Alexandre de Licópolis

Alexandre de Licópolis foi o autor de um breve tratado, de vinte e seis capítulos, contra os maniqueístas.[1] Ele afirma, no segundo capítulo, que derivou seu conhecimento sobre os ensinamentos de Mani "Apo Ton Gnorimon" (do amigo dele).[2]

A obra é uma espécie de procedimento analítico em grego à serviço da teologia cristã, "um calmo, mas vigoroso protesto de um intelecto científico contra o vago dogmatismo das teosofias orientais."[2]

Fócio (Contra Manichaeos, i, 11) diz que ele era o bispo de Licópolis (na Tebaida egípcia), mas Otto Bardenhewer (Patrologie, 234) opina que ele seria um pagão e um platonista.[2]

Referências

  1. J. P. Migne, Patrologia Graeca, XVIII, 409-448
  2. a b c   "Alexander of Lycopolis" na edição de 1913 da Enciclopédia Católica (em inglês). Em domínio público.

BibliografiaEditar

Ligações externasEditar

  • Migne. «Opera Omnia na Patrologia Graeca» 🔗 (em grego). Documenta Catholica Omnia. Consultado em 2 de janeiro de 2011 , com índices analíticos