As Povoações Mais Bonitas de Espanha

As Povoações Mais Bonitas de Espanha (em castelhano: Los Pueblos Más Bonitos de España) é uma associação espanhola criada em 2011 para promover, difundir, fomentar e preservar o património cultural, natural e rural em áreas geográficas com menor nível de industrialização e população. Trata-se de uma ferramenta de difusão cultural baseada no modelo francês de As Mais Belas Aldeias de França (em francês: Les Plus Beaux Villages de France) e difundida a nível internacional desde 1982.

Lógotipo da associação

Esta associação desenhou uma imagem de marca como ajuda para favorecer o reconhecimento dos destinos turísticos de qualidade e o intercâmbio de ideias entre seus membros bem como as iniciativas que pudessem servir para impulsionar a promoção de seus municípios. O actual presidente da associação é Francisco Mestre Deita.

AntecedentesEditar

No ano de 1982 nasceu em França a associação Les Plus Beaux Villages de France, que foi a primeira rede desta índole criada no mundo. Actualmente a associação francesa conta com 157 membros. A partir do sucesso que teve esta iniciativa, começaram a desenvolver-se novas redes noutros países do mundo, sendo os países francófonos ou regiões francófonas as primeiras em seguir os passos da associação francesa.

Oficialmente, a 8 de julho de 2012 criou-se em Gordes (França) a Federação internacional das Associações das Aldeias mais Bonitas. Esta federação tem o nome de As Aldeias Mais Bonitas da Terra [fr] (Les Plus Beaux Villages de la Terre).[1][2] Ela é composta pelas associações de França, Itália, Valónia, Quebeque e Japão. Está previsto em seus estatutos que as novas associações nacionais se integrem na federação automaticamente após 5 anos de funcionamento.

Critérios de admissãoEditar

 
Cartaz em Medinaceli

Os critérios para a admissão de uma nova aldeia estão expostos na carta de qualidade da associação. Para juntar-se à dita entidade, uma aldeia tem de solicitar em primeiro lugar o acordo da assembleia municipal ou junta de governo. Uma vez recebida esta solicitação por parte da associação, inicia-se o processo de instrução da candidatura valorizando os seguintes critérios:

  1. Ter uma população inferior a 15000 habitantes (em populações maiores de 5 000 habitantes a associação contempla somente o casco histórico em perfeitas condições)
  2. Ter um património arquitectónico ou natural certificado.

Após cumprir estes dois pontos, realiza-se uma auditoria à aldeia por pessoal da comissão de qualidade designada para tal efeito onde valorizar-se-ão os aspectos especificados na Carta de Qualidade. Isso implica cumprir os critérios mínimos de qualidade em aspectos tão variados como a limpeza, conservação das fachadas, circulação de veículos ou se têm ou não um lugar destinado ao estacionamento destes, o cuidado de flores e zonas verdes, o tratamento das insígnias publicitárias e cartazes, etc.

Uma vez cumprida esta auditoria, emite-se o veredicto que pode ser positivo, sob condição de melhorar aspectos importantes na aldeia ou negativo.

Se o veredicto é positivo, a aldeia será rotulada nas suas entradas correspondentes como "Uma das mais Bonitas de Espanha" junto ao logótipo da associação e a partir desse momento terá o direito do uso do selo As Aldeias mais Bonitas de Espanha para ser utilizado de acordo com os valores da associação.

Uma aldeia pode ser reauditada nos anos seguintes à sua adesão para demonstrar que continua com uma política a favor dos valores como a conservação do património, a promoção, a renovação das fachadas, etc. Uma aldeia pode perder a marca de "Uma das aldeias mais Bonitas de Espanha" se não continuar a cumprir os valores iniciais da associação ou da sua carta de qualidade.

Carta de qualidadeEditar

A carta de qualidade é o instrumento que serve para que um povo possa ser auditado sob o ponto de vista objectivo. Nela se refletem todos os aspectos que terá em conta a comissão de qualidade na hora de fazer a valoração do povo. Os itens que se valorizam são os seguintes:

  • Qualidade urbanística: Valorizam-se os acessos à aldeia, a morfologia e a dimensão da aldeia ou do casco histórico valorizado.
  • Qualidade arquitectónica: Valoriza-se a harmonia e homogeneidade dos edifícios, fachadas, cores das fachadas, aberturas, etc.

Além destes aspectos puramente técnicos, a carta de qualidade especifica que a aldeia deve desenvolver uma política mediante factos concretos de valores, desenvolvimento, promoção e cuidado do seu património onde ter-se-ão em conta os seguintes aspectos:

  • Valores: Valoriza-se o encerramento parcial ou total do tráfico dentro do casco antigo, bem como a organização de estacionamento no exterior do povo para carros e caravanas. O tratamento estético das linhas de luz e telefone, os cartazes publicitários, a existência de flores, a limpeza ou a renovação de fachadas.
  • Desenvolvimento: Avalia-se o conhecimento de turistas que visitam ao ano a aldeia e a presença de comércio, alojamento, artesãos e restauração.
  • Promoção: Do mesmo modo, a existência de um ponto de informação turística, a organização de visitas guiadas ou a edição de folhetos e guias
  • Animação: É importante a organização de eventos originais e de qualidade, já sejam festas ou eventos culturais e a existência de lugares próprios para que estes se possam desenvolver.

Assembleia nacionalEditar

 
Prefeitos e vereadores da rede As Aldeias mais Bonitas de Espanha presentes na FITUR (Janeiro 2013)

Uma vez ao ano rotativamente, reúnem-se numa das aldeias mais bonitas de Espanha, em assembleia, todos os prefeitos integrantes da rede. Nesta assembleia decidem-se assuntos relativos ao desenvolvimento das aldeias, trocam-se experiências e chegam-se a acordos quanto a políticas de valor, promoção e desenvolvimento das ditas aldeias.

Dia oficial das Aldeias Mais Bonitas de EspanhaEditar

Na assembleia de Ayllón, em 2014, os prefeitos das Aldeias Mais Bonitas de Espanha declararam o dia 1 de outubro como o dia das Aldeias mais Bonitas de Espanha , que coincide com o dia de fundação da associação.[3] Neste dia todos os prefeitos das aldeias associadas içam a bandeira das Aldeias mais Bonitas de Espanha e as actividades culturais e turísticas são gratuitas em cada uma das aldeias. Neste dia reivindica-se em toda Espanha o cuidado do património e os costumes ancestrais das pequenas aldeias de Espanha.

Aldeias aderentesEditar

 
Prefeito de Peñíscola com os directores da associação, recebendo a distinção como a primeira aldeia a fazer parte da rede das Aldeias mais Bonitas de Espanha. 30 de janeiro de 2013

A 30 de janeiro de 2013 apresentou-se em Madrid, em roda de imprensa, dentro da Feira Internacional de Turismo (FITUR) as 14 primeiras aldeias que fazem parte da rede das Aldeias mais Bonitas de Espanha, sendo Peñíscola o povo precursor.[4][5][6][7][8]

Em julho de 2013 Santillana do Mar adere à associação, e em janeiro de 2014, aderem outros 9 aldeias.[9][10]

A seguir detalha-se a lista das 35 aldeias pertencentes à rede em janeiro de 2015:[11]

Em janeiro de 2016 juntaram-se as localidades de: Laguardia (Álava), Torazo (Astúrias), Trujillo (Cáceres), Liérganes (Cantábria), Zuheros (Córdova), Peñalba de Santiago (Leão), Cidade Rodrigo (Salamanca), Sepúlveda (Segóvia) e Sos do Rei Católico (Saragoça).

Actualmente[quando?] há 44 aldeias aderentes.

Comunidade autónoma Província Povoação
Andaluzia Almeria Lucainena das Torres
Andaluzia Almeria Mojácar
Andaluzia Cádis Vejer da Fronteira
Andaluzia Córdova Zuheros
Andaluzia Granada Pampaneira
Andaluzia Málaga Frigiliana
Aragão Huesca Aínsa
Aragão Huesca Alquézar
Aragão Huesca Ansó
Aragão Teruel Albarracín
Aragão Teruel Calaceite
Aragão Teruel Cantavieja
Aragão Teruel Puertomingalvo
Aragão Teruel Rubielos de Mora
Aragão Teruel Valderrobres
Aragão Saragoça Anento
Aragão Saragoça Sos do Rei Católico
Astúrias Astúrias Lastres
Astúrias Astúrias Torazo
Canárias Las Palmas Tejeda
Cantábria Cantábria Bárcena Mayor
Cantábria Cantábria Liérganes
Cantábria Cantábria Santillana do Mar
Castela-Mancha Albacete Alcalá del Júcar
Castela-Mancha Cidade Real Almagro
Castela-Mancha Guadalajara Valverde de los Arroyos
Castela e Leão Burgos Frías
Castela e Leão Leão Peñalba de Santiago
Castela e Leão Salamanca Candelario
Castela e Leão Salamanca Cidade Rodrigo
Castela e Leão Salamanca La Alberca
Castela e Leão Salamanca Mogarraz
Castela e Leão Segóvia Ayllón
Castela e Leão Segóvia Maderuelo
Castela e Leão Segóvia Pedraza
Castela e Leão Segóvia Sepúlveda
Castela e Leão Sória Medinaceli
Castela e Leão Valladolid Urueña
Comunidade Valenciana Alicante El Castell de Guadalest
Comunidade Valenciana Castellón Morella
Comunidade Valenciana Castellón Peñíscola
Comunidade Valenciana Castellón Vilafamés
Estremadura Cáceres Trujillo
País Basco Álava Laguardia

2017Editar

A associação As Aldeias Mais Bonitas de Espanha elegeu as 13 localidades que em 2017 serão incorporadas na lista de 44 aldeias que já ostentam esta distinção[12]:

Comunidade autónoma Província Povoação
Castela e Leão Sória Yanguas
Castela-Mancha Cidade Real Villanueva de los Infantes
Navarra Navarra Ujué
La Rioja La Rioja Sajazarra
Castela e Leão Zamora Puebla de Sanabria
Castela e Leão Salamanca Miranda del Castañar
Castela-Mancha Guadalajara Hita
Andaluzia Cádis Grazalema
Ilhas Baleares Ilhas Baleares Fornalutx
Castela e Leão Burgos Covarrubias
Madrid Madrid Chinchón
Andaluzia Granada Capileira
Castela e Leão Burgos Caleruega

Referências

Ligações externasEditar