Abrir menu principal
Disambig grey.svg Nota: Para para o rei da Taifa de Sevilha, veja Almutadide (abádida).
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde junho de 2019). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Wiki letter w.svg
Por favor, melhore este artigo ou secção, expandindo-o. Mais informações podem ser encontradas no artigo «Al-Mu'tadid» na Wikipédia em inglês e também na página de discussão.
Almutadide
16º Califa Abássida
Dinar de ouro de Almutadide, 285 A.H. (892/3)
Reinado 892902
Antecessor(a) Almutâmide
Sucessor(a) Almoctafi
Herdeiro Almoctafi
Dinastia Abássida
Nascimento 857
Morte 902 (45 anos)
Filho(s) Almoctafi
Abdulá ibne Almutaz
Alcair
Almoctadir
Pai Mutavaquil

Almutadide[1][2][3] ou Almutâdide[4] (em árabe: المعتضد بالله) foi o califa abássida entre 892 e 902. Como filho e herdeiro do poderoso vizir e regente de fato Almuafaque (m. 891), Almutadide já detinha o poder real antes mesmo de ser apontado como califa. Ele era neto de Mutavaquil.

HistóriaEditar

Na Mesopotâmia, o califa e seu filho se envolveram numa longa campanha contra os carijitas e, por um tempo, esta região, que há muito estava conflagrada por conta de bandos de rebeldes e pela rivalidade entre os generais egípcios e imperiais, teve a ordem restaurada.

Almutadide era um líder corajoso e energético. Ele era também tão tolerante com a comunidade xiita que quando uma grande doação foi enviada a eles pelo príncipe do Tabaristão, ele não se irritou como teriam feito seus antecessores. Ele apenas ordenou que tudo fosse feito às claras. Já em relação aos omíadas ele não foi tão justo, chegando ao ponto de ordenar que eles fossem amaldiçoados nas preces públicas. Ele também fez com que um volume contando seus delitos fossem lidos no púlpito e proibiu qualquer menção a eles em debates nos clubes e encontros religiosos. O povo de Bagdá ficou escandalizado com este tratamento e, ao final, o califa teve que revogar essas ordens consideradas abusivas.

Almutadide também era cruel em suas punições, algumas delas com requintes não superados pelos califas posteriores. Como exemplo, um rebelde que havia sido perdoado foi descoberto em atos de sabotagem contra o exército. Ele foi amarrado numa trave, queimado com fogo, decapitado, seu corpo foi empalado numa estaca na grande ponte. O líder carijita em Moçul, que foi traído e entregue ao califa, teve que desfilar por Bagdá vestido num robe de seda (algo que os carijitas consideravam como pecado) e crucificado.

Depois de um próspero reinado de quase dez anos, Almutadide morreu e foi sucedido por Almoctafi, seu filho com uma escrava turca.

Ver tambémEditar

Almutadide
Nascimento: 857 Morte: 902
Precedido por:
Almutâmide
Califas abássidas
892–902
Sucedido por:
Almoctafi

Referências

  1. Mattoso 1992, p. 425.
  2. Mattoso 1993, p. 425.
  3. Coelho 1972, p. 365; 368.
  4. Lima 1988, p. 108.

BibliografiaEditar

  • Coelho, António Borges (1972). Portugal Na Espanha Árabe: Organização, Prólogo E Notas de António Borges Coelho, Volumes 3-4. Lisboa: Seara Nova 
  • Lima, José Fragoso de. Monografia arqueológica do concelho de Moura. Moura: Edição da Câmara Municipal de Moura 
  • Mattoso, José; Brito, Raquel Soeiro de (1992). História de Portugal, Volume 1. Lisboa: Círculo de Leitores 
  • Mattoso, José (1993). História de Portugal: Antes de Portugal, Volume 1. Lisboa: Editorial Estampa