Aluatique

Aluatique ibne Almotácime (em árabe: الواثق) foi um califa abássida que reinou entre 841 e 847 (227–232 A.H. no calendário islâmico).

Aluatique
Califa Abássida
Dinar de ouro de Aluatique cunhado em Bagdá em 843
Reinado 6 de dezembro de 841 - 847
Antecessor(a) Almotácime
Sucessor(a) Mutavaquil
Dinastia Abássidas
Morte 10 de agosto de 847
Filho(s) Almutadi
Pai Almotácime
Mãe Caratis

BiografiaEditar

Aluatique sucedeu ao seu pai, Almotácime, sendo aclamado califa no dia da morte dele, em 6 de dezembro de 841. Ele era filho de uma concubina bizantina grega chamada Caratis, que viajou com o irmão de Aluatique (e futuro califa Mutavaquil) Jafar ibne Almotácime na peregrinação a Meca em 842, morrendo a caminho, em 16 de agosto de 842. Ela está sepultada em Cufa. Atabari relata que o califa era de estatura média, boa compleição física e bonito, embora tivesse o olho esquerdo paralisado.

Em 843-844, Aluatique, lembrando da forma como Harune Arraxide havia lidado com os barmecidas, mandou prender alguns dos mais proeminentes oficiais públicos que foram torturados e compelidos a devolver os recursos que supostamente haviam desviado. No ano seguinte, Aluatique enviou um dos seus generais turcos, Buga, o Velho, para lidar com a falta de segurança na Arábia causada por uma tribo revoltosa que havia derrotado e exterminado as forças de Amade ibne Jarir Atabari. Buga imediatamente retomou o controle da situação e prendeu diversos ofensores. No ano seguinte, quando ele estava novamente sufocando revoltas em outras partes da região, alguns dos prisioneiros tentaram escapar, mas foram impedidos e mortos.

Posteriormente, em 846. Aluatique firmou uma troca de prisioneiros com o Império Bizantino. Atabari relata que 4 362 muçulmanos foram libertados nesta troca, a primeira desde a década de 810 no reinado de Alamim. Neste mesmo ano irrompeu uma revolta planejada em Bagdá, com foco em Amade ibne Nácer ibne Malique, com início previsto para 4 de abril de 846. Porém, as pessoas responsáveis por soar o sinal o fizeram com um dia de antecedência e, por isso, não houve resposta. As autoridades intervieram, prendendo Amade e levando-o perante o califa, que o interrogou sobre suas crenças religiosas e sobre a rebelião. Posteriormente, o próprio Aluatique o executou com a sua famosa espada.

No ano seguinte, Aluatique enviou Buga para interromper as depredações que vinham sendo realizadas pelos Banu Numair. Em al-Iamana, em 4 de fevereiro de 847, o general entrou em feroz combate contra eles. Pressionado no início, ele teve a sorte de ver as tropas que ele havia enviado em raides retornarem e imediatamente caírem sobre seus inimigos, eliminando-os completamente.

Aluatique morreu em 10 de agosto de 847 de "febre alta", sucedendo-lhe o irmão Mutavaquil.

InfluênciaEditar

Aluatique não tinha o mesmo interesse académico de seu pai, mas era ainda assim um patrono das ciências e das artes. Contudo, ele é reconhecido pelo seu talento musical e acredita-se que tenha composto mais de cem canções.

Durante o seu califado, diversas revoltas ocorreram, a maior delas na Síria e na Palestina. Estas revoltas são o resultado de uma crescente distância entre as populações árabes e o exército majoritariamente turco formado pelo pai de Aluatique, Almotácime (os gulans). As revoltas foram sempre sufocadas, mas o antagonismo entre os dois grupos só aumentava, com o poder dos turcos em ascensão.

William Beckford inspirou-se neste califa para escrever a obra Vathek em 1782.

Ver tambémEditar

Aluatique
Nascimento: ? Morte: 847
Precedido por:
Almotácime
Califas abássidas
842–847
Sucedido por:
Mutavaquil

BibliografiaEditar