Abrir menu principal

Wikipédia β

Ali Abdullah Saleh

político do Iémen
Gnome globe current event.svg
Este artigo ou seção se refere ou tem relação com alguém que morreu recentemente.
A informação apresentada pode mudar com frequência. Não adicione especulações, nem texto sem referência a fontes confiáveis. (Editado pela última vez em 10 de dezembro de 2017.)
Twemoji 1f464.svg

Ali Abdullah Saleh (Bait al-Ahmar, 21 de março de 1942Saná, 4 de dezembro de 2017) foi um político da República do Iémen.

Ali Abdullah Saleh
علي عبد الله صالح
1.º Presidente do Iêmen
Período 22 de maio de 1990
a 25 de fevereiro de 2012
Vice-presidente Abd Rabbuh Mansur Al-Hadi
Sucessor(a) Abd Rabbuh Mansur Al-Hadi[1]
Presidente do Iêmen do Norte Flag of North Yemen.svg
Período 18 de julho de 1978
a 22 de maio de 1990
Antecessor(a) Abdul Karim Abdullah al-Arashi
Sucessor(a) cargo abolido
Vice-presidente do Iêmen do Norte Flag of North Yemen.svg
Período 24 de junho de 1978
a 18 de julho de 1978
Antecessor(a) Abdul Karim Abdullah al-Arashi
Dados pessoais
Nascimento 21 de março de 1942
Bait al-Ahmar, Flag of the Mutawakkilite Kingdom of Yemen.svg Reino do Iêmen
Morte 4 de dezembro de 2017 (75 anos)
Sanaa, Iêmen[2]
Partido Congresso Geral Popular
Religião Islamismo zaidita
Profissão militar
Serviço militar
Anos de serviço 1958-2012
Graduação Marechal de campo

Serviu como presidente da República Árabe do Iémen (Iémen do Norte), de 1978 a 1990. Em 1990, quando da unificação do país (que se tornou a atual República do Iémen), Saleh foi eleito presidente da nova republica, com 77,2% dos votos, e manteve-se no cargo até a eclosão da onda de protestos, durante a chamada Primavera Árabe.

Índice

Protestos no Iémen em 2011Editar

Em 23 de abril de 2011, cerca de quatro meses após o ínício dos protestos no pais, o presidente Abdullah Saleh concordou em deixar o poder, após 32 anos no cargo.[3] Saleh aceitou o plano de transição elaborado por países da região do Golfo Pérsico, de maneira a encontrar uma saída pacífica para a crise política. O presidente entregou o cargo em 30 dias e nomeou um integrante da oposição para liderar um governo interino, até a realização de novas eleições presidenciais, programadas para o final de 2011. Pelo acordo estabelecido, Saleh, sua família e seus principais assessores recebem imunidade e não poderão ser processados.[4] O acordo deveria ter sido assinado no dia 30 de abril de 2011, mas Abdullah Saleh não quis assinar na posição de presidente. Conforme a oposição, Abdullah Saleh alterou o acordo, para ele assinar como líder partidário e não como presidente. Saleh foi o único ditador de um país arabe que não foi condenado á prisão perpétua após a sua renúncia, mas fugiu do país.

MorteEditar

No dia 4 de dezembro de 2017, após um longo desentendimento entre os Houthis e militantes leais ao antigo governo de Saleh causado por um acordo que Saleh teria feito com a Arábia Saudita, membros dos Houthis atacaram o local onde Saleh morava em Sanaa, capital do Iêmen, e o mataram a tiros. Pouco depois, os Houthis divulgaram um vídeo no qual o cadáver de Saleh aparecia perfurado por tiros e ensanguentado.[5] Em nota, os houthis afirmaram que foi "a aliança de Saleh com os Emirados árabes unidos e com a Arábia Saudita que levaram ao humilhante destino que a vida de Saleh teve"[6]

Ver tambémEditar

BibliografiaEditar

W. Day, Stephen (2012). Regionalism and Rebellion in Yemen: A Troubled National Union. [S.l.]: Cambridge University Press. ISBN 978-1-1070-2215-7 

ReferênciasEditar

  1. «Abd Rabbuh Mansur al-Hadi prestou juramento como presidente de Iêmen». Sputnik. 25 de fevereiro de 2012. Consultado em 4 de dezembro de 2017 
  2. «Rebeldes atacam casa e matam ex-ditador do Iêmen Ali Abdullah Saleh». UOL. 4 de dezembro de 2017. Consultado em 4 de dezembro de 2017 
  3. «Jovens iemenitas pedem retirada de plano de países do Golfo». Estadão. 7 de maio de 2011 
  4. «Presidente do Iêmen concorda em deixar o poder após 32 anos». BBC Brasil. 23 de abril de 2011. Consultado em 5 de dezembro de 2017 
  5. «Rebeldes atacam casa e matam ex-ditador do Iêmen Ali Abdullah Saleh». UOL. 4 de dezembro de 2017. Consultado em 4 de dezembro de 2017 
  6. «ناطق أنصار الله: الإمارات أوصلت زعيم ميليشيا الخيانة إلى هذه النهاية المخزية ولا مشكلة مع المؤتمر». www.almasirah.net (em árabe). almasirah. 4 de dezembro de 2017. Consultado em 5 de dezembro de 2017 

Ligações externasEditar

Precedido por
Novo cargo
Presidente do Iémen
1990 - 2012
Sucedido por
Abd Rabbuh Mansur Al-Hadi
  Este artigo sobre o Iémen é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.