Abrir menu principal

Alejandra Pizarnik

Flora Pizarnik
Alejandra Pizarnik
Pseudônimo(s) Alejandra Pizarnik
Nascimento 29 de abril de 1936
Buenos Aires, Argentina
Morte 25 de setembro de 1972 (36 anos)
Residência Avellaneda, Buenos Aires e Paris
Nacionalidade Argentina Argentina
Ocupação Escritora e poetisa
Magnum opus Antologia poética

Alejandra Pizarnik (Buenos Aires, 29 de abril de 193625 de setembro de 1972) foi uma escritora e poetisa argentina.

BiografiaEditar

O nome Alejandra foi uma criação da adolescência. Os seus pais eram originários da Rússia[1]. Estudou filosofia e letras na Universidade de Buenos Aires e posteriormente pintura con Juan Batlle Planas.

Faleceu em 1972 devido a dose excessiva de soníferos.

ObrasEditar

  • La última inocencia (1956),
  • Las aventuras perdidas (1958),
  • Árbol de Diana (1962),
  • Los trabajos y las noches (1965),
  • Extracción de la piedra de locura (1968)
  • El infierno musical (1971), postumamente foi publicado Textos de Sombra y últimos poemas que reúne textos publicados em revistas desde 1963 e poemas do final de sua vida, inéditos até então.

Alguns de seus artigos (ensaios poéticos) foram dedicados a Erszebét Bathory ou Elizabeth Bathory como em La Condesa Sangrienta (1967), à obra de Julio Cortázar, Silvina Ocampo, André Breton e Antonin Artaud.

A apreciação, traduções e estudos sobre sua obra cresce paulatinamente, com edições completas de sua prosa, poesia e diários em alguns países.

Referências

Ligações externasEditar

 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Alejandra Pizarnik
  Este artigo sobre um(a) escritor(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.