Almeida Século 21

A Bíblia Sagrada Almeida Século 21, ou simplesmente Almeida Século 21 (abreviação AS21), é uma tradução protestante da Bíblia Sagrada em língua portuguesa. Foi publicada pela Editora Vida Nova em 2008 como nova edição ou revisão radicam partindo da antiga Almeida Revisada de 1967 da Imprensa Bíblica Brasileira (divisão da JUERP). A Almeida Século 21 (AS21) é uma versão da Bíblia caracterizada por ser uma tradução literal em linguagem formal, porém com o diferencial de usa um vocabulário e gramática corrente atualmente em língua portuguesa brasileira. [1]

HistóriaEditar

A Almeida Século 21 (AS21) é uma nova edição ou revisão profunda da antiga Almeida Revisada de 1967 da Imprensa Bíblica (divisão da JUERP) que tinha um vocabulário e gramática que já não comunicava ao leitor brasileiro. Além disso, desde a publicação da edição de 1967, a crítica textual da Bíblia produziu novos avanços em termo de manuscritos refletidos em novas edições críticas acadêmicas.[1]

Bíblia Sagrada Almeida Século 21
Nome: Almeida Século 21
Abreviação: AS21
Publicação da Bíblia completa: 2008
Livros apócrifos: Não contém.
Base textual: AT: Bíblia Hebraica Stuttgartensia; NT: O Novo Testamento Grego da UBS 4ª edição / Nestle-Aland 27ª edição
Tipo de tradução: Equivalência formal
Editora: Editora Vida Nova
Cópias impressas: ?
Afiliação religiosa: evangélica/protestante
Versão online: AS21
Gênesis 1:1-3
"No princípio, Deus criou os céus e a terra. A terra era sem forma e vazia, e havia trevas sobre a face do abismo, mas o Espírito de Deus pairava sobre a face das águas. Disse Deus: Haja luz. E houve luz."
João 3:16
"Porque Deus amou tanto o mundo, que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna."

Comissão de TraduçãoEditar

A versão Almeida Século 21 é o resultado do esforço conjunto de várias editoras evangélicas brasileiras: a Imprensa Bíblica Brasileira/JUERP, Edições Vida Nova, a Editora Hagnos e a Editora Atos.[2] O trabalho de tradução e revisão da AS21 durou 6 anos.[2][1]

Fizeram parte da comissão de tradutores e revisores: Abraão de Almeida (revisão de estilo); Aldo Menezes (revisão de estilo); Daniel de Oliveira (assistente de revisão exegética); Edna Batista Guimarães (revisão de estilo); Estevan Kirschner (revisão exegética: NT); João Guimarães (revisão de estilo); Lucília Marques Pereira da Silva (revisão de estilo); Luiz Sayão (Coordenador Geral); Márcio Loureiro Redondo (revisão de estilo); Marisa Lopes (revisão de estilo); Pedro Moura (revisão geral); Robinson Malkomes (revisão de estilo final); Tiago de Lima (revisão de estilo); Valdemar Kroker (revisão exegética do AT); William Lane (revisão exegética do AT).[1][2]

Características da traduçãoEditar

A versão Almeida Século 21 procura preencher uma lacuna das versões tradicionais: a questão da exatidão exegética, clareza e fluência. Muitas traduções brasileiras têm como ponto forte a beleza de estilo e uma linguagem que reflete um profundo respeito ao sagrado. Contudo, o Brasil ainda carece de um número maior de versões que unam as características de exatidão exegética, clareza e fluência, que são de extrema importância para o entendimento da Bíblia.[1][2]

A tradução se caracteriza pela fidelidade e literalidade aos textos-base em hebraico e grego, porém com vocabulário e gramática simples. Mantém a tradicional formalidade da norma culta brasileira conservando os pronomes tu, vós, etc.[1][2]

Resumo das características:[1]

  • Frase na ordem direta em português (Sujeito, verbo etc) em vez de seguir a ordem hebraica e grega;
  • Vocabulário corrente atualmente no Brasil sempre que não altera algum conceito teológico importante;
  • Conserva a solenidade de versões antigas usando os pronomes tu, vós, vosso etc;
  • Procura conservar traduções consagradas e decoradas de versículos chave como João 3.16;
  • Utiliza-se de notas de rodapé para explicar alguma palavra ou termo das línguas originais;
  • Possui uma breve e objetiva introdução a cada livro da Bíblia.

Ver tambémEditar

Referências

  1. a b c d e f g Bíblia Sagrada Almeida Século 21. São Paulo: Vida Nova, 2008, 1305 páginas. Veja o "Prefácio" e a "Apresentação"
  2. a b c d e Bíblia Almeida Século 21. Disponível em <https://www.abiblia.org/ver.php?id=1042>. Acessado em 9 de julho de 2020.
  Este artigo sobre a Bíblia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.