Abrir menu principal

O alfabeto siríaco é um sistema de escrita usado principalmente para escrever a língua siríaca desde o século 1 d.C.[1] É um dos abjads derivados diretamente do alfabeto aramaico e tem semelhanças com os alfabetos fenício, hebraico, árabe e mongol.

Alfabeto siríaco
Syriac Alphabet Sample.svg
TipoAbjad
Línguasaramaico, árabe
Período de tempo
200 a.C. até hoje
Sistemas-pais
Sistemas-filhos
Alfabeto sogdiano

  →Alfabeto de Orkhon (disputado)
    →Runas húngaras
  →Uigur antigo
    →Alfabeto mongol
Alfabeto nabateu
  →Alfabeto árabe

    →Alfabeto N'ko
Conjunto de carateres Unicode
U+0700–U+074F

O siríaco é escrito da direita para a esquerda. É uma escrita cursiva em que algumas letras, mas não todas, se unem dentro de uma palavra. O alfabeto tem 22 letras, todas consoantes. Os sons das vogais são determinados pela memória do leitor ou por pontos (um sistema de marcas diacríticas para indicar a leitura correta)

Alem de representarem os sons da língua, as letras do alfabeto siríaco tambem podem ser usadas para representar números, num sistema similar às numerações hebraica e grega.

Quando a língua árabe começou a ser a mais falada no Crescente Fértil, os textos eram frequentemente escritos em árabe mas no alfabeto siríaco. O malaiala era também escrito em siríaco e era chamado Suriyani Malayalam. Esses escritos (representando outra língua pelo alfabeto siríaco) são usualmente chamados Karshuni or Garshuni (ܓܪܫܘܢܝ).

VariantesEditar

 
As primeiras palavras do Evangelho segundo S. João escritas em Serṭā, Maḏnḥāyā e ʾEsṭrangēlā (de cima para baixo) — brēšiṯ iṯaw[hy]-[h]wā melṯā, 'no princípio era o verbo'.

Há três variantes do alfabeto siríaco: o clássico ʾEsṭrangēlā, o oriental Maḏnḥāyā e o ocidental Serṭā .

ʾEsṭrangēlāEditar

A forma clássica e mais antiga do alfabeto é o ʾEsṭrangēlā (ܐܣܛܪܢܓܠܐ); supõe-se que o nome seja derivado do adjetivo grego στρογγύλη (strongylē, 'arredondado'),[2] embora também tenha sido sugerido que derive de ܣܪܛܐ ܐܘܢܓܠܝܐ (serṭā ’ewangēlāyā, 'caracter do evangelho').[3] Embora o ʾEsṭrangēlā já não seja usado como a principal forma de escrita siríaca, teve algum revivalismo desde o século X. É frequentemente usado em publicações académicas (por exemplo, a versão da Universidade de Leiden do Peshitta), em títulos e inscrições. Nalguns antigos manuscritos e inscrições é possivel a qualquer letra juntar-se a outra à sua esquerda, sendo por vezes encontradas antigas letras aramaicas (especialmente o Ḥeth e o Mem). No ʾEsṭrangēlā normalmente não são usadas marcas para assinalar as vogais.

MaḏnḥāyāEditar

O dialeto siríaco oriental é normalmente escrito na forma Maḏnḥāyā (ܡܲܕ݂ܢܚܵܝܵܐ, 'oriental') do alfabeto. Outros nomes para essa escrita são Swāḏāyā (ܣܘܵܕ݂ܵܝܵܐ, "conversacional", frequentemente traduzido como "contemporario", refletindo o seu uso para escrever o moderno neo-aramaic), "assírio" (não confundir com o nome tradicional do alfabeto hebraico), "caldeu", e, incorretamente, "nestoriano" (um termo originalmente usado para designar a Igreja do Leste no Império Persa). A escrita oriental assemelha-se mais do que a ocidental ao ʾEsṭrangēlā, estando de certa forma a meio caminho entre as duas. A escrita oriental usa um sistema de pontos acima e abaixo das letras para indicar as vogais:

  • um ponto acima e outro abaixo de uma letra representa [a], transliterado como a ou ă (ܦܬ݂ܵܚܵܐ, Pṯāḥā)
  • dois pontos colocados na diagonal acima de uma letra representam [ɑ], transliterated transliterado como ā ou â ou å (ܙܩܵܦ݂ܵܐ, Zqāp̄ā
  • dois pontos colocados horizontalmente por baixo de uma letra representam [ɛ], transliterado como e como ĕ (ܪܒ݂ܵܨܵܐ ܐܲܪܝܼܟ݂ܵܐ, Rḇāṣā ărīḵā ou ܙܠܵܡܵܐ ܦܫܝܼܩܵܐ, Zlāmā pšīqā; frequentemente pronunciado como [ɪ] e transliterado como i no dialeto siríaco oriental)
  • dois pontos colocados na diagonal abaixo de ima letra representam [e], transliterado como ē (ܪܒ݂ܵܨܵܐ ܟܲܪܝܵܐ, Rḇāṣā karyā ou ܙܠܵܡܵܐ ܩܲܫܝܵܐ, Zlāmā qašyā)
  • uma letra Yōḏ com um ponto abaixo representa [i], transliterado como ī ou i (ܚܒ݂ܵܨܵܐ, Ḥḇāṣā)
  • uma letra Waw com um ponto abaixo representa [u], transliterado como ū ou u (ܥܨܵܨܵܐ ܐܲܠܝܼܨܵܐ, ʿṢāṣā ălīṣā ou ܪܒ݂ܵܨܵܐ, Rḇāṣā)
  • uma letra Waw com um ponto acima representa [o], transliterado como ō ou o (ܥܨܵܨܵܐ ܪܘܝܼܚܵܐ, ʿṢāṣā rwīḥā ou ܪܘܵܚܵܐ, Rwāḥā)
  • uma combinação de Rḇāṣā karyā (usualmente) seguida por uma letra Yōḏ representa [e] (possivelmente *[e̝] in Proto-Siríaco), transliterado como ē ou ê (ܐܲܣܵܩܵܐ, ʾĂsāqā)

Pensa-se que o método oriental de representar as vogais influenciou o desenvolvimento das marcas Niqqud usadas para escrever hebreu.

Além das referidas marcas de vogal, transliteração do siríaco por vezes utiliza e (acima da linha), ə, ou (ou frequentemente nada) para representar um schwa originário do aramaico que desapareceu a dada altura no desenvolvimento do siríaco. Alguns esquemas de transliteração consideram essa inclusão necessária para representar [[lenição|espirantização]] ou por razões históricas. Seja porque a sua distribuição é muito previsível (normalmente dentro de um cluster de duas consoantes no início da sílaba) ou porque a sua pronunciação perdeu-se, nem a variante oriental nem a ocidental têm um simbolo para representar o schwa.

SerṭāEditar

O dialeto siríaco ocidental é normalmente escrito na forma Serṭā (ܣܶܪܛܳܐ‎, 'linha') do alfabeto, também chamada Pšīṭā (ܦܫܺܝܛܳܐ‎, 'simples'), 'maronita' ou 'jacobita' (embora "jacobita" seja considerado pejorativo). A maioria das letras derivam claramento do ʾEsṭrangēlā, mas com linhas simplificadas. Um estilo cursivo é evidente nos primeiros manuscritos siríacos, mas as obras importantes eram escritas em ʾEsṭrangēlā. A partido do século VIII, o mais simples estilo Serṭā tornou-se popular, talvez por ser mais económico no uso de pergaminho. O alfabeto nabateu (que deu origem ao alfabeto árabe) baseava-se nesta forma de escrita siríaca. Na escrita ocidental as vogais são normalmente indicadas através de vogais gregas em miniatura acima ou abaixo da letra a que se seguem:

  • Um alpha maíusculo (Α) representa [a], transliterado como a ou ă (ܦܬ݂ܳܚܳܐ‎, Pṯāḥā)
  • Um alpha minúsculo (α) representa [ɑ], transliterado como ā ou â ou å (ܙܩܳܦ݂ܳܐ‎, Zqāp̄ā; pronunciado como [o] e transliterado como o no dialeto siríaco ocidental)
  • Um epsilon minúsculo (ε) representa tanto [ɛ], transliterado como e ou ĕ, como [e], transliterado como ē (ܪܒ݂ܳܨܳܐ‎, Rḇāṣā)
  • Um eta maiúsculo (H) representa [i], transliterado como ī (ܚܒ݂ܳܨܳܐ‎, Ḥḇāṣā)
  • Uma combinação entre upsilon maiúsculo (Υ) e omicron minúsculo (ο) representa [u], transliterado como ū ou u (ܥܨܳܨܳܐ‎, ʿṢāṣā)
  • Um omega minúsculo é utilizado apenas na interjeição vocativa ʾō (ܐܘّ‎, 'O!').

O alfabetoEditar

O alfabeto siríaco consiste nas seguintes letras, mostradas na sua forma isolada (não ligadas a outras). Quando isoladas, as letras Kāp̄, Mīm, e Nūn são normalmente mostradas com a sua forma inicial ligada à forma final. As letras ʾĀlap̄, Dālaṯ, , Waw, Zayn, Ṣāḏē, Rēš, e Taw (e, nos antigos manuscritos ʾEsṭrangēlā, a letra Semkaṯ[4]) não se ligam à letra seguinte dentro de uma palavra quando escritas - na tabela essas letras são marcadas com um asterisco.

Nome Letra Som Valor
Numérico
Equivalente
Fenício
Equivalente
Hebraico
Equivalent
Árabe
ʾEsṭrangēlā Maḏnḥāyā Serṭā Transliteração IPA
ʾĀlap̄* (ܐܠܦ)       ʾ ou nada [ʔ]
ou silenciosa
1 𐤀 א ا
Bēṯ (ܒܝܬ)       forte: b
suave: (também bh, v, β)
forte: [b]
suave: [v] ou [w]
2 𐤁 ב ب
Gāmal (ܓܡܠ)       forte: g
suave: (também , gh, ġ, γ)
forte: [ɡ]
suave: [ɣ]
3 𐤂 ג ج
Dālaṯ* (ܕܠܬ)       forte: d
suave: (também dh, ð, δ)
forte: [d]
suave: [ð]
4 𐤃 ד د, ذ
* (ܗܐ)       h [h] 5 𐤄 ה ه
Waw* (ܘܘ)       consoante: w
mater lectionis: ū ou ō
(também u ou o)
consoante: [w]
mater lectionis: [u] ou [o]
6 𐤅 ו و
Zayn* (ܙܝܢ)       z [z] 7 𐤆 ז ز
Ḥēṯ (ܚܝܬ)       [ħ], [x], ou [χ] 8 𐤇 ח ح, خ
Ṭēṯ (ܛܝܬ)       [] 9 𐤈 ט ط, ظ
Yōḏ (ܝܘܕ)       consoante: y
mater lectionis: ī (também i)
consoante: [j]
mater lectionis: [i] ou [e]
10 𐤉 י ي
Kāp̄ (ܟܦ)       forte: k
suave: (também kh, x)
forte: [k]
suave: [x]
20 𐤊 כ ך ك
Lāmaḏ (ܠܡܕ)       l [l] 30 𐤋 ל ل
Mīm (ܡܝܡ)       m [m] 40 𐤌 מ ם م
Nūn (ܢܘܢ)       n [n] 50 𐤍 נ ן ن
Semkaṯ (ܣܡܟܬ)       s [s] 60 𐤎 ס
ʿĒ (ܥܐ)       ʿ [ʕ] 70 𐤏 ע ع, غ
(ܦܐ)       forte: p
suave: (também , , ph, f)
forte: [p]
suave: [f]
80 𐤐 פ ף ف
Ṣāḏē* (ܨܕܐ)       [] 90 𐤑 צ ץ ص, ض
Qōp̄ (ܩܘܦ)       q [q] 100 𐤒 ק ق
Rēš* (ܪܝܫ)       r [r] 200 𐤓 ר ر
Šīn (ܫܝܢ)       š (também sh) [ʃ] 300 𐤔 ש س, ش
Taw* (ܬܘ)       forte: t
suave: (também th, θ)
forte: [t]
suave: [θ]
400 𐤕 ת ت, ث

Forma contextual das letrasEditar

Nome ʾEsṭrangēlā (clássico) Maḏnḥāyā (oriental)
Forma
normal
Final
ligada
Final
desligada
Forma
normal
Final
ligada
Final
desligada
ʾĀlap̄           1  
Bēṯ            
Gāmal            
Dālaṯ            
           
Waw            
Zayn            
Ḥēṯ            
Ṭēṯ            
Yōḏ            
Kāp̄            
Lāmaḏ            
Mīm            
Nūn            
Semkaṯ           /    
ʿĒ            
           
Ṣāḏē            
Qōp̄            
Rēš            
Šīn            
Taw            

1 Na posição final a seguir a Dālaṯ ou Rēš, ʾĀlap̄ toma a forma normal em vez da final

LigadurasEditar

Nome ʾEsṭrangēlā (clássico) Maḏnḥāyā (oriental) Caractere
unicode
Descrição
Forma
normal
Final
ligada
Final
desligada
Forma
normal
Final
ligada
Final
desligada
Lāmaḏ-ʾĀlap̄             ܠܐ Lāmaḏ e ʾĀlap̄ combinadas no fim da palavra
Taw-ʾĀlap̄               /   ܬܐ Taw e ʾĀlap̄ combinadas no fim da palavra
Hē-Yōḏ             ܗܝ e Yōḏ combinadas no fim da palavra
Taw-Yōḏ             ܬܝ Taw e Yōḏ combinadas no fim da palavra

Alterações de letrasEditar

Três letras funcionam como matres lectionis: em vez de serem consoantes, indicam uma vogal. ʾĀlap̄ (ܐ), a primeira letra, representa uma oclusiva glotal, mas também pode indicar uma vogal no principio ou no frim de uma palavra. A letra Waw (ܘ) é a consonante w, mas pode também representar as vogais o and u. Da mesma maneira, a letra Yōḏ (ܝ) representa a consoante y, mas também pode representar as vogais i e e.

No uso moderno, algumas alterações podem ser feitas para representar fonemas não representados na ortografia clássica. Uma marca similar a um til, chamada Majlīyānā (ܡܓ̰ܠܝܢܐ), é colocada, seja acima ou abaixo uma letra na variante Maḏnḥāyā para mudar o seu valor fonético (ver também Geresh):

Além dos sons estrangeiros, um sistema de marcas é utilizado para distinguir as qūššāyā (ܩܘܫܝܐ, letras 'fortes') das rūkkāḵā (ܪܘܟܟܐ, letras 'suaves'). As letras Bēṯ, Gāmal, Dālaṯ, Kāp̄, , e Taw, todas oclusivas ('fortes'), podem ser espirantizandas em fricativas ('suaves'). O sistema implica colocar um ponto abaixo da letra para lhe dar a variante 'suave' e um ponto acima para lje dar a variante 'forte' (embora, no uso moderno, normalmente nenhuma marca seja usada para indicar o valor 'forte'):

Nome Oclusiva Translit. IPA Name Fricativa Translit. IPA Notas
Bēṯ (qšīṯā) ܒ݁ b [b] Bēṯ rakkīḵtā ܒ݂ [v] or [w] [v] tornou-se [w] na maioria dos dialetos modernos.
Gāmal (qšīṯā) ܓ݁ g [ɡ] Gāmal rakkīḵtā ܓ݂ [ɣ]
Dālaṯ (qšīṯā) ܕ݁ d [d] Dālaṯ rakkīḵtā ܕ݂ [ð] [d] não é espirantizando nalguns dialetos orientais modernos.
Kāp̄ (qšīṯā) ܟ݁ܟ݁

k [k] Kāp̄ rakkīḵtā ܟ݂ܟ݂

[x]
Pē (qšīṯā) ܦ݁ p [p] Pē rakkīḵtā ܦ݂ or ܦ̮ [f] iu [w] [f] não existe na maioria do dialetos orietais modernos. Em vez disso, não é espirantizanda ou por vezes parece como [w]. é a única letra na variante oriental do alfabeto que é espirantizanda com a adição de um semicirculo em vez de um único ponto.
Taw (qšīṯā) ܬ݁ t [t] Taw rakkīḵtā ܬ݂ [θ] [t] não é espirantizanda em alguns dialetos orientais modernos.

A mnemónica bḡaḏkp̄āṯ (ܒܓܕܟܦܬ) é muitas vezes usada para lembrar as seis letras que podem ser espirantizandas.

Na variante oriental do alfabeto siríaco, as marcas de espirantização são normalmente omitidas quando interferem com as marcas de vogal. O grau em que as letras podem ser espirantizandas varia de dialeto para dialeto, já que alguns dialetos determinadas letras deixaram de ser espirantizandas. Nas palavras nativas, a espirantização depende da posição da letra dentro da palavra ou sílaba, localização em relação a outras consoantes e vogais, geminação, etimologia e outros fatores. As palavras estrangeiras nem sempre são sujeitas às regras para espirantização.

Códigos informáticos para representar o siríacoEditar

UnicodeEditar

O alfabeto siríaco foi adicionado ao Unicode Standard em setembro de 1999, com o lançamento da versão 3.0

As faixas unicode para o siríaco vão do U+0700 até U+074F:

Siríaco[1][2]
Carta oficial de códigos do Unicode Consortium (PDF)
  0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 A B C D E F
U+070x ܀ ܁ ܂ ܃ ܄ ܅ ܆ ܇ ܈ ܉ ܊ ܋ ܌ ܍ ܏
 MAS 
U+071x ܐ ܑ ܒ ܓ ܔ ܕ ܖ ܗ ܘ ܙ ܚ ܛ ܜ ܝ ܞ ܟ
U+072x ܠ ܡ ܢ ܣ ܤ ܥ ܦ ܧ ܨ ܩ ܪ ܫ ܬ ܭ ܮ ܯ
U+073x ܰ ܱ ܲ ܳ ܴ ܵ ܶ ܷ ܸ ܹ ܺ ܻ ܼ ܽ ܾ ܿ
U+074x ݀ ݁ ݂ ݃ ݄ ݅ ݆ ݇ ݈ ݉ ݊ ݍ ݎ ݏ
Notas
1. De acordo com o Unicode versão 7.0
2. Áreas cinzentas indicam códigos não atribuídos

A Abreviatura Siríaca (uma espécie de traço acima do texto) pode ser representada por um caractere de controlo especial, chamado Marca de Abreviatura Siríaca (U+070F).

HTMLEditar

Nota: a codificação dos caracteres em HTML pode ser no formato decimal (&#DDDD;) ou hexadecimal (&#xHHHH;). Por exemplo, ܕ e ܕ (1813 em decimal) representam ambos a letra siríaca Dalath (U+0715)

AlfabetoEditar

ܕ ܓ ܒ ܐ
ܕ ܓ ܒ ܐ
ܚ ܙ ܘ ܗ
ܚ ܙ ܘ ܗ
ܠ ܟܟ ܝ ܛ
ܠ ܟ ܝ ܛ
ܥ ܣ ܢܢ ܡܡ
ܥ ܤ ܢ ܡ
ܪ ܩ ܨ ܦ
ܪ ܩ ܨ ܦ
ܬ ܫ
ܬ ܫ

Vogais e caracteres únicosEditar

ܲ ܵ
ܲ ܵ
ܸ ܹ
ܸ ܹ
ܼ ܿ
ܼ ܿ
̈ ̰
̈ ̰
݁ ݂
݁ ݂
܀ ܂
܀ ܂
܄ ݇
܄ ݇

Referências

  1. «Syriac alphabet». Encyclopædia Britannica Online. Consultado em 10 de outubro de 2014 
  2. Hatch 1946, p. 24
  3. Nestle 1888, p. 3 [página 5 da tradução inglesa].
  4. Coakley 2002, p. 141

BibliografiaEditar

Ligações ExternasEditar

 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Alfabeto siríaco
 
Este artigo resulta, no todo ou em parte, de uma tradução do artigo «Syriac alphabet» na Wikipédia em inglês, na versão original. Você pode incluir conceitos culturais lusófonos de fontes em português com referências e inseri-las corretamente no texto ou no rodapé. Também pode continuar traduzindo ou colaborar em outras traduções. Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)