Sulídeos

(Redirecionado de Alcatraz)
Disambig grey.svg Nota: Se foi redirecionado(a) para esta página e não é a que procura, consulte: Alcatraz (desambiguação).

Os sulídeos (do latim científico Sulidae) constituem uma família de aves sulififormes[1] (antes pelecaniformes), que compreende 3 géneros e 10 espécies de aves marinhas conhecidas como alcatraz, atobá ou ganso-patola. Os sulídeos têm distribuição geográfica vasta, podendo ser encontrados em todos os oceanos, excepto na região da Antártida.

Como ler uma infocaixa de taxonomiaSulidae
Morus bassanus no arquipélago de Heligolândia, na Alemanha.
Morus bassanus no arquipélago de Heligolândia, na Alemanha.
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Aves
Ordem: Suliformes[1]
Pelecaniformes
Família: Sulidae
Reichenbach, 1849
Géneros
Morus
Sula
Papasula
Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Sulídeos
Wikispecies
O Wikispecies tem informações sobre: Sulídeos

DescriçãoEditar

Os atobás são aves de médio a grande porte, com 64 a 100 centímetros de comprimento e peso de até 3,6 quilogramas. Algumas espécies apresentam dimorfismo sexual, sendo as fémeas maiores e mais pesadas que os machos. A plumagem é muito variável de espécie para espécie, mas geralmente é em tons de castanho e preto, sendo branca na zona ventral. As asas são longas e adaptadas a longos voos e posicionadas na metade posterior do corpo. O bico tem forma cónica e bordos serrados.

Os adultos não têm penas na zona da face e garganta, que pode ser muito colorida, tal como as patas, em tons de azul, encarnado ou laranja. Os olhos estão localizados na frente da cara, o que confere visão binocular aos atobás. As patas estão localizadas na metade posterior do corpo e terminam em pés totipalmados (que assentam na totalidade no solo), com dedos unidos por membrana interdigital. Os atobás são aves marinhas piscívoras que se alimentam de carapaus, sardinhas, anchovas e outros pequenos peixes oceânicos.

Os atobás procriam em colónias mistas, junto com outras espécies de aves marinhas, frequentemente fragatas e/ou cormorões. As colónias podem localizar-se em linhas de costa ou ilhas oceânicas isoladas. Os atobás formam casais monogâmicos na época de reprodução, mas a escolha de par e local de nidificação varia de ano para ano. Após um ritual de acasalamento elaborado, destinado sobretudo a assegurar o território do casal a partes terceiras, os ovos são incubados por 42-55 dias. Os juvenis nascem totalmente dependentes dos progenitores e permanecem no ninho durante 14 a 22 semanas, após o que continuam a receber cuidados parentais por mais nove meses. A maturidade sexual e plumagem adulta são adquiridas entre os 2 e os 6 anos de vida. Os atobás podem viver entre 10 a 20 anos.

Nas zonas tropicais, os atobás podem ser caçados pelos ovos, penas e carne e explorados comercialmente como fonte de guano, especialmente no Peru. A União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN) lista duas espécies de sulídeos: o atobá-de-abbott (Papasula abbotti), em perigo crítico de extinção, e o atobá-do-cabo (Morus capensis), como vulnerável.

Na taxonomia de Sibley-Ahlquist, baseada em estudos de DNA, os sulídeos são reposicionados na ordem Ciconiiformes. Os primeiros fósseis atribuídos ao grupo são: Sula ronzoni, que surge em formações geológicas do Oligocénico de França; e o Morus magnus, do Miocénico superior da Califórnia.

Os diversos géneros de sulídeos distinguem-se por critérios osteológicos e estão presentes, enquanto linhagens distintas, desde o Miocénico.

EspéciesEditar

Referências

  1. a b «Hamerkop, Shoebill, pelicans, boobies & cormorants». IOC World Bird List (v 6.4) (em inglês). Consultado em 23 de dezembro de 2016