Abrir menu principal

Aleksandr Lukashenko

atual presidente da Bielorrússia
Alexander Lukashenko
Аляксандр Лукашэнка
Александр Лукашенко
Presidente da Bielorrússia
Período 20 de julho de 1994
a atualidade
Antecessor Myechyslaw Hryb (Soviete Supremo)
Dados pessoais
Nome completo Aleksandr Grigorievitch Lukashenko
Nascimento 30 de agosto de 1954 (64 anos)
Kopys, República Socialista Soviética da Bielorrússia, União Soviética
Nacionalidade bielorrusso
Cônjuge Galina Rodionovna (c. 1975)
Filhos 3 (Viktor, Dmitry e Nikolay)
Partido Independente (1992–presente)
Profissão Diretor agrícola

Aleksandr Grigorievitch Lukashenko ou Łukašenka (em bielorrusso: Аляксандар Рыгоравiч Лукашэнка, IPA[alʲaˈksandr rɨˈɣoravʲɪtʃ ɫukaˈʂɛnka]; em russo: Александр Григорьевич Лукашенко, IPA[alʲɪˈksandr ɡrʲiˈɡorjɪvʲɪtɕ ɫukaˈʂɛnkə]; Kopys, 30 de agosto de 1954[1][2]) é o atual presidente da Bielorrússia. Eleito pela primeira vez em 20 de julho de 1994 e com mandato até 2001, foi sendo novamente reeleito. O seu governo é muito controverso: os seus apoiantes afirmam que sua política econômica salvou o país das piores consequências do capitalismo pós-soviético. Já seus opositores o acusam de ser ditador, sendo conhecido inclusive como "o último tirano da Europa". Os Estados Unidos e a União Europeia proibiram a entrega de vistos para ele e a sua família.

Índice

BiografiaEditar

CarreiraEditar

Lukashenko foi membro do Partido Comunista da União Soviética até a Bielorrússia e os outros estados soviéticos tornam-se independente. Ele tem experiência militar como um jovem no exército soviético, depois que ele se tornou o vice-presidente de uma fazenda coletiva. Foi eleito como deputado no Conselho Supremo da República da Bielorrússia, em 1990, onde ele apoiou os esforços de linha dura para expulsar reformistas na era de Mikhail Gorbachev. Ele presidiu o comité anti-corrupção do parlamento em 1993 e concorreu à presidência em uma plataforma populista nas eleições de 1994. Logo depois, ele iria empurrar uma nova constituição, apesar do protesto de dezenas de membros do parlamento que pediram seu impeachment, que, basicamente, concedido o regime de Lukashenko uma ditadura legal.

Em 2018, a Bielorrússia ocupava a 53ª posição entre 189 países no Índice de Desenvolvimento Humano da ONU, e está no grupo dos países com "desenvolvimento muito elevado". Com um sistema de saúde eficiente, tem uma taxa de mortalidade infantil muito baixa de 2,9 (em comparação com 6,6 na Rússia ou 3,7 no Reino Unido). A taxa de médicos per capita é de 40,7 por 10.000 habitantes (26,7 na Roménia, 32 na Finlândia, 41,9 na Suécia) e a taxa de alfabetização é estimada em 99%. De acordo com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, o coeficiente de Gini (indicador de desigualdade) é um dos mais baixos da Europa.[3]

Vida pessoalEditar

Em 1975, Lukashenko casou com sua namorada de colégio, Galina Rodionovna e eles tiveram dois filhos: Viktor, nascido em 1975, e Dmitry, nascido em 1980. Viktor trabalha como assessor do seu pai, mas Lukashenko considerava como seu "herdeiro" um filho de outra relação, Nikolai, nascido por volta de 2005; a mãe é alegadamente Irina Abelskaya, sua medica. Sua esposa foi afastada desde o início de sua presidência, vivendo como uma leiteira em uma fazenda remota perto Shkloŭ, enquanto a biografia presidencial oficial omite qualquer menção a ela. Lukashenko é conhecido por ter um grande interesse em concursos de beleza do seu país; as mulheres são proibidas de competir para além das fronteiras do país.

Referências

Ligações externasEditar

Precedido por
Presidente da Bielorrússia
1994 – atualidade
Sucedido por
  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.