34]

O primeiro voo ocorreu em 25 de setembro de 2014, partindo do aeroporto de Toulouse-Blagnac.[35] A versão com motores Pratt & Whitney PW1100G foi certificada pela Administração Federal de Aviação (FAA) em 19 de dezembro de 2014.[36] O primeiro voo realizado sem atrasos de datas foi uma vantagem do A320neo sobre os concorrentes, já que outras aeronaves como o Bombardier CSeries e o Boeing 737 MAX tiveram grandes atrasos no primeiro voo.[21] A primeira entrega foi feita para a Lufthansa, que recebeu a aeronave em 20 de janeiro de 2016.[37][38]

Estas melhorias na estrutura aerodinâmica da aeronave podem atingir um consumo de combustível cerca de 15% menor por aeronave, custos operacionais 8% mais baixos, redução na emissão de ruídos e redução na emissão de óxido de azoto (NO) em pelo menos 10%, em comparação com a série original, bem como um aumento de cerca de 500 milhas náuticas (900 quilômetros) no alcance.[39] Uma nova organização da cabine permitiu mais vinte passageiros na classe econômica.[40]

VariantesEditar

 
Primeiro A320neo da Lufthansa em Frankfurt.

A Airbus oferece quatro variantes da aeronave, as versões A319neo, A320neo, A321neo e A321LR.[41]

A319neoEditar

O modelo encontra-se em desenvolvimento e a companhia lançadora será a Qatar Airways, que está programada para receber sua primeira aeronave em 2020.[42] É a menor versão da aeronave, podendo carregar até 165 passageiros, a uma distância máxima de 7 750 quilômetros.[42]

A320neoEditar

A variante A320neo foi a primeira a voar e entrar em serviço. Com um peso máximo de decolagem de 79 toneladas, possui capacidade para 165 passageiros em uma configuração comum de duas classes, com um alcance de 6 850 quilômetros.[43] Segundo a Airbus, esta variante possui uma economia de combustível de 16% por assento e um custo operacional 25% menor, em comparação com as versões anteriores.[21] Esta variante é projetada para competir com o Boeing 737-8 MAX, ao mesmo tempo que substitui as versões anteriores do Airbus A320.[21]

A Lufthansa foi a primeira companhia a receber esta versão.[44][45] O primeiro A320neo fez seu primeiro voo em 25 de setembro de 2014.[46] As certificações da Agência Europeia para a Segurança da Aviação e da Administração Federal de Aviação foram recebidas em 24 de novembro de 2015.[47]

A321neoEditar

 
Protótipo do A321neo, durante programa de testes em Toulouse.

O A321neo é a maior variante fabricada, com 44 metros de comprimento e pode acomodar até 206 passageiros em uma configuração comum de duas classes, com um alcance de 3 700 milhas náuticas (6 850 quilômetros).[20] Com uma configuração interna de assentos 3-3, a aeronave é projetada para substituir o Airbus A321 e para competir com o Boeing 737-9 MAX e Boeing 737-10 MAX.[20] Segundo a Airbus, esta variante possui uma economia de combustível de 16% por assento e um custo operacional 25% menor, em comparação com as versões anteriores.[21]

A companhia de leasing International Lease Finance Corporation será o primeiro cliente a receber a aeronave.[48] O protótipo de testes voou pela primeira vez em 9 de fevereiro de 2016.[49] No entanto, o avião sofreu um tailstrike três dias depois, fazendo com que a aeronave ficasse em manutenção por três semanas na base da Airbus em Toulouse.[50] As certificações da Agência Europeia para a Segurança da Aviação e da Administração Federal de Aviação foram recebidas em 15 de dezembro de 2016.[51]

A321LREditar

A variante A321LR (Long Range) terá seu peso máximo de decolagem aumentado para 97 toneladas e sua capacidade de combustível de 23 700 litros para 32 940 litros, sendo habilitado para fazer voos de até nove horas, sem precisar fazer escala.[22] A TAP Portugal encomendou 24 aeronaves e irá utilizar a aeronave para voos sem escala entre Lisboa e cidades brasileiras e americanas.[52] Na configuração que será utilizada pela TAP, em duas classes comuns, a aeronave teria uma capacidade para 168 passageiros, porém a configuração interna poderá ser reajustada.[22] A aeronave está prevista para entrar em serviço em 2022.[22]

Ordens e entregasEditar

Em apenas dois anos após o lançamento, a aeronave recebeu dois mil pedidos, tornando-se a aeronave com vendas mais rápidas na história.[53][54]

Pedidos e entregas por variante[55]
Pedidos Entregas
A319neo 55
A320neo 3 626 43
A321neo 1 388
Total 5 069 70
Pedidos e entregas por ano
2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 Total
Pedidos A319neo 26 19 2 3 1 55
A320neo 30 1 081 378 387 824 583 428 3 626
A321neo 119 81 341 183 301 132 1 388
Total 31 1 227 478 728 1 009 887 561 5 069
Entregas A319neo
A320neo 68 2 70
A321neo
Total 68 2 68

Atualizado em 31 de janeiro de 2017.[55]

Gráfico de pedidos e entregas (cumulativo, por ano)

 

Pedidos

Entregas

Atualizado em 31 de janeiro de 2017.[55]

OperadoresEditar

Até dezembro de 2016, 68 aeronaves estavam em operação por 17 companhias aéreas.[1]

EspecificaçõesEditar

Especificações das versões[73]
A319neo A320neo A321neo
Tripulação Dois (piloto e co-piloto)
Capacidade de passageiros 140 (duas classes)
160 (máximo)
165 (duas classes)
195 (máximo)[74][75]
206 (duas classes)
240 (máximo)
Espaço entre assentos Alta densidade: 29 in (74 cm)[76] Alta densidade: 28 in (71 cm)[20][22]
Tamanho dos assentos Econômica: 18 in (46 cm)[20]
Capacidade de carga 27 (976 ft³) 37 (1,322 ft³) 51 (1,828 ft³)
Comprimento 33,84 m 37,57 m 44,51 m
Envergadura 35,80 m
Altura 11,76 m
Largura da cabine 3,7 m
Velocidade de cruzeiro Mach 0.78 (447 kn, 828 km/h)[77]
Peso máximo sem combustível 60.3 t (132,900 lb) 64.3 t (141.800 lb) 75.6 t (166.700 lb)
Peso máximo de pouso 63.9 t (140.900 lb) 67.4 t (148.600 lb) 79.2 t (174.600 lb)
Peso máximo de decolagem 75.5 t (166.400 lb) 79 t (174.200 lb) 93.5 t (206.100 lb)[22]
A321LR : 97 t (213.800 lb)
Capacidade de combustível 26,730 l (7,060 USg) 26,730 l (7,060 USg) 23,700 l (6,261 USg)[78]
A321LR: 32,940 l (8,700 USg)
Alcance 6,950 km (3,750 nmi)[79] 6,500 km (3,500 nmi)[80] 6,500 km (3,500 nmi)[22][81]
A321LR : 7,400 km (4,000 nmi)
Motores (x2) CFM International LEAP-X ou Pratt & Whitney PW1100G[77]
Diâmetro das pás PW1100G: 81 in (206 cm)[82]
LEAP-1A: 78 in (198 cm)[82]
Empuxo PW1124G: 107.82 kN (24,240 lbf)[83]

LEAP-1A24: 106.8 kN (24,010 lbf)[84]

PW1127G: 120.43 kN (27,075 lbf)[83]

LEAP-1A28: 120,64 kN (27,120 lbf)[84]

PW1133G: 147.28 kN (33,110 lbf)[83]

LEAP-1A32/33: 143,05 kN (32,160 lbf)[84]

MotoresEditar

Modelos e designações[75]
Designação do modelo Motores Data da certificação Empuxo de decolagem Empuxo contínuo
A320-271N PW1127G-JM 24 de novembro de 2015 12 043 daN (27 075 lbs) 11 718 daN (26 345 lbs)
A320-251N CFM LEAP-1A26 31 de maio de 2016 12 064 daN (27 120 lbs) 11 868 daN (26 680 lbs)

Ver tambémEditar

 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Airbus A320neo
Desenvolvimento relacionado
Aeronaves semelhantes

Referências

  1. a b c «Orders & Deliveries». Airbus. 31 de julho de 2016. Consultado em 4 de agosto de 2016 
  2. «Airbus A320 (A320ceo and A320neo) Aircraft family». Airbus. 3 de março de 2013. Consultado em 21 de abril de 2013. Cópia arquivada em 21 de abril de 2013 
  3. «Pictures: Airbus aims to thwart Boeing's narrowbody plans with upgraded 'A320 Enhanced'». Flight International. 20 de junho de 2006. Consultado em 8 de julho de 2013 
  4. «Avianca takes delivery of Sharklet equipped A320». Airbus.com. Consultado em 27 de março de 2013 
  5. «PICTURE: Airbus rolls out A320neo». flightglobal.com. 1 de julho de 2014. Consultado em 2 de julho de 2014 
  6. «A320neo makes maiden flight». Flightglobal. 25 de setembro de 2014 
  7. «Airbus A320neo receives joint EASA and FAA Type Certification». Airbus. 24 de novembro de 2015 
  8. «EXCLUSIVE: Onboard the Inaugural Airbus A320neo Low-Key Lufthansa Launch». Airways News. 25 de janeiro de 2016. Consultado em 26 de janeiro de 2016 
  9. «Airbus reveals A320neo dispatch reliability». Flight Global. 12 de julho de 2016 
  10. a b «Pictures: Airbus aims to thwart Boeing's narrowbody plans with upgraded 'A320 Enhanced'». Flight International. 20 de junho de 2006 
  11. «Skybus Becomes First North American Operator of Advanced CFM56-5B Tech insertion Engine». GE Aviation. 3 de dezembro de 2007 
  12. «A320 completes first IAE V2500 SelectOne». Flight International. 27 de fevereiro de 2008 
  13. Max Kingsley-Jones (15 de novembro de 2009). «Dubai 09: A320s sharklets to deliver 3.5% lower fuel burn from 2012». Flight International 
  14. «Korean Air Aerospace to manufacture and distribute Sharklets» (Nota de imprensa). Airbus. 31 de maio de 2010 
  15. Kaminski-Morrow, David (14 de dezembro de 2011). «Airbus lawsuit details sharklet patent abuse». Flightglobal 
  16. «Launch customer Air New Zealand gets its first A320 with Sharklets» (Nota de imprensa). Airbus. 17 de junho de 2013 
  17. «On board well-being». Airbus 
  18. «Airbus launches new pivoting overhead carry-on stowage bins for A320 Family with order from Delta Air Lines» (Nota de imprensa). Airbus. 16 de setembro de 2014 
  19. «Smart-Lav: Another cabin development for the A320 Family». Airbus Latin America. Agosto de 2013 
  20. a b c d e «Airbus reveals new A321neo layout: New 'Cabin-Flex' and larger doors». Australian business traveller. 13 de junho de 2014 
  21. a b c d e f g h «Airbus Sees A321neo Exceeding 20% Fuel Burn Improvement». AviationWeek. 12 de junho de 2014 
  22. a b c d e f g «Airbus Launches Long-Range A321neo Version». Aviation Week. 13 de janeiro de 2015 
  23. «Airbus Considers More A320neo Systems Upgrades» (em inglês). Aviation Week. Consultado em 27 de fevereiro de 2017 
  24. «Airbus examining open-cowl cockpit warning for A320neo» (em inglês). Flightglobal. Consultado em 27 de fevereiro de 2017 
  25. «Airbus A320neo, Flughafengebühren und Cockpit-Türen» (em alemão). Airliners. Consultado em 27 de fevereiro de 2017 
  26. «SINGAPORE 2010: Airbus targets early A320 re-engining decision, 2015 debut». Flightglobal. 4 de fevereiro de 2010 
  27. a b «A320 NEO to have $7-8 million price premium». Flightglobal. 23 de agosto de 2010 
  28. «Airbus offers new fuel saving engine options for A320 Family» (Nota de imprensa). Airbus. 1 de dezembro de 2010 
  29. «PW1100G lead engine for A320neo development» (Nota de imprensa). Airbus. 6 de abril de 2011 
  30. «Transaero Airlines firms up order for eight A320neo aircraft» (Nota de imprensa). Airbus. 5 de dezembro de 2011 
  31. «IN FOCUS: How to power A320neo is tough choice for airlines». Flightglobal. 21 de março de 2013 
  32. «Airbus A320NEO Enters FAL (MSN6101)». Theflyingengineer. 19 de março de 2014 
  33. «Airbus' first A320neo reaches completion» (Nota de imprensa). Airbus. 1 de julho de 2014 
  34. «Lufthansa welcomes its fifth A320neo into its fleet» (Nota de imprensa). Lufthansa. 30 de dezembro de 2016 
  35. «First A320neo successfully completes first flight» (Nota de imprensa). Airbus. 25 de setembro de 2014 
  36. «FAA Certifies PurePower® Engine for A320neo Aircraft» (Nota de imprensa). UTC. 19 de dezembro de 2014 
  37. «Lufthansa becomes launch customer of best-selling A320neo» (Nota de imprensa). Airbus. 20 de janeiro de 2016 
  38. «Airbus Delays Delivery of First A320neo Until 2016». Wall street journal. 30 de dezembro de 2015 
  39. «A320neo family information, Maximum benefit and minimum change». Airbus.com. 1 de julho de 2011. Consultado em 30 de dezembro de 2011 
  40. Flynn, David. «Australian Business Traveller». Consultado em 31 de agosto de 2014 
  41. «Airbus could eventually offer Neo version of A318: Leahy». Flightglobal. 1 de dezembro de 2010. Consultado em 21 de maio de 2013 
  42. a b «Qatar Air Places $6.4 Billion Airbus Order». Wall Street Journal. 15 de novembro de 2011 
  43. «Meet the "A320neo MAX 195». Leeham News. 6 de abril de 2015 
  44. «A320neo makes maiden flight». Flightglobal. 25 de setembro de 2014 
  45. «PICTURE: Airbus rolls out A320neo». flightglobal. 1 de julho de 2014 
  46. «Lufthansa takes delivery of the world's first Airbus A320neo as launching customer» (Nota de imprensa). Airbus. 12 de fevereiro de 2016 
  47. «Airbus A320neo receives joint EASA and FAA Type Certification» (Nota de imprensa). Airbus. 24 de novembro de 2015 
  48. «ILFC selects 100 A320neo Family aircraft» (Nota de imprensa). Airbus. 8 de março de 2011 
  49. «Airbus A321neo completes first flight after engine switch.». Reuters. 9 de fevereiro de 2016 
  50. «Accident: Airbus A321 at Perpignan on Feb 12th 2016, tail strike on landing». The Aviation Herald. 12 de fevereiro de 2016 
  51. «Airbus A321neo with P&W engines receives Type Certification». Airbus. 15 de dezembro de 2015 
  52. «TAP acredita que os Estados Unidos vão ser "o novo Brasil"». Expresso Sapo. Consultado em 3 de fevereiro de 2017 
  53. «Airbus wins 211 orders and commitments worth US$20.5 billion» (Nota de imprensa). Airbus. 16 de novembro de 2011. Consultado em 31 de dezembro de 2011 
  54. «Turkish Airlines places its biggest order ever with Airbus | Airbus News & Events» (Nota de imprensa). Airbus. 22 de março de 2013. Consultado em 27 de março de 2013 
  55. a b c «Airbus O&D». Airbus S.A.S. Consultado em 31 de janeiro de 2017 
  56. «AirAsia receives its first A320neo». Airbus 
  57. «Air Astana takes delivery of its first A320neo». Airbus. Consultado em 3 de fevereiro de 2017 
  58. «ANA takes delivery of its first A320neo». Airbus. Consultado em 3 de fevereiro de 2017 
  59. «Avianca recebe primeiro A320neo». Airway. Consultado em 3 de fevereiro de 2017 
  60. «The first Airbus A320neo for Azul». World Airline News. Consultado em 3 de fevereiro de 2017 
  61. «China Southern Takes Delivery of First A320neo». China Aviation. Consultado em 3 de fevereiro de 2017 
  62. «Frontier Airlines takes delivery of its first A320neo». Airbus. Consultado em 3 de fevereiro de 2017 
  63. «GoAir takes delivery of its first of 72 A320neo aircraft». Airbus. Consultado em 3 de fevereiro de 2017 
  64. «HK Express receives first A320neo». Business Traveler. Consultado em 3 de fevereiro de 2017 
  65. «India's IndiGo takes delivery of its first A320neo». Airbus. Consultado em 3 de fevereiro de 2017 
  66. «Airbus delivers the Americas' first A320neo to LATAM Airlines Group». Airbus. Consultado em 3 de fevereiro de 2017 
  67. «First A320neo delivery opens new era in commercial aviation». Airbus. Consultado em 3 de fevereiro de 2017 
  68. «Pegasus starts flying Leap-1A-powered A320neo». Flightglobal. Consultado em 3 de fevereiro de 2017 
  69. «SAS takes delivery of its first A320neo». Airbus. Consultado em 3 de fevereiro de 2017 
  70. «Spirit Airlines takes delivery of first A320neo in United States». Airbus. Consultado em 3 de fevereiro de 2017 
  71. «Airbus delivers first A320neo to Mexico's Viva Aerobus». Airbus. Consultado em 3 de fevereiro de 2017 
  72. «Airbus delivers North America's first A320neo to Volaris». Airbus. Consultado em 3 de fevereiro de 2017 
  73. «Airbus Family figures» (PDF). Airbus. Março de 2016 
  74. «Meet the "A320neo MAX 195». Leeham News. 6 de abril de 2015 
  75. a b «Type certificate Data sheet for Airbus A318 – A319 – A320 – A321». EASA. 31 de maio de 2016 
  76. «The higher level game». Leeham News. 4 de maio de 2015 
  77. a b «Airbus A320neo Technology». Airbus 
  78. «A321 aircraft characteristics - airport and maintenance planning» (PDF). Airbus. Maio de 2016 
  79. «A319NEO Key figures». Airbus 
  80. «A320NEO Key figures». Airbus 
  81. «A321NEO Key figures». Airbus 
  82. a b «PurePower Engine Family Specs Chart» (PDF). Pratt & Whitney 
  83. a b c «Type Certificate data sheet for PW1100G-JM Series Engines» (PDF). EASA. 23 de novembro de 2015 
  84. a b c «Type Certificate data sheet for LEAP-1A & LEAP-1C Series Engines» (PDF). EASA. 11 de março de 2016. Cópia arquivada (PDF) em 25 de junho de 2016