Abrir menu principal
Question book.svg
Este artigo ou secção não cita fontes confiáveis e independentes (desde dezembro de 2013). Ajude a inserir referências.
O conteúdo não verificável pode ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Searchtool.svg
Esta página ou seção foi marcada para revisão, devido a incoerências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a coerência e o rigor deste artigo.
Alfred Helmut Naujocks
Nascimento 1911
Morte Decada de 60.
Nacionalidade alemão
Serviço militar
Patente Oficial da SS.

Alfred Helmut Naujocks nasceu no 20 septembro 1911 em Kiel e serviu nas SS alemã. Homem alto, louro, corpulento, pele suave e uma cicatriz no rosto rubicundo, era um dos assassinos de topo dos serviços alemães, eleitos para as tarefas mais complicadas.

Ele é, inclusivamente, considerado o responsável pelo início da Segunda Guerra Mundial. Seguindo ordens do seu chefe, Reinhard Heydrich, disfarçou-se de polaco e, com mais alguns agentes disfarçados, fingiram um ataque a um posto fronteiriço alemão, a estação de rádio de Gleiwitz deixando um cadáver de um militar polaco para trás, aumentando a credibilidade do acto. Nesse dia, 31 de Agosto de 1939, fingiram ainda mais escaramuças na fronteira. Esta foi a justificação que Hitler precisou para invadir a Polónia, dando início à Guerra.

Naujocks teve, contudo, um fim atribulado. Em 1941, discutiu com o seu chefe, Heydrich, e foi enviado para a linha da frente. Em 1943 serviu como administrador na Bélgica. Em 1944, acabou por desertar e juntar-se aos americanos.

As tropas aliadas decidiram prendê-lo e ele foi julgado em Nuremberga, devido aos incidentes que levaram à invasão da Polónia.

Foi libertado e viveu em Hamburgo, onde vendeu a sua história de guerra aos midia. Alegadamente, ajudou ex-agentes da SS a fugir para a América do Sul no pós-guerra, em liberdade.

Morreu no 4. abril 1966 em Hamburgo.

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Alfred Naujocks