Abrir menu principal

Alvoco das Várzeas

freguesia de Oliveira do Hospital, Portugal
Portugal Portugal Alvoco das Várzeas 
  Freguesia  
Alvocodasvarzeas.jpg
Brasão de armas de Alvoco das Várzeas
Brasão de armas
Alvoco das Várzeas está localizado em: Portugal Continental
Alvoco das Várzeas
Localização de Alvoco das Várzeas em Portugal
Coordenadas 40° 18' 15" N 7° 49' 46" O
País Portugal Portugal
Concelho OHP1.png Oliveira do Hospital
Administração
- Tipo Junta de freguesia
- Presidente Agostinho de Jesus Marques (PS)
Área
- Total 10,73 km²
População ({{{censo}}})
 - Total 320
    • Densidade 29,8 hab./km²
Código postal 3400-315
Website http://jf-alvocodasvarzeas.com/

Alvoco das Várzeas é uma freguesia portuguesa do concelho de Oliveira do Hospital, com 10,73 km² de área e 320 habitantes (2011). A sua densidade populacional é de 29,8 hab/km².

A Freguesia de Alvoco das Várzeas foi inicialmente um curato dependente de Penalva de Alva, a cujo concelho pertenceu, até à sua extinção em 1853. Posteriormente, foi anexada pelo concelho de Sandomil e com a extinção deste último, transitou para o concelho de Oliveira do Hospital, a 24 de Outubro de 1855.

PopulaçãoEditar

A população residencial segundo os Censos de 2011 é de 320 habitantes.

População da freguesia de Alvoco das Várzeas [1]
1864 1878 1890 1900 1911 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1981 1991 2001 2011
682 668 752 786 762 851 619 863 969 899 712 566 491 366 320

     

HistóriaEditar

Crê-se que Alvôco das Várzeas é uma povoação muito antiga. O aparecimento de mós e moendas e o legado de antroponímos que ainda hoje existem em Alvôco provam que esta povoação foi ocupada pelos romanos devido, talvez, à proximidade das explorações minerais existentes nas várzeas do rio Alvôco.[2]

Nesta localidade pode visitar a Igreja Paroquial que tem como orago Stº. André, sendo uma obra de arquitetura em continuação da tradição regional setecentista, do século XIX.

Como motivo de maior interesse na freguesia, e de visita obrigatória, é a sua Ponte Medieval, embora conhecida pela tradição popular como “ponte romana”. Monumento Nacional. Pensa-se que terá sido construída no século XIV. É uma boa construção de alvenaria, muito singulada, de dois arcos. O arco principal é uma curva quebrada, gótico, e de grande abertura; o outro, menor, é de traçado semicircular mas irregular. É de duas águas, sendo o ramo da margem direita mais extenso e muito inclinado. Mede cerca de setenta metros de comprimento.

Junto da Ponte existe uma Praia Fluvial e Parque Merendeiro, na zona ribeirinha do Rio Alvôco (talvez o curso de água menos poluído da Europa), arborizada e devidamente infra-estruturada e com equipamentos de lazer associados.

Curiosas são as Alminhas do Terreirinho que segundo a superstição popular é um local onde se reúnem as bruxas para «congressos» e «ações de formação», situado à saída povoação, na estrada de Âlvoco das Várzeas para a Carvalha.

Ao longo das margens do Rio Alvôco existem diversos moinhos que acrescentam algo de muito peculiar e interessante a este espólio. São eles o moinho do Parente, o moinho das Nogueiras, o moinho da Ribeirinha, o moinho da Volta, o moinho da Moenda (este em funcionamento desde o século XVIII e integrado na unidade de alojamento turístico designada por Quinta da Moenda), o moinho da Regada, o moinho do Chão do Paulo.

Interessante é ainda a Levada, sendo esta um sistema de irrigação comunitária, talvez o maior da região (7Km) e que provavelmente remonta à época romano/árabe. Tem origem no açude de Candam, no Parente e termina no lagar antigo de Alvôco das Várzeas, no Chão Novo.

Agora deixe-se guiar pelo Rio Alvôco até à Ponte das Três Entradas, admirando os recantos e belezas deste vale, onde nas margens e encostas se encontram espécies de fauna e flora raras na região.

PatrimónioEditar

 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Alvoco das Várzeas
  • Igreja de Santo André (matriz)
  • Capela de São Sebastião
  • Cruzeiros do Adro da Ponte
  • Alminhas do Terreirinho
  • Moinhos do Parente, das Ribeiras, da Ribeirinha, da Volta, da Regada e do Chão de Paulo
  • Casas da Pomba, de Baixo e do Tribunal
  • Quinta da Moenda
  • Trecho do rio Alvoco e praia fluvial
  • Buracas dos Mouros
  • Levadas do Alvoco

Ponte MedievalEditar

Esta ponte monumental situa-se nas imediações da EN230, sobre o rio Alvoco, afluente do rio Alva, junto a uma praia fluvial.  Tem um desenho invulgar, proporcionado pela necessidade de vencer margens com cotas desiguais, o que lhe confere leveza e elegância à estrutura, construída com um grande cuidado.  Ponte de pedra siglada, possui dois arcos desiguais sendo o seu tabuleiro rampante de um dos lados. A rampa, situada na margem direita e sobre o primeiro e mais baixo arco, é bastante acentuada, fazendo ângulo sobre o segundo e mais elevado arco que se une à margem com maior cota, dando a impressão de fazer cavalete apesar de nessa margem não ter qualquer inclinação.  Os dois arcos são em cantaria aparelhada e com aduelas regulares (de 25cm a 30cm) sendo o mais pequeno de volta perfeita com 8m de diâmetro e o maior com cerca de 25m de abertura, sendo apontado, em ogiva. O tabuleiro tem 70m de comprimento por cerca de 4,40m de largura e encontra-se delimitado por guardas de cantaria com cerca de 20cm de espessura. A estrutura é reforçada em ambos os lados por talhamares prismáticos bem integrados na estrutura.

Referências


  Este artigo sobre freguesias portuguesas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.