Abrir menu principal
Alexei Sklyarenko
Nome completo Aleksey Pavlovich Sklyarenko
(Алексе́й Па́влович Скляре́нко)
Nascimento 1870 (149 anos)
Verniy, Império Russo
Morte julho de 1916 (46 anos)
São Petersburgo, Império Russo
Nacionalidade russo
Ocupação Político, revolucionário
Filiação Partido Operário Social-Democrata Russo (POSDR)

Alexei Pavlovich Sklyarenko (em russo: Алексе́й Па́влович Скляре́нко ; Verniy, 1870 — São Petersburgo, julho de 1916) foi um participante do movimento revolucionário da Rússia e membro do Partido Operário Social-Democrata Russo (POSDR).[1]

VidaEditar

Nascido em 1870, em Verniy, que se tornou Alma-Ata, Alexei Skliarenko era filho de um médico.

Quando tinha cerca de 18 anos, sua vida tomou uma virada revolucionária. Em 1886 juntou-se ao movimento dos Narodniks (populistas russos). Em 1887, foi preso e encarcerado em Kresty, uma prisão em São Petersburgo. Em setembro de 1889, conheceu Vladimir Ulyanov (Lenin) e então juntaram-se a um grupo de discussão.[1] Juntos, o pensamento desses dois se desenvolveu para a validade do marxismo. Em 1893 juntou-se a um grupo de marxistas. No ano seguinte foi preso novamente e desta vez foi exilado para a província de Arcangel.

Em 1898 juntou-se ao Partido Operário Social-Democrata Russo (POSDR). Em 1898-1903, fez trabalho de campo para o partido primeiro em Tula e depois em Harbin. Em 1903, seu trabalho para o partido o levou a São Petersburgo. De 1905 a 1907, serviu na Agência do POSDR onde representou a Região Central de Saratov e onde também trabalhou no comitê de Samara do POSDR.[1] Em 1907, foi um dos 338 delegados do V Congresso do Partido Operário Social-Democrata Russo e também foi novamente preso e, nesta ocasião, foi exilado para Syktyvkar. Em 1911, voltou a São Petersburgo, onde adotou o nome da canção Bosoi e onde escreveria itens para os jornais bolcheviques Zvezka e Pravda, bem como a revista Prosveshchenie (Iluminação).

Morreu em São Petersburgo em julho de 1916, nunca vivendo para ver a Revolução de Outubro.

Referências

  1. a b c Instituto de Marxismo-Leninismo de Moscou. Reminiscences of Lenin. Foreign Languages Publishing House, 1956. pp. 36-111.

FonteEditar