Alvito Lucides

Alvito Lucides (antes de 915–m. ca. 973),[1] foi um Rico-homem e Cavaleiro mediéval ligado à fundação do Condado Portucalense como filho de Lucídio Vimaranes—o 2.º conde do Condado Portucalense para o que foi nomeado em 873—e possivelmente de Gudilona Mendes, filha de Hermenegildo Guterres.[a][2] Aparece pela primeira vez na documentação mediéval em 915 confirmando uma doação de seu pai e a última vez num documento "falso ou interpolado" em 973.[1]

Matrimónio e descendênciaEditar

Terá casado com Munia Dias, filha do conde Diogo Fernandes,[3][1] de quem teve:

  • Lucídio Alvites (m. ca. 968), o esposo de Jimena e pai de de Onega Lucides, a segunda esposa de Rodrigo Vasques, conde em Limia.[4]
  • Mendo Luz, conde e provavelmente seu filho.[b]
  • Nuno Alvites, filiaçǎo provavel. Confirmou a dotação do Mosteiro de Guimarães em 959 e foi o pai de Alvito Nunes[5]
  • Telo Alvites (m. ca. 985), conde, confirmou a dotação em 959 com seu irmão Nuno, e foi casado con Mumadona. Provavelmente o pai de Osorio e Alvito Teles.[6]
  • Elvira Alvites (m. ca. 969), a esposa de Rodrigo Mendes.[6]

Ver tambémEditar

NotasEditar

[a] ^ Segundo Fernandes de Almeida em Portugal no período vimaranense (Guimarães), separata da Revista de Guimarães, p. 228, "hipótese não confirmada por qualquer prova". Cfr. Mattoso (1981), p. 107.
[b] ^ "O patronímico, a época em que viveu, o título de conde, e os seus interesses ao sul do Douro, são outros tantos indícios que militam em favor deste parentesco". Cfr. Mattoso (1981), p. 110.

Referências

  1. a b c Mattoso 1981, p. 108.
  2. Mattoso 1981, p. 107.
  3. Sáez 1947, p. 65.
  4. Mattoso 1981, p. 109.
  5. Mattoso 1981, p. 110–111.
  6. a b Mattoso 1981, p. 111.

BibliografiaEditar

  Este artigo sobre figuras históricas de Portugal é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.